Eleições estaduais no Pará em 1950

As eleições estaduais no Pará em 1950 ocorreram 3 de outubro como parte das eleições no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos o governador Zacarias Assunção, o senador Prisco dos Santos, nove deputados federais e trinta e sete deputados estaduais.[nota 1][nota 2] O resultado oficial, entretanto, foi homologado somente após as eleições suplementares de 1951.[1]

1947 Brasil 1954
Eleições estaduais no Pará Pará em 1950
3 de outubro de 1950
(Turno único)
Zacarias de Assunção, General, Governador do Pará.tif Magalhães Barata, Coronel, Interventor do Pará.tif
Candidato Zacarias Assunção Magalhães Barata
Partido PSP PSD
Natural de Rio de Janeiro, RJ Belém, PA
Vice Não havia Não havia
Votos 94.794 94.212
Porcentagem 50,15% 49,85%


Brasão do Pará.svg
Governador do Pará

Contrariando uma situação política vigente desde o fim do Estado Novo, os paraenses interromperam, mesmo que por uma pequena margem, o mandarinato do PSD em favor dos nomes apresentados pela Coligação Democrática Paraense cujo mérito foi reunir os candidatos derrotados na disputa pelo Palácio Lauro Sodré em 1947. Graças a isso o General Zacarias Assunção enfim ascendeu ao governo do Pará três anos após falhar na busca pelo cargo.

Formado em Agrimensura pelo Colégio Militar do Rio de Janeiro, ingressou na Escola Militar do Realengo em 1911. Em sua carreira militar combateu a Intentona Comunista e serviu ao Exército Brasileiro na cidade do Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Durante a Segunda Guerra Mundial comandou a Base Aérea de Natal,[nota 3] e após a queda de Getúlio Vargas foi interventor federal no Pará por uma semana e depois tornou-se comandante da Polícia Militar do Distrito Federal. Candidato a governador do estado via PSP em 1947, foi vencido por Moura Carvalho. Designado para o comando da IX Região Militar e depois para o Comando Militar do Nordeste, foi agora eleito governador para um mandato de cinco anos.[nota 4][2]

O senador eleito foi o médico Prisco dos Santos. Natural de Belém, formou-se em Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro e foi professor na Universidade Federal do Pará.[3] Sempre filiado à UDN, perdeu a eleição para deputado federal em 1945. Graças ao artifício da "dupla candidatura" foi eleito deputado estadual em 1947, embora tenha perdido a eleição para governador no mesmo ano.[nota 5][4]

Resultado da eleição para governadorEditar

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral houve 189.006 votos nominais (97,03%), 3.280 votos em branco (1,68%) e 2.452 votos nulos (1,26%) e 63 votos não apurados (0,03%), resultando no comparecimento de 194.801 eleitores.[4][1]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Zacarias Assunção
PSP
Não havia
-
-
Coligação Democrática Paraense
(PSP, UDN, PST, PL)
94.794
50,15%
Magalhães Barata
PSD
Não havia
-
-
PSD (sem coligação)
94.212
49,85%
  Eleito(a)

Resultado da eleição para senadorEditar

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Prisco dos Santos
UDN
Demócrito Noronha
UDN
-
Coligação Democrática Paraense
(PSP, UDN, PST, PL)
91.159
[nota 6]
Moura Carvalho
PSD
Luís Estevão de Oliveira
PSD
-
PSD (sem coligação)
[nota 6]
[nota 6]
  Eleito(a)

Deputados federais eleitosEditar

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[5][6]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Epílogo de Campos UDN 29.527 Rio Branco   Acre
Lameira Bittencourt PSD 20.868 Lisboa[nota 7]   Portugal
Armando Corrêa PSD 12.469 Belém   Pará
Deodoro de Mendonça PSP 12.046 Cametá   Pará
Augusto Meira PSD 11.902 Ceará-Mirim   Rio Grande do Norte
Virgínio Santa Rosa PSP 11.617 Belém   Pará
Nelson Parijós PSD 11.497 Cametá   Pará
Osvaldo Orico PSD 11.419 Belém   Pará
Paulo Maranhão UDN 9.159 Belém   Pará

Deputados estaduais eleitosEditar

Foram eleitos 37 deputados estaduais.

Notas

  1. Diante da inexistência do vice-governador do estado, o substituto constitucional do titular seria o presidente da Assembleia Legislativa.
  2. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal.
  3. Inicialmente chamada de Campo de Parnamirim por localizar-se no município homônimo.
  4. Para coincidir com fim do mandato presidencial, os governadores eleitos em 1947 ficariam quatro anos no poder, todavia a Carta Magna de 1946 não estipulou o tempo destinado aos governadores eleitos a partir de 1950, razão pela qual alguns estados optaram pelos cinco anos de governo.
  5. A "dupla candidatura" era outro instrumento não regulado por lei cujo fim aconteceu nos idos do Regime Militar de 1964.
  6. a b c Mesmo consultando as fontes oficiais, não foi possível levantar os dados referentes a este caso no acervo da Justiça Eleitoral.
  7. Tão logo a família retornou ao Brasil o registrou como nascido em Belém.

Referências

  1. a b «Página oficial do Tribunal Regional Eleitoral do Pará». Consultado em 20 de junho de 2016 
  2. «Senado Federal do Brasil: senador Zacarias Assunção». Consultado em 20 de junho de 2016 
  3. «Senado Federal do Brasil: senador Prisco dos Santos». Consultado em 20 de junho de 2016 
  4. a b «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 20 de junho de 2016 
  5. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 20 de junho de 2016. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  6. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 20 de junho de 2016