Eleições gerais no Reino Unido em 1983

As eleições gerais no Reino Unido em 1983 foram realizadas a 9 de junho para eleger os 650 assentos da Câmara dos Comuns do Reino Unido.

Eleições gerais no Reino Unido em 1983
 

1979 ← Reino Unido → 1987


9 de junho de 1983
Margaret Thatcher (1983).jpg Michael Foot (1981).jpg
DavidSteel1987 cropped.jpg
Roy Jenkins 1977b.jpg
Candidato Margaret Thatcher Michael Foot David Steel (Lib)
Roy Jenkins (SDP)
Partido Conservador Trabalhista Aliança
Natural de Huntingdon Blaenau Gwent Tweeddale, Ettrick & Lauderdale (Steel)
Glasgow Hillhead (Jenkins)
Assentos no parlamento 397
Aumento 58
209
Baixa 60
23
Aumento 12
Votos 13 012 316 8 456 934 7 780 949
Porcentagem 42,4%
Baixa 1,5%
27,6%
Baixa 9,3%
25,4%
Aumento 11,6%
UK General Election, 1983.svg
Mapa dos resultados por círculo eleitoral.
Azul - Conservadores
Vermelho - Trabalhistas
Laranja - Aliança SDP–Liberal

Primeiro-ministro do Reino Unido

Eleito
Margaret Thatcher
Conservador

O grande vencedor das eleições foi o Partido Conservador, liderado por Margaret Thatcher, que, não só manteve a maioria absoluta que detinha, como ampliou-a, conquistado 397 assentos, mais 58 em relação a 1979[1]. Apesar da forte impopularidade inicial com o programa económico seguido por Thatcher, culminando em forte recessão e a um recorde de mais de três milhões de britânicos desempregados[2], a vitória na Guerra das Malvinas deu uma enorme popularidade aos conservadores, culminando numa vitória esmagadora nestas eleições[3].

O Partido Trabalhista, liderado por Michael Foot, sofreu um resultado desastroso, perdendo mais de 60 parlamentares e caindo mais de 9% nos votos em relação a 1979[4]. Foot, próxima da ala mais radical dos trabalhistas, formou um programa eleitoral, que foi descrito como a "Carta mais longa de suicídio", pela imprensa britânica, e, muito contribuiu para a queda dos trabalhistas[5]. Importa referir que o radicalismo de Foot criou divisões profundas no partido, culminando na fundação do Partido Social-Democrata, formado por membros da ala moderada dos trabalhistas, como Roy Jenkins[6].

Os recém-formadas social-democratas rapidamente entraram numa aliança eleitoral com o Partido Liberal e, inicialmente, tiveram um sucesso enorme nas sondagens, com muitas a indicaram uma forte possibilidade de venceram estas eleições, mas, após a Guerra das Malvinas, a aliança caiu em intenção dos votos[7]. Nas eleições, a aliança entre liberais e social-democratas conseguiu mais de 25% dos votos, mas, por culpa do sistema eleitoral britânico, ficou-se com 23 parlamentares, um resultado frustrante, tendo em contas as enormes expectativas iniciais[8].

Após as eleições, Thatcher continuou a liderar o governo do Reino Unido[9].

Resultados oficiaisEditar

Partido Votos % +/- Parlamentares +/-
Partido Conservador 13 012 316 42,4  1,5
397 / 650
 58
Partido Trabalhista 8 456 934 27,6  9,3
209 / 650
 60
Partido Liberal 4 273 146 13,9  0,1
17 / 650
 6
Partido Social Democrata 3 521 624 11,5 Novo
6 / 650
Novo
Aliança Liberal - SDP 7 794 770 25,4  11,6
23 / 650
 12
Partido Nacional Escocês 331 975 1,1  0,5
2 / 650
 
Partido Unionista do Ulster 259 952 0,8  
11 / 650
 6
Partido Unionista Democrático 152 749 0,5  0,3
3 / 650
 
Partido Social Democrata e Trabalhista 137 012 0,4  
1 / 650
 
Plaid Cymru 125 309 0,4  
2 / 650
 
Sinn Féin 102 701 0,3 Novo
1 / 650
Novo
Partido Popular Unionista do Ulster 22 861 0,1  
1 / 650
 
Outros 264 730 1,0
0 / 650
Total 30 661 309 100
650 / 650
 15
Eleitorado/Participação 42 175 116 72,7  3,3

Referências

  Este artigo sobre o Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.