Abrir menu principal

Eleições gerais no Brasil em 1958

Em 3 de outubro de 1958 (sexta-feira) foram realizadas eleições gerais no Brasil onde foram renovados onze governos estaduais, um terço do Senado Federal, toda a Câmara dos Deputados e as Assembléias Legislativas.

Governadores eleitos em 1958Editar

Senadores eleitos em 1958Editar

Em 1960 o senador Taciano Melo foi escolhido conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal e renunciou ao mandato em janeiro de 1961 sendo marcada uma eleição suplementar para o mês de junho onde o ex-presidente Juscelino Kubitschek foi eleito senador por Goiás tendo José Feliciano Ferreira como suplente, embora este último tenha conquistado um mandato efetivo em 1962. Juscelino Kubitschek teve o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos em 8 de junho de 1964. (cf. Almanaque Abril 1986, p. 110)

Bandeira Estado Sigla Eleitos em 1958 Partido Suplentes
  Alagoas AL Silvestre Péricles PST Nelson Tenório
  Amazonas AM Vivaldo Lima Filho PTB Josué de Souza
  Bahia BA Otávio Mangabeira[18] UDN Carvalho Filho
  Ceará CE Menezes Pimentel PTB Valdemar Alcântara
  Distrito Federal DF Afonso Arinos[19] UDN Venâncio Igrejas
  Espírito Santo ES Jefferson de Aguiar PSD Messias Chaves
  Goiás GO Taciano Melo[20] PSD Sócrates Diniz[21]
  Maranhão MA Eugênio de Barros PSD Públio de Melo[22]
  Mato Grosso MT Correia da Costa[23] UDN Paulino Lopes da Costa
  Minas Gerais MG Milton Campos UDN José de Faria Tavares
  Pará PA Alexandre Assunção[24] PSP Martins Júnior
  Paraíba PB Rui Carneiro PSD Salviano Leite
  Paraná PR Abilon Naves[25] PTB Nelson Maculan
  Pernambuco PE Barros Carvalho[26] PTB Antônio Baltar
  Piauí PI Joaquim Parente UDN José Vitorino Correia
  Rio de Janeiro RJ Miguel Couto Filho PTB Bandeira Vaughan
  Rio Grande do Norte RN Dix-Huit Rosado UDN José Bezerra de Araújo
  Rio Grande do Sul RS Guido Mondin PTB Geraldo Lindgren
  Santa Catarina SC Irineu Bornhausen UDN Brasílio Celestino
  São Paulo SP Benedito Calazans UDN Francisco Glicério
  Sergipe SE Heribaldo Vieira UDN Albino Fonseca

Câmara dos Deputados em 1958Editar

Partidos Cadeiras
PSD 115
UDN 70
PTB 66
PSP 25
PR 17
PDC 7
PTN 7
Outros Partidos 19
Total 326

Referências

  1. Renunciou ao mandato de deputado federal para assumir o governo.
  2. Eleito deputado federal pelo Território Federal do Rio Branco em 1962 sem que precisasse renunciar ao cargo.
  3. Seria reeleito para o cargo em 1962.
  4. Renunciou ao mandato em 10 de outubro de 1959.
  5. Eleito para um mandato de dois anos a ser renovado em 1960.
  6. Afastado em 26 de novembro de 1964 após intervenção decretada pelo governo militar.
  7. Eleito deputado federal em 1958 renunciou ao cargo para assumir o mandato de vice-governador, porém renunciou ao ser eleito deputado federal em 1962.
  8. Precedido por José Sette Câmara Filho, foi o primeiro governador da Guanabara a ser eleito pelo voto direto.
  9. Deposto pelos militares em 15 de junho de 1964.
  10. Idem nota anterior.
  11. Eleito vice-governador do estado em 1955, foi governador da Paraíba entre 4 de janeiro de 1958 e 18 de março de 1960, quando renunciou para disputar um novo mandato.
  12. Ministro da Agricultura (27 de novembro de 1965 a 12 de agosto de 1966) do governo Castelo Branco, teve que renunciar ao cargo.
  13. Eleito deputado federal em 1962.
  14. Faleceu em decorrência de um acidente aéreo em 1961 em Petrópolis.
  15. Renunciou ao mandato em 1962 para concorrer ao Senado Federal mas foi derrotado. Em seu lugar assumiu José de Carvalho Janotti, presidente da Assembléia Legislativa.
  16. Eleito deputado federal pela Guanabara em 1962 sem que precisasse renunciar ao cargo.
  17. Foi cassado pelo AI-3 em 12 de outubro de 1966.
  18. Faleceu no Rio de Janeiro em 29 de novembro de 1960.
  19. Esta eleição foi a última antes da inauguração de Brasília. A partir de 21 de abril de 1960 passou a representar o estado da Guanabara. Posteriormente foi Ministro das Relações Exteriores no governo Jânio Quadros (31 de janeiro a 25 de agosto de 1961) e no governo João Goulart durante o gabinete parlamentarista de Brochado da Rocha.
  20. Devido a um acordo político renunciou ao mandato em 1961 de modo a permitir a eleição de Juscelino Kubitschek ao senado por Goiás.
  21. Ver nota anterior.
  22. Eleito suplente do senador Assis Chateaubriand em 1955.
  23. Eleito governador de Mato Grosso em 1960.
  24. Em 21 de junho de 1959 houve uma nova eleição para o cargo e assim foi vencedor Lobão da Silveira que teve Mário Pinotti como suplente.
  25. Faleceu em Curitiba em 12 de dezembro de 1959.
  26. Ministro da Agricultura (entre 6 de junho de 1960 e 31 de janeiro de 1961) no governo Juscelino Kubitschek.

Ligações externasEditar