Eleições estaduais no Espírito Santo em 1990

As eleições estaduais no Espírito Santo em 1990 ocorreram em 3 de outubro como parte das eleições no Distrito Federal e em 26 estados brasileiros. Foram eleitos o governador Albuíno Azeredo, o vice-governador Adelson Salvador, o senador Elcio Álvares, 10 deputados federais e 30 estaduais. Como nenhum candidato a governador atingiu metade mais um dos votos válidos, houve um segundo em 25 de novembro e segundo a Constituição, o governador tomaria posse em 15 de março de 1991 para um mandato de quatro anos sem direito a reeleição.[1][nota 1][2][3]

1986 Brasil 1994
Eleições estaduais no  Espírito Santo em 1990
3 de outubro de 1990
(Primeiro turno)
25 de novembro de 1990
(Segundo turno)
Replace this image male.svg José Ignácio Ferreira ES.jpg
Candidato Albuíno Azeredo José Inácio Ferreira
Partido PDT PST
Natural de Vila Velha, ES Vitória, ES
Vice Adelson Salvador Pedro Ceolin
Votos 584.269 294.872
Porcentagem 66,46% 33,54%


Brasão do Espírito Santo.svg
Governador do Espírito Santo

Titular
Max Mauro
PMDB

Nascido em Vila Velha, o governador Albuíno Azeredo é engenheiro civil diplomado na Universidade Federal do Espírito Santo e graduado também em Informática e Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro sendo que foi funcionário da Vale antes de abrir sua própria empresa de consultoria. Em termos políticos militou no MDB e no PMDB a partir de 1970, foi secretário de Planejamento no governo Max Mauro de quem recebeu apoio na disputa para chegar ao Palácio Anchieta via PDT.[4] Dessa forma terminou o ciclo de vitórias do PMDB que começou com Gerson Camata em 1982 e prosseguiu com Max Mauro em 1986.[2][3]

Natural de Colatina, o produtor rural Adelson Salvador foi gerente comercial na Cooperativa Agropecuária do Norte do Estado por cinco anos a partir de 1976. Eleito prefeito de Nova Venécia pelo PMDB em 1982, ao fim do mandato foi nomeado diretor do Departamento Estadual de Trânsito no governo Max Mauro. Sob orientação do referido político entrou no PDT sendo eleito vice-governador do Espírito Santo em 1990.[5]

Para senador foi eleito o advogado Elcio Alvares. Mineiro de Ubá, ele se formou em 1955 pela Universidade Federal do Espírito Santo e integrou a seccional da Ordem dos Advogados do Brasil até entrar no PSD. Após o Regime Militar de 1964 foi eleito suplente de deputado federal pela ARENA em 1966 sendo efetivado no lugar de Raimundo Andrade em 1970, ano em que foi reeleito. Escolhido governador do Espírito Santo pelo presidente Ernesto Geisel em 1974, entrou no PDS com o fim do bipartidarismo. Preterido por Carlos von Schilgen quando o então governador Eurico Resende definiu o nome do partido à sua sucessão em 1982, hipotecou apoio ao oposicionista Gerson Camata, o vencedor do pleito.[6][7] Com a instauração da Nova República ingressou no PFL, mas perdeu a eleição para o Palácio Anchieta em 1986 numa disputa contra Max Mauro.[8][9][10] Eleito senador em 1990, presidiu a comissão especial que analisou o processo de impeachment de Fernando Collor e votou pela condenação do presidente no julgamento em plenário em 29 de dezembro de 1992.[11]

Quando Elcio Alvares ocupou o cargo de ministro da Indústria e Comércio a convite do presidente Itamar Franco, sua cadeira senatorial foi entregue a Jonice Tristão. Advogado natural de Mutum, graduou-se na Universidade Federal do Rio de Janeiro.[12] Sua atuação profissional, entretanto, foi direcionada para o beneficiamento de café solúvel através do Grupo Tristão, empresa familiar criada em 1935.[13] Eleito suplente de senador via PFL em 1990, exerceu o mandato sob a circunstância já mencionada e voltou ao mesmo no começo de 1999 quando o titular assumiu o Ministério da Defesa[14] no governo Fernando Henrique Cardoso.[15][nota 2]

Resultado da eleição para governadorEditar

Primeiro turnoEditar

Os arquivos da Justiça Eleitoral informam a apuração de 814.692 votos nominais (66,04%), 210.042 votos em branco (17,03%) e 208.815 votos nulos (16,93%), resultando no comparecimento de 1.233.549 eleitores.[2][3]

Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Albuíno Azeredo
PDT
Adelson Salvador
PDT
12
Frente Democrática Capixaba
(PDT, PSDB, PTB, PSB, PCdoB)
356.694
43,78%
José Ignácio Ferreira
PST
Pedro Ceolin
PFL
52
Frente Progressista Liberal
(PST, PFL, PSC, PMN, PRP)
291.196
35,74%
Rogério Sarlo Medeiros
PT
Lourival Monteiro
PT
13
Frente Popular Capixaba
(PT, PCB)
127.749
15,68%
João Calmon
PMDB
Paulo Galvão
PMDB
15
PMDB (sem coligação)
39.053
4,80%
  Segundo turno

Segundo turnoEditar

Segundo os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 879.141 votos nominais.[2][3]

Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Albuíno Azeredo
PDT
Adelson Salvador
PDT
12
Frente Democrática Capixaba
(PDT, PSDB, PTB, PSB, PCdoB)
584.269
66,46%
José Ignácio Ferreira
PST
Pedro Ceolin
PFL
52
Frente Progressista Liberal
(PST, PFL, PSC, PMN, PRP)
294.872
33,54%
  Eleito

Resultado da eleição para senadorEditar

Segundo os arquivos da Justiça Eleitoral foram apurados 664.849 votos nominais.[2][3]

Candidatos a senador da República Candidatos a suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Elcio Alvares
PFL
Jonice Tristão
PFL
Lúcio Messan
PFL
251
Frente Progressista Liberal
(PST, PFL, PSC, PMN, PRP)
290.423
43,68%
Renato Viana Soares
PSB
-
PSB
401
PSB (sem coligação)
149.290
22,45%
Magno Pires da Silva
PT
-
-
131
Frente Popular Capixaba
(PT, PCB)
72.910
10,97%
José Moraes
PMDB
-
PMDB
151
PMDB (sem coligação)
70.959
10,67%
João Miguel
PSDB
-
PSDB
451
PSDB (sem coligação)
39.070
5,88%
Berredo de Menezes
PRN
-
-
361
Frente Independente Capixaba
(PRN, PDC, PSD, PTR, PTdoB)
26.250
3,95%
Jefferson de Aguiar
PDS
-
PDS
111
PDS (sem coligação)
15.947
2,40%
  Eleito

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[16][17]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Rita Camata PMDB 99.147 Venda Nova do Imigrante   Espírito Santo
Paulo Hartung[nota 3] PSDB 49.248 Guaçuí   Espírito Santo
Roberto Valadão PMDB 21.237 Colatina   Espírito Santo
Rose de Freitas PSDB 19.951 Caratinga   Minas Gerais
João Batista Mota[nota 3] PSDB 19.843 Ibiraçu   Espírito Santo
Jones dos Santos Neves PL 16.524 Vitória   Espírito Santo
Nilton Baiano PMDB 15.218 Itabuna   Bahia
Jório de Barros PMDB 10.935 Baixo Guandu   Espírito Santo
Etevalda Menezes PMDB 7.538 Rio Bananal   Espírito Santo
Aloizio Santos PMDB 5.714 Brejo Grande   Sergipe

Deputados estaduais eleitosEditar

Estavam em jogo 30 cadeiras na Assembleia Legislativa do Espírito Santo.[2][3]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Valcy Souza PTB 10.230
Ricardo Ferraço PTB 9.356 Cachoeiro de Itapemirim   Espírito Santo
Antonio Tadeu Giuberti PMDB 8.079
Ruzerte Gaigher PDT 8.776
Edson Henrique Pereira PRN 8.657
Umberto Messias de Souza PSDB 7.974
Paulo Lemos Barbosa PDT 7.678
Nilton Gomes[nota 4] PFL 7.426
José Francisco de Barros PMDB 7.257
Djalma Monteiro da Silva PRN 7.246
Marcos Miranda Madureira PDC 6.971
José Carlos Gratz PFL 6.728 Ibiraçu   Espírito Santo
Fernando José da Silva PFL 6.501
Waldemiro Seibel PFL 6.451
Waldir Durão Filho PFL 6.367
Maria da Penha Feu Rosa PTB 5.921
Ethereldes Queiroz do Vale PMDB 5.826
Carlos Magno Pimentel PFL 5.674
Luiz Temóteo Dias Vieira PSDB 5.557
Carlos Roberto Cabalini PDT 5.556
Ulysses Jarbas Anders PSDB 5.516
Hélio Gualberto Vasconcelos PSDB 5.470
Brice Bragato PT 5.447 Conceição do Castelo   Espírito Santo
Cabo Camata PSDB 5.397 Vitória   Espírito Santo
Gilson Gomes PTB 5.128
Renato Casagrande PSB 5.060 Castelo   Espírito Santo
Jauber Pignaton PMDB 4.956
Luciano Souza Cortez PRN 4.876
João Coser PT 2.907 Santa Teresa   Espírito Santo
Aloísio Krohling PT 2.624

Notas

  1. A posse dos governadores eleitos em 1990 foi determinada pelo Art. 4º, § 3º do Ato das Disposições Constituições Transitórias, exceto no Amapá, Distrito Federal e Roraima, que empossaram seus mandatários em 1º de janeiro de 1991 conforme o Art. 28 da Carta Magna.
  2. O Ministério da Defesa foi criado em caráter extraordinário e seu titular tomou posse no primeiro dia de 1999 sendo que a pasta foi efetivada quase seis meses depois.
  3. a b Paulo Hartung foi eleito prefeito de Vitória em 1992 e no mesmo ano João Batista Mota elgeu-se prefeito de Serra, então foram efetivados Helvécio Castelo e Lézio Sathler.
  4. Homônimo do político conhecido como "Nilton Baiano".

Referências

  1. BRASIL. Presidência da República. «Constituição brasileira de 1988». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  2. a b c d e f «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  3. a b c d e f «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  4. Máquina favorece candidato no Espírito Santo (online). O Estado de S. Paulo, 25/11/1990. Página visitada em 6 de setembro de 2017.
  5. BRASIL. Câmara dos Deputados do Brasil. «Biografia do deputado Adelson Salvador». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  6. Álvares só ajudará "seus companheiros" (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 13/06/1982. Página visitada em 23 de abril de 2013.
  7. PDS não tem esperança de ganhar no Espírito Santo (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 07/11/1982. Primeiro caderno, p. 04. Página visitada em 6 de setembro de 2017.
  8. «Morre ex-governador do ES Elcio Alvares (g1.globo.com)». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  9. BRASIL. Câmara dos Deputados. «Biografia do deputado Elcio Alvares». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  10. BRASIL. Senado Federal. «Biografia do senador Elcio Alvares». Consultado em 6 de setembro de 2017 
  11. Apenas 8 apoiam Collor (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 30/12/1992. Renúncia, Caderno Especial, p. 06. Página visitada em 6 de setembro de 2017.
  12. BRASIL. Senado Federal. «Biografia do senador Jonice Tristão». Consultado em 7 de setembro de 2017 
  13. «Página oficial do Grupo Tristão». Consultado em 7 de setembro de 2017 
  14. FHC tenta evitar resistência de militares contra pasta da Defesa (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 24/12/1998. Brasil, p. 1-5. Página visitada em 7 de setembro de 2017.
  15. «Galeria de ministros da Defesa do Brasil». Consultado em 7 de setembro de 2017 
  16. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 6 de setembro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  17. BRASIL. Presidência da República. «Lei n.º 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 6 de setembro de 2017