Eleições legislativas na Irlanda do Norte (2007)

Flag of the United Kingdom.svg

As terceiras eleições para a Assembleia do Irlanda do Norte decorreram no dia 7 de Março de 2007, quando os seus 108 elementos foram eleitos. As eleições viram a confirmação do acordo de Agreement e os dois maiores partidos, o Democratic Unionist (DUP) e o Sinn Féin, aumentaram a sua base de apoio, com quedas do apoio no Ulster Unionist Party (UUP) e no Social Democratic and Labour (SDLP).

BackgroundEditar

Nas Eleições Legislativas de 2003 o DUP e o Sinn Féin tornaram-se os maiores partidos e por isso não havia esperança que a assembleia votasse para o primeiro-ministro e vice-primeiro-ministro. Então, o Governo Britânico não restaurou o poder à Assembleia e os membros eleitos nunca reuniram. Ao contrário, começaram uma prolongada série de negociações. Durante essas negociações uma assembleia separada legalmente, conhecida como A Assembleia consistindo nos membros eleitos em 2003 foi fundada em Maio de 2006[1] para permitir que os partidos negociassem e se preparassem para governar.

Em Outubro de 2006, os governos e os partidos, incluindo o DUP e o Sinn Fein assinaram o acordo de St Andrews e formaram uma nova assembleia transitória, que entrou em funções no dia 24 de Novembro de 2006.[2] O Governo concordou em convocar eleições e a assembleia transitória foi dissolvida no dia 30 de Janeiro de 2007, após o que começou a campanha.[3]

A campanhaEditar

Os maiores partidos a apresentarem-se foram o Democratic Unionist Party (DUP) e o Ulster Unionist Party (UUP) no lado Unionista, e o Sinn Féin e o Social Democratic and Labour Party (SDLP) no lado Nacionalista.

A Alliance Party of Northern Ireland, que se auto-intitula de não-sectária, também concorreu às eleições, assim como partidos menores, como o Progressive Unionist Party, o Green Party e o UK Unionist Party.

Entre os outros partidos, os Conservatives nomearam nove candidatos e o Workers Party nomeou seis. Houve ainda quatro candidatos pelo Make Politicians History e dois pelo Socialist Party.

Concorreram também seis candidatos alinhados com o Republican Sinn Féin. Como este partido optou por não se registar como tal, o seu nome não apareceu nos boletins ao lado dos seus candidatos.[4]

Uma das questões-chave nas eleições relacionou-se com o facto de os dois partidos principais terem obtido a maior parte dos lugares na Assembleia. O acordo de Andrews Agreement define que o primeiro-ministro deve ser escolhido pelo partido mais votado e o vice-primeiro-ministro deve sair do segundo partido mais votado;[5] De qualquer forma, a lei define que o maior partido faz a nomeação independentemente da designação.[6]

ResultadosEditar

O DUP tornou-se no maior partido na Assembleia, obtendo ganhos significativos em relação ao UUP. O Sinn Féin conseguiu ganhos sobre o SDLP e foi o maior partido entre os Nacionalistas. A não-sectária Alliance Party conseguiu sete lugares (ganhou um), enquanto o Progressive Unionist Party e o Independente Dr. Kieran Deeny mantiveram os seus lugares. Junta-se-lhes o Green Party, o qual conseguiu o seu primeiro mandato na Assembleia.[7]

Partido Líder Candidatos Assentos Var. desde 2003 Votos de 1ª Pref. Votos de 1ª Pref. (%) Var. desde 2003 Lugares Executivos (esperados)
Democratic Unionist Ian Paisley 46 36 +6 207.721 30,1 +4,4 5
Sinn Féin Gerry Adams 37 28 +4 180.573 26,2 +2,6 4
Social Democratic and Labour Mark Durkan 35 16 -2 105.164 15,2 -1,8 1
Ulster Unionist Reg Empey 38 18 -9 103.145 14,9 -7,7 2
Alliance (NI) David Ford 18 7 +1 36.139 5,2 +1,5 0
Independent N/A 20 1 ±0 19.471 2,8 +1,9 0
Green (NI) John Barry 13 1 +1 11.985 1,7 +1,3 0
UK Unionist Bob McCartney 13 0 -1 10.452 1,5 +0,7
Progressive Unionist Dawn Purvis 3 1 ±0 3.822 0,6 -0,6 0
Conservative David Cameron 9 0 - 3.457 0,5 +0,3
Republican Sinn Féin (não inscrito enquanto tal) Ruairí Ó Brádaigh 6 0 - 2.522 0,4 N/A
Socialist Environmental Goretti Horgan 1 0 - 2.045 0,3 -0,1
UK Independence Nigel Farage 1 0 - 1.229 0,2 N/A
Workers Party John Lowry 6 0 - 975 0,1 -0,1
People Before Profit Gordon Hewitt 1 0 - 744 0,1 N/A
Socialist Party Peter Hadden 2 0 - 473 0,1 +0,1
Make Politicians History Ronnie Carroll 4 0 - 221 0,0 N/A
Labour (NI) Malachi Curran 1 0 - 123 0,0 N/A
Procapitalism Samuel Charles Smyth 1 0 - 22 0,0 N/A

Tomada de posseEditar

Os dois líderes rivais de longa data, o protestante Ian Paisley e o católico Martin McGuinness, tomaram posse como primeiro-ministro e vice-primeiro-ministro no novo executivo da Irlanda do Norte no dia 8 de Maio de 2007, mostrando confiança e vontade de cooperação.[8]

Fontes

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 1 de abril de 2007. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2008 
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 1 de abril de 2007. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2011 
  3. http://news.bbc.co.uk/1/hi/northern_ireland/6154484.stm
  4. http://news.bbc.co.uk/1/hi/northern_ireland/6270535.stm
  5. St Andrews Agreement 2006 Annex A Arquivado em 18 de dezembro de 2007, no Wayback Machine.: Paragraph 9 Practical changes to the operation of the institutions
  6. Northern Ireland (St Andrews Agreement) Act 2006 Arquivado em 6 de fevereiro de 2007, no Wayback Machine. 16C(C) (page 11) ".. nominating officer of the largest political party"
  7. http://news.bbc.co.uk/1/hi/northern_ireland/6363019.stm
  8. http://tsf.sapo.pt/online/internacional/interior.asp?id_artigo=TSF180151[ligação inativa]