Abrir menu principal

Eleições gerais na Argentina em 2011

‹ 2007 • Flag of Argentina.svg • 2015
Eleição presidencial na Argentina em 2011
Presidente para o período 2011-2015
23 de outubro de 2011
Tipo de eleição:  Presidencial
  
79.31% Green Arrow Up.svg 3.9%
Cristina fernandez de kirchner cropped 2007-04-25.JPG
Cristina Fernández de KirchnerPartido Justicialista (PJ)
coligação: Frente para la Victoria
Votos: 11.863.054 Green Arrow Up.svg 37.1%
  
54.11%
Hermes Binner.jpg
Hermes BinnerPartido Socialista (PS)
coligação: Frente Amplio Progresista
Votos: 3.683.660  
  
16.81%
Ricardo Alfonsín.png
Ricardo AlfonsínUnião Cívica Radical (UCR)
coligação: Unión para el Desarrollo Social
Votos: 2.395.056  
  
11.14%
Alberto Rodriguez Saa.jpg
Alberto Rodríguez SaáPartido Justicialista (PJ)
coligação: Compromiso Federal
Votos: 1.714.385  
  
7.96%
Eduardo duhalde presidente.jpg
Eduardo DuhaldePartido Justicialista (PJ)
coligação: Frente Popular
Votos: 1.264.609  
  
5.86%
Altamirajorge.jpg
Jorge AltamiraPartido Obrero (PO)
coligação: Frente de Izquierda y de los Trabajadores
Votos: 497.082  
  
2.30%
Elisa Carrió.jpg
Elisa CarrióCoalición Cívica ARI (CC-ARI)
coligação: Coalición Cívica
Votos: 396.171  
  
1.82%

Coat of arms of Argentina.svg
Presidente da Argentina
http://www.elecciones.gov.ar/default.htm
‹ 2009 • Flag of Argentina.svg • 2013
Eleições legislativas na Argentina em 2011
130 deputados para o período 2011-2015
24 senadores para o período 2011-2017
23 de outubro de 2011
Logo Frente para la Victoria.svg
Partido Justicialista (PJ)
coligação: Frente para la Victoria
UDESO.gif
União Cívica Radical (UCR)
coligação: Unión para el Desarrollo Social
Purple flag waving.svg
Partido Justicialista Dissidente (PJ)
coligação: Unión Popular
Frente Amplio Progresista.gif
Partido Socialista (PS)
coligação: Frente Amplio Progresista
Lightblue flag waving.svg
Partido Justicialista Dissidente (PJ)
coligação: Compromiso Federal
Coalición Cívica.png
Coalición Cívica ARI
coligação: Coalición Cívica
Logo Principal del Frente de Izquierda y de los Trabajadores.jpg
Partido Obrero
coligação: Frente de Izquierda y de los Trabajadores
http://www.elecciones.gov.ar/default.htm

As eleições gerais na Argentina em 2011 foram realizadas no domingo 23 de outubro.[1] Na ocasião, foi reeleita a presidente Cristina Kirchner e foi eleito os parlamentares para a Câmara de Deputados e para o Senado, conforme estabelecido pela Constituição da Argentina e as leis eleitorais. As eleições provinciais foram iniciadas em 13 de março e foram até 23 de outubro.

É proclamado presidente no primeiro turno aquele que obter mais de 40% dos votos válidos e tiver uma diferença mínima de 10% em relação ao candidato que o segue.[2] Cristina Kirchner irá assumir o segundo mandato em 10 de dezembro de 2011 e vai permanecer no Executivo por um período de quatro anos.

Índice

Candidatos presidenciaisEditar

Partido JusticialistaEditar

O Partido Justicialista é dividido em três facções. De um lado está a Frente para a Vitória (Frente para la Victoria), enquanto o justicialismo dissidente é dividida em duas áreas: a União Popular (Unión Popular) e o Peronismo Federal.

Frente para a VitóriaEditar

Cristina Fernandez de Kirchner: a atual presidente da Nação Argentina.[3] Em 21 de junho de 2011 confirmou publicamente sua candidatura à reeleição,[4] foi uma decisão que, em suas próprias declarações, havia tomado desde a morte prematura no final de 2010 de Néstor Kirchner[5], que foi seu cônjuge desde 1975, o ex-presidente da Nação (2003-2007), presidente do Partido Justicialista e um forte candidato da Frente para a Vitória para as eleições presidenciais.[6]

A atual presidente é apoiada por vários líderes, incluindo: Hugo Moyano, o secretário-geral da Confederação Geral do Trabalho (CGT),[7] Antonio Caló, o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos (UOM),[8]Luis D'Elia, o Secretário-Geral da Federação de Terra e Habitação (FTV) e Central de Movimentos Populares (CMP),[9] assim como os governadores, vários legisladores, funcionários, as associações Mães da Praça de Maio e Avós da Praça de Maio (dirigidas por Hebe de Bonafini e Estela de Carlotto, respectivamente)[10] e Hugo Chávez (presidente da Venezuela), que afirmou durante a entrega de uma distinção na Escola de Jornalismo na Universidade Nacional de La Plata, que a presidente "é a mulher que Argentina agora precisa continuar com o curso deste navio".[11]

Seu companheiro de chapa é Amado Boudou, o atual Ministro de Economia e Finanças Públicas desde 2009.[12]

União PopularEditar

Eduardo Duhalde: ex-vice-presidente da Argentina (1989-1991); ex-governador da Província de Buenos Aires(1991-1999); e ex-Presidente da Nação através da aplicação da Lei de Liderança, em exercício entre janeiro de 2002 e maio de 2003.[13] Lançou formalmente sua candidatura presidencial em 20 de dezembro de 2010 em uma cerimônia em Costa Salguero diante de cinco mil pessoas com um discurso que durou pouco mais de 40 minutos. Ele se apresentou como o candidato capaz de "trazer a paz e a ordem" na Argentina, chamando várias vezes para a adesão a lei e a ordem. Duhalde deu como exemplos vários presidentes latino-americanos, como no caso de Luiz Inácio Lula da Silva, Michelle Bachelet e José Mujica que também estabeleceu quatro pontos principais de seu voto: políticas de Estado, a restauração da autoridade e de paz, plena vigilância dos direitos humanos "do passado, presente e futuro" e da construção de um moderno progressismo "com respeito às instituições democráticas."[14] Seu companheiro é Mario Das Neves, governador da Província de Chubut.[15]

Peronismo FederalEditar

Alberto Rodriguez Saá: atual governador de San Luis (2003-2007 e reeleito até 2011). Ele fechou sua campanha em 31 de março de 2011 com um evento em que reviu a sua gestão, em San Louis e projetou realizações na província para a nação como parte de seu plano de governo.[16] Seu companheiro de chapa é o ex-governador da Província de Santa Fé, José Maria "Tati" Vernet.

União Cívica RadicalEditar

Luis Ricardo Alfonsin: membro atual do Parlamento e filho do ex-presidente Raúl Alfonsín, que governou entre 1983 e 1989.[17][18] Lançou sua candidatura presidencial em 3 de dezembro de 2010 com uma cerimónia testemunhada por 30 mil pessoas no cruzamento de San José com a Avenida de Maio (Capital Federal).[19]

Seu slogan de campanha é "transformar o desenvolvimento do crescimento." Ele disse que a prioridade para o seu plano de governo vai se concentrar em acabar com a pobreza extrema (pense em um plano que contém crianças menores de 5 anos de idade) a modernização da matriz energética, agregando valor para a indústria, e federalizar os recursos trazendo para a ciência e tecnologia para a produção, entre outros.[20]

Foi declarado o candidato oficial do partido após a desistência da candidatura presidencial de Ernesto Sanz e Julio Cobos.[21][22] Seu companheiro de chapa é Javier Gonzalez Fraga, economista e ex-presidente do Banco Central.

Partido SocialistaEditar

 
Binner em sua campanha.

Hermes Binner: ex-governador da Província de Santa Fé (2007-2011), e o prefeito da cidade de Rosário. Falando aos jornalistas em março de 2011 anunciou sua intenção de correr para a presidência e, novamente longe de Rubén Giustiniani, o senador e presidente do Partido Socialista.[23]

Coalición CívicaEditar

Elisa Carrió: atual deputada federal desde 2009, também foi eleita para 1995 até 2003 e períodos de 2005 até 2007. Ex-candidata presidencial em 2003 (quinto lugar) e 2007 (segundo lugar). Ela apresentou a sua candidatura em 12 de dezembro de 2010, em Buenos Aires no bairro de Recoleta, para um pouco mais de duas mil pessoas. No evento de lançamento fez fortes críticas a Kirchner, ao Chefe de Governo de Buenos Aires (Mauricio Macri) e a União Cívica Radical.[24]

Durante uma palestra na Universidade de Belgrano, em dezembro de 2010, anunciou duas grandes questões programáticas: uma nova Lei de Parceria "para acabar com o talão de cheques, que extorque os governadores e prefeitos" e uma nova Lei da Educação, com o tempo, disse que seu governo "só nos últimos anos vão tomar sem qualquer compromisso para as corporações ou sindicatos econômicos".[25] o seu vice é Adrian Perez.

Frente de Esquerda e dos TrabalhadoresEditar

Jorge Altamira: ex-legislador da Cidade de Buenos Aires e líder histórico do Partido Obrero. Foi eleito como candidato à presidência pela Frente de Esquerda e dos Trabalhadores, aliança eleitoral formada pelo Partido Obrero, o Partido Socialista dos Trabalhadores e Esquerda Socialista. Outros partidos menores de esquerda também têm aderido à Frente.[26] Seu companheiro de chapa é Christian Castillo, professor universitário e líder do Partido Socialista dos Trabalhadores (PTS).[27]

Pré-candidatos que desistiram da candidatura presidencialEditar

  • Mario Das Neves, pelo Peronismo Federal: Governador da Província de Chubut (2003-2007 e reeleito até 2011). Foi o primeiro candidato presidencial para lançar sua candidatura, que foi realizada em uma cerimônia realizada em agosto de 2009 na cidade de Piedra del Águila, Província de Neuquén. Em 2 de abril de 2011, dias depois de seu partido obter nas eleições resultados desfavoráveis ​​ao Governador na sua própria província, e depois de um escândalo de mídia enorme, devido a alegações de graves irregularidades durante as eleições, decidiu abandonar sua corrida a Presidência.[28] Posteriormente, em junho, aceitou a proposta do ex-presidente Eduardo Duhalde para acompanhá-lo na chapa como vice-presidente.[29]
  • Ernesto Sanz, por UCR: atual senador pela Província de Mendoza, presidente da União Cívica Radical. Ele lançou sua candidatura em 2 de março de 2011 em uma cerimônia realizada no Teatro Gran Rex em que ele procurou diferenciar seu rival intrapartidário (Ricardo Alfonsin) e fez várias críticas a Kirchner. No final de março de 2011 confirmou sua participação nas primárias abertas. Um mês depois, decidiu abandonar sua corrida presidencial.[30]
  • Julio Cobos, por UCR: ex-Governador da Província de Mendoza (2003-2007) e vice-presidente da Nação durante o período de 2007-2011. Recusou-se desde o início a sua participação na preinterna partidária, enquanto repetidamente solicitou o adiamento da mesma, que foi rejeitada por ambos Ricardo Alfonsin como Ernesto Sanz. Em 07 abril de 2011 decidiu sair da corrida para a Presidência da Nação depois que o partido declarou como candidato oficial Ricardo Alfonsín.
  • Fernando Solanas, pelo Projeto Sul: deputado e ex-candidato presidencial nas eleições de 2007. Apresentou formalmente a sua candidatura para Presidente da República em dezembro de 2010 com uma cerimônia diante de mais de seis mil pessoas no Estádio Arquiteto Ricardo Etcheverry. Desistiu da eleição presidencial, e em 2 de maio, anunciou formalmente sua candidatura para Chefe do Governo de Buenos Aires no Centennial Park e considerou muito provável que seu companheiro de chapa seja Graciela Ocaña.[31]
  • Mauricio Macri, pela Proposta Republicana: o atual prefeito da Cidade de Buenos Aires. Mostrou afinidade, esforços e coordenação com o Peronismo Federal,[32] mas no final de março de 2011, após a escandalos eleição para governador da Província de Chubut em que o Peronismo Federal foi envolvido em denúncias de irregularidades graves, decidiu "freiar" contatos com o partido desde que ele sentiu que uma abordagem traria "mais problemas do que benefícios".[33] Nos primeiros dias de maio de 2011, decidiu sair da candidatura presidencial e apostou em sua eleição como chefe do Governo da Cidade de Buenos Aires.
  • Felipe Solá, pelo Movimento para a Justiça, Igualdade e Organização:[34] ex-Governador da Província de Buenos Aires (2002-2007) e atual deputado federal. Ele lançou sua candidatura na cidade de San Nicolás de los Arroyos em 28 de junho de 2010. Em junho, ele se retirou da corrida presidencial.[35]

Pesquisas de opinião presidencialEditar

Data Instituto responsável Cristina Fernández
de Kirchner
Ricardo Alfonsín Eduardo Duhalde Alberto
Rodríguez Saá
Elisa Carrió Hermes Binner Jorge Altamira
10/2010 OPSM/Zuleta Puceiro[36] 35.7% 16.0% - - - - -
10/2010 Ibarómetro[37] 44.5% - 8.1% - - - -
11/2010 Poliarquía Consultores[38] 48.0% 19.0% - - - - -
12/2010 Consultora eQuis[39] 44.0% 6.1% 5.3% - - - -
12/2010 Consultora Analogías[40] 42.3% 17.0% - - - - -
01/2011 OPSM/Zuleta Puceiro[41] 34.0% 14.0% 5.0% - - - -
01/2011 Ibarómetro[42] 40.0% 12.1% 10.4% - - - -
02/2011 Management & Fit[43] 27.1% 6.6% 4.3% - - - -
04/2011 CEOP[44] 45.9% 10.6% 6.8% - 3.3% - -
04/2011 OPSM/Zuleta Puceiro[44] 37.2% 14.3% 6.6% - 7.2% - -
05/2011 Ricardo Rouvier y Asociados 49.8% 22.3% 6.6% 6.0% 4.8% - -
05/2011 Ibarómetro 44.6% 12.0% - 9.0% - - -
06/2011 CEOP[45] 48.2% 12.8% 7.5% 5.5% 5.9% 4.3% -
06/2011 Management & Fit[46] 33.4% 15.3% 5.8% 7.0% 4.0% 5.1% -
06/2011 CEOP[47] 49.8% 10.5% 9.2% 5.2% 4.8% 6.5% -
06/2011 Opinión Autenticada 38.7% 18.9% 15.1% 3.9% 5.2% 4.7% -
08/2011 Opinión Autenticada[48] 38.1% 19.7% 13.1% - - - -
08/2011 Graciela Römer & Asociados[48] 40.4% 15.9% 9.9% 4.1% 5.5% 6.3% -
08/2011 OPSM/Zuleta Puceiro[49] 41.6% 20.4% 8.2% 4.8% 3.0% 5.2% -
08/2011 Management & Fit[50] 41.0% 19.6% 14.3% 7.2% 5.1% 7.1% -
08/2011 Consultora eQuis[51] 46.6% 15.2% 6.6% 5.8% 3,2% 7.1% 0.9%
08/2011 Consultora eQuis[52] 52.1% 8.2% 7.6% 9.9% 1.4% 13.4% 1.7%
09/2011 Consultora eQuis[53] 53.1% 9.2% 8.3% 10.8% 1.0% 16.4% 1.2%
09/2011 Nueva Comunicación[54] 51.7% 7.6% 9.1% 8.8% 1.5% 15.8% 1.7%
09/2011 Hugo Haime y Asociados[55] 53.1% 12.6% 10.5% 5.6% 1.6% 15.2% 1.5%
10/2011 OPSM[56] 51.0% 10.9% 6.4% 9.5% 3.9% 15.5% 2.8%
10/2011 Consultora eQuis[57] 55.4% 8.2% 6.8% 11.2% 1.5% 15.6% 1.4%
10/2011 Aresco[58] 52.8% 9.9% 8.1% 9.8% 3.2% 12.2% 4.0%
10/2011 Giacobbe & Asociados[59] 53.1% 9.1% 7.9% 10.2% 3.1% 16.6% 3.1%
10/2011 CEOP[60] 49.1% 10.8% 8.2% 6.9% 2.0% 12.0% 0.8%

Eleições legislativasEditar

Também ocorreram em 23 de outubro, juntamente com a eleição presidencial. Foram renovados 130 membros da Câmara dos Deputados e 24 membros do Senado. Os legisladores eleitos tomarão posse em 10 de dezembro e permaneceram neles por quatro anos para deputados federais (2011-2015) e seis anos para os senadores (2011-2017).

Resultados presidenciaisEditar

 
Cédulas usadas na eleição.
 
A presidente Cristina votando em Río Gallegos.
Partido/Aliança Candidatos Votos %
Frente Para la Victoria Cristina Fernández de Kirchner
Amado Boudou
11.863.054 54,11%
Frente Amplio Progresista Hermes Juan Binner
Norma Elena Morandini
3.683.660 16,81%
Unión para el Desarrollo Social Ricardo Alfonsín
Javier González Fraga
2.395.056 11,14%
Compromiso Federal Alberto Rodríguez Saá
José María "Tati" Vernet
1.714.385 7,96%
Unión Popular Eduardo Duhalde
Mario Das Neves
1.264.609 5,86%
Frente de Izquierda y de los Trabajadores Jorge Altamira
Christian Castillo
497.082 2,30%
Coalición Cívica Elisa Lilita Carrió
Adrián Pérez
396.171 1,82%
Votos válidos
21.484.844 95,94%
Votos em branco
678.724 3,03%
Votos nulos
206.030 0,92%
Votos impugnados
23.921 0,11%
Total eleitores (%)
22.392.519 100%
Eleitores habilitados
28.867.124
Fonte:[62]
Tierra del FuegoSanta CruzChubutRio NegroNeuquenLa PampaBuenos AiresSanta FeCórdovaSan LuisMendozaSan JuanLa RiojaCatamarcaSaltaJujuyTucumánSantiago del EsteroChacoFormosaCorrientesMisionesEntre RiosIlhas FalklandAntártida Argentina 
Províncias argentinas e reivindicações territoriais. Para ver o artigo da província desejada, clique sobre ela no mapa.


Eleições provinciaisEditar

A maioria das províncias na Argentina realizaram eleições legislativas e executivas, em 2011. As únicas exceções são a Província de Santiago del Estero, cujos executivos e as eleições legislativas estão marcadas para 2012, e da Província de Corrientes, cuja eleição para governador está prevista para 2013. Houve eleições locais simultaneamente, no qual um número de municípios ou partes elegem funcionários municipais (vereadores) e, em alguns casos, também um prefeito (ou equivalente). Embora a maioria das eleições teve lugar no dia 23 de outubro, data das eleições gerais na Argentina, cada província definiu a data de suas eleições, em conformidade com a legislação provincial.[63]

Cada província possui uma legislação própria, e comumente cada uma possui uma diferente regra para estabelecer o eleito. Tanto na Província de Terra do Fogo, Antártida e Ilhas do Atlântico Sul e na Cidade Autônoma de Buenos Aires são exigidos pelo menos 50% dos votos, ou seja, a maioria. Em nenhum desses lugares, o candidato a governador obteve a porcentagem exigida, e por isso foram realizadas uma segunda volta (também chamado de segundo turno).

  Eleito (a)
  Reeleito (a)
  Segunda volta
  Província em que o governador eleito é da coligação governista
  Província em que o governador eleito não é da coligação governista
Província
Data
Primeiro lugar Segundo lugar Outros candidatos Fonte
Foto Candidato Votos % Foto Candidato Votos % Votos %
  Província de Catamarca
13 de março
  Lucía Corpacci 86.276 49,54%   Eduardo Brizuela del Moral 79.393 45,59% 8.472 4,86% [64]
  Província de Chubut
20 de março
  Martin Buzzi 99.369 36,71%   Carlos Eliceche 98.984 36,57% 43.074 15,96% [65]
  Província de Salta
10 de abril
  Juan Manuel Urtubey 327.596 59,57%   Alfredo Olmedo 138.132 25,12% 84.291 15,37% [66]
  Província de Rioja
29 de maio
  Luis Beder Herrera 108.275 67,20%   Julio Cesar Martínez 31.582 19,60% 21.269 13,2% [67]
  Província de Neuquén
12 de junho
  Jorge Sapag 131.990 45,41%   Martín Farizano 99.191 34,13% 38.609 13,27% [68]
  Província de Misiones
26 de junho
  Maurice Closs 372.490 69,06%   Adolfo Wipplinger 30.938 5,74% 92.732 17,20% [69]
  Província de Terra do Fogo, Antártida e Ilhas do Atlântico Sul
26 de junho
Primeira volta
  Rosana Bertone 29.750 41,42%   Fabiana Ríos 23.383 32,55% 10.444 14,5% [70]
  Província de Terra do Fogo, Antártida e Ilhas do Atlântico Sul
3 de julho
Segunda volta
  Fabiana Ríos 36.201 50,66%   Rosana Bertone 35.255 49,34% Nenhum candidato [71]
  Cidade Autônoma de Buenos Aires
10 de julho
Primeira volta
  Mauricio Macri 830.016 47,08%   Daniel Filmus 489.760 27,78% 443.357 23,73% [72]
  Província de Santa Fé
24 de julho
  Antonio Bonfatti 674.239 38,74%   Miguel Torres del Sel 612.208 35,17% 412.167 23,67% [73]
  Cidade Autônoma de Buenos Aires
31 de julho
Segunda volta
  Mauricio Macri 1.086.971 64,25%   Daniel Filmus 604.822 35,7% Nenhum candidato [72]
  Província de Córdoba
7 de agosto
  José Manuel de la Sota 747.110 42,61%   Luis Juez 517.181 29,49% 466.713 27,83% [74]
  Província de Tucumán
28 de agosto
  José Alperovich 553.469 69,89%   José Manuel Cano 117.058 14,78% 99.094 12,39% [75]
  Província de Chaco
18 de setembro
  Jorge Capitanich 367.405 66,56%   Roy Nikisch 167.147 30,28% 17.477 3,17% [76]
  Província de Río Negro
25 de setembro
  Carlos Soria 156.103 49,11%   Cesar Barbeito 114.224 35,93% 35.351 11,13% [77]
  Província de Buenos Aires
23 de outubro
  Daniel Scioli 4.165.549 55,06%   Francisco de Narváez 1.200.575 15,87% 2.199.009 29,07% [78]
  Província de Entre Ríos
23 de outubro
  Sergio Urribarri 358.184 55,93%   Atilio Benedetti 120.705 18,85% 161.534 25,22% [79]
  Província de Formosa
23 de outubro
  Gildo Insfrán 187.712 75,33%   Francisco Nazar 59.950 24,06% 1.517 0,60% [80]
  Província de Jujuy
23 de outubro
  Eduardo Fellner 160.402 57,14%   Mario Fiad 73.276 26,10% 47.056 16,76% [81]
  Província de La Pampa
23 de outubro
  Oscar Mario Jorge 77.467 39,46   Juan Carlos Marino 52.641 26,81% 38.179 19,44% [82]
  Província de Mendoza
23 de outubro
  Francisco "Paco" Pérez 367.341 37,11%   Roberto Iglesias 295.347 29,83% 196.416 6,01% [83]
  Província de San Juan
23 de outubro
  José Luis Gioja 223.150 68,17%   Roberto Gustavo Basualdo 66.475 20,31% 37.731 11,52% [84]
  Província de San Luis
23 de outubro
  Claudio Poggi 125.321 57,66%   Alfonso Hernán Verges 55.358 25,47% 36.648 16,86% [85]
  Província de Santa Cruz
23 de outubro
  Daniel Peralta 68.043 50,76%   Eduardo Costa 62.134 46,35% 3.870 2,89% [86]

Referências

  1. «Ante versiones y presiones, Randazzo ratifica el esquema electoral para 2011». 23 de novembro de 2010 
  2. «Papel do segundo turno na Argentina». 2 de agosto de 2011. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  3. «Cristina Fernández podría buscar la reelección en Argentina». Diario Informador. 22 de julho de 2010 
  4. «Cristina Kichner confirmó que irá por la reelección: "Vamos a someternos una vez más"». Infobae. 21 de junho de 2011 
  5. «Sorpresivo fallecimiento de Néstor Kirchner». Digital ABC. 27 de outubro de 2010 
  6. «"Néstor Kirchner es nuestro mejor candidato para 2011"». El Argentino. 18 de julho de 2010. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 20 de julho de 2010 
  7. «Moyano pidió por Cristina 2011 y advirtió que si Macri es presidente le "dura dos minutos"». Sigma. 9 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 14 de maio de 2013 
  8. «LA UOM APOYA A CRISTINA PARA 2011». Diario Show. 25 de novembro de 2010. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2010 
  9. «Cristina 2011, imprescindible». Telam. 3 de janeiro de 2011. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 3 de julho de 2012 
  10. «Bonafini salió a juntar firmas para la reelección de Cristina». La Política Online. 1 de novembro de 2010 
  11. «Chávez va por la reelección (pero por la de Cristina)». Notio. 30 de março de 2011 
  12. «Con Boudou, listas completas». El Argentino. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  13. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.pagina12.com.ar  Data de 20-12-2010.
  14. «Duhalde: "Represión no es matar"». La Nación (Argentina). 21 de dezembro de 2010 
  15. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.tn.com.ar [ligação inativa]
  16. «RODRIGUEZ SAA CIERRA SU CAMPAÑA MAÑANA EN LA RURAL». El Patagónico. 30 de março de 2011 
  17. «Guiños entre Carrió y Alfonsín para el 2011». La Razón. 28 de maio de 2010 
  18. ««Binner consideró "posible" un binomio con Alfonsín en 2011»». www.ambito.com . Ámbito Financiero (17-10-2010).
  19. «Ricardo Alfonsín se lanzó para el 2011 y apura los tiempos de Julio Cobos». Diario Uno. 3 de dezembro de 2010 
  20. «Presentación de Plataforma Abierta 2011». Página Oficial de Ricardo Alfonsín 2011 [ligação inativa]
  21. «San(z) se acabó la preinterna radical». Día a Día 
  22. «La UCR de Argentina consagra a Ricardo Alfonsín como su candidato presidencial». Agencia EFE 
  23. «Binner blanqueó sus ganas de ir como candidato a la presidencia.». La Capital. 14 de março de 2011 
  24. «Carrió lanzó su candidatura con fuertes críticas a la corrupción». Clarín. 13 de dezembro de 2010 
  25. «Elisa Carrió habló de sus propuestas en una conferencia en la Universidad de Belgrano». Página Oficial de la Coalición Cívica. Dezembro de 2010. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 19 de outubro de 2007 
  26. «Altamira, candidato a presidente del Frente». Prensa Obrera. 28 de abril de 2011. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 2 de maio de 2011 
  27. «La izquierda presentó su fórmula». Página/12. 28 de abril de 2011 
  28. «Das Neves se baja de la carrera presidencial en medio de la pelea electoral de Chubut». www.perfil.com , Diario Perfil, 2 de abril de 2011
  29. «Das Neves confirmó que será compañero de fórmula de Duhalde». Infobae. 6 de junho de 2011 
  30. «Sanz se baja de la presidencial y deja a Alfonsín como unico candidato de la UCR». www.clarin.com , Clarin, 7 de abril de 2011
  31. «Pino Solanas dijo que "seguramente" lo va a acompañar en la fórmula Graciela Ocaña». Telam. 2 de maio de 2011. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 3 de julho de 2012 
  32. «El alcalde de Buenos Aires dice estar "absolutamente listo" para postularse a las presidenciales en 2011». Europa Press. 1 de fevereiro de 2010 
  33. «Efecto Chubut: Macri ordenó enfriar los contactos con el PJ». Clarín. 27 de março de 2011 
  34. «Felipe Solá rompió con el PF y formó su propio partido». El Recado. 6 de março de 2011 
  35. «Felipe Solá descartó pelear por la Casa Rosada». La Nación. 11 de junho de 2011 
  36. «Néstor Kirchner con 78 puntos de buena imagen». Página/12. 30 de outubro de 2010 
  37. ««LA MUERTE DE NÉSTOR KIRCHNER REVITALIZÓ EL KIRCHNERISMO»» (PDF). demo.ibarometro.com. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original (PDF) em 14 de maio de 2013  Ibarómetro, 29 de octubre de 2010.
  38. ««Los números de las encuestas nacionales hoy»». www.elurbanoweb.com.ar [ligação inativa] El Urbano, 26 de noviembre de 2010.
  39. ««Para Equis Cristina K gana en la primera vuelta, con el 44%»». www.ramallociudad.com.ar. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 13 de janeiro de 2016  Ramallo Ciudad, 23 de diciembre de 2010.
  40. ««Cristina Kirchner en primera vuelta»». www.diario1588.com [ligação inativa] Diario1588, 23 de diciembre de 2010.
  41. ««Cristina con amplias ventajas para quedarse con la Presidencia de la Nación»». informecorrientes.com  Informe Corrientes, 4 de enero de 2011.
  42. ««Cristina se impone como referente para resolver problemas que preocupan a la ciudadanía»». www.telam.com.ar. Consultado em 26 de agosto de 2011. Arquivado do original em 3 de julho de 2012  Télam, 12 de enero de 2011.
  43. ««Cristina Fernández lidera la intención de voto en Argentina, según un sondeo»». www.elmundo.es  El Mundo (España), 18 de febrero de 2011.
  44. a b ««Para las encuestas, ni siquiera hay campaña»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 4 de Abril de 2011.
  45. ««Donde la oposición aún no despega»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 12 de Junio de 2011.
  46. ««CFK decae en el primer sondeo fuerte»». www.agenciacna.com  agenciacna.com, 14 de junio de 2011.
  47. ««Intenciones de primera vuelta»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 26 de Junio de 2011.
  48. a b «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.eldia.com.ar «Dos encuestas ubican a Alfonsín segundo detrás de Cristina»] El Día, 3 de Agosto de 2011.
  49. «Título ainda não informado (favor adicionar)». multimediosprisma.com «ENCUESTAS: Tres sondeos dan ganador en primera vuelta a Cristina»] Multimedios Prisma, 3 de Agosto de 2011.
  50. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.perfil.com «CFK duplica a Ricardo Alfonsín en la intención de voto»] Perfil, 7 de Agosto de 2011.
  51. ««En las vísperas»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 7 de Agosto de 2011.
  52. ««Binner, segundo»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 28 de Agosto de 2011.
  53. ««Con una diferencia que se consolida»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 5 de Septiembre de 2011.
  54. ««Elecciones 2011: Cristina crece y Hermes Binner está segundo en las encuestas»». www.unosantafe.com.ar. Consultado em 22 de setembro de 2011. Arquivado do original em 14 de maio de 2013  Uno Santa Fe, 9 de Septiembre de 2011.
  55. ««Análisis y expectativas»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 11 de Septiembre de 2011.
  56. ««Un horizonte que cambia»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 2 de octubre de 2011.
  57. ««Con pronóstico de una diferencia más amplia»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 6 de octubre de 2011.
  58. ««Estudio de contexto sociopolítico: total país»» (PDF). www.infobae.com  Infobae, 14 de octubre de 2011.
  59. ««La última encuesta antes de las elecciones ubica a Carrió por debajo de Altamira»». www.infobae.com  Infobae, 14 de octubre de 2011.
  60. ««Cuando el apoyo a la gestión se mide en votos»». www.pagina12.com.ar  Página|12, 15 de Octubre de 2011.
  61. a b «Ministerio del Interior». www.elecciones.gov.ar 
  62. «Ministerio del Interior». www.elecciones2011.gob.ar. Consultado em 27 de outubro de 2011. Arquivado do original em 3 de novembro de 2011 , «Página 12». www.pagina12.com.ar 
  63. «Elecciones 2011.». www.elecciones.gov.ar 
  64. «Poder Judicial de Catamarca». www.fiscaldemesa.com.ar. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 27 de agosto de 2011 
  65. «Tribunal Electoral de Chubut». electoral.juschubut.gov.ar 
  66. «Tribunal Electoral de Salta». www.electoralsalta.gov.ar. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 2 de setembro de 2011 
  67. «Tribunal Superior de Justiça de la Rioja». www.juslarioja.gov.ar 
  68. «Resultados de Neuquen». resultados2011.neuquen.gov.ar 
  69. «Electoral Missiones» (PDF). www.electoralmisiones.gov.ar 
  70. «Tierra del Fuego: Resultados». www.fiscaldemesa.com.ar 
  71. «Tierra del Fuego Segunda Volta». www.fiscaldemesa.com.ar. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 6 de setembro de 2011 
  72. a b «Gobierno de Buenos Aires». www.eleccionescaba2011.gob.ar. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 24 de julho de 2011 
  73. «Tribunal Electoral de Santa Fe». www.tribunalelectoral.santafe.gov.ar 
  74. «Justiça Electoral de Córdoba». www.eleccordoba2011.com.ar. Consultado em 30 de agosto de 2011. Arquivado do original em 15 de setembro de 2011 
  75. «Tribunal Electoral de Tucumán». www.datosoficiales.com 
  76. «Tribunal Electoral de la Provincia del Chaco». escrutinio.electoralchaco.gov.ar 
  77. «Elecciones de autoridades Municipales Resistencia 2011 - Provincia de Chaco». www.datosoficiales.com. Consultado em 8 de novembro de 2011. Arquivado do original em 28 de setembro de 2011 
  78. «Fiscal de mesa - Buenos Aires: Resultados provinciales.». www.fiscaldemesa.com.ar 
  79. «Elecciones Nacionales 2011 - Gobernador - Entre Rios». www.elecciones2011.gov.ar 
  80. «Elecciones en Formosa». elecciones.formosa.gob.ar 
  81. «Elecciones Nacionales 2011 - Gobernador - Jujuy». www.elecciones2011.gov.ar 
  82. «La Pampa: Resultados provinciales - Fiscal de Mesa.». www.fiscaldemesa.com.ar 
  83. «Mendoza: Resultados provinciales - Fiscal de Mesa.». www.fiscaldemesa.com.ar 
  84. «San Juan: Resultados provinciales - Fiscal de Mesa.». www.fiscaldemesa.com.ar 
  85. «San Luis: Resultados provinciales - Fiscal de Mesa.». www.fiscaldemesa.com.ar 
  86. «Santa Cruz: Resultados provinciales - Fiscal de Mesa.». www.fiscaldemesa.com.ar