Eleição municipal de Teresina em 1988

As eleições municipais em Teresina em 1988 aconteceram em 15 de novembro, como parte das eleições municipais no Brasil naquele ano nos 23 estados e nos territórios federais do Amapá e Roraima.[1] No Piauí foram eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em 118 municípios. Foi a última eleição municipal em que não vigiam os dois turnos. Cinco nomes disputaram a prefeitura, mas a vitória coube ao deputado federal Heráclito Fortes, ora no exercício de seu terceiro mandato consecutivo.[2] Foi a segunda e última vitória do PMDB na disputa pela prefeitura da capital piauiense.

1985 Brasil 1992
Eleições municipais em Teresina Teresina em 1988
15 de novembro de 1988
(Turno único)
Heraclito Fortes.jpg Átila Lira em março de 2017.jpg
Candidato Heráclito Fortes Átila Lira
Partido PMDB PFL
Natural de Teresina, PI Piripiri, PI
Vice Pedro Augusto Fernando Monteiro
Votos 66.880 50.717
Porcentagem 41,13% 31,19%


Teresina.PNG
Prefeito(a) da cidade

Natural de Teresina o novo prefeito é funcionário público federal e começou sua vida pública em 1971 como oficial de gabinete do vice-governador de Pernambuco José Antônio Barreto Guimarães, ocupando cargos de assessoria no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária e na Empresa Brasileira de Transportes Urbanos. Filiado à ARENA foi eleito suplente de deputado federal em 1978 e após passar pelo PP ingressou no PMDB e foi efetivado com a morte de Pinheiro Machado e reeleito em 1982 e 1986 sendo até então um aliado de Alberto Silva. Eleito terceiro secretário da Câmara dos Deputados na gestão Ulysses Guimarães,[3] Heráclito Fortes integrou uma dissidência partidária liderada pelo prefeito Wall Ferraz em oposição ao governador Alberto Silva embora fossem todos do PMDB. Em razão disso o titular do Palácio de Karnak apoiou a deputada federal Myriam Portela (PDS).

Mesmo após três anos o papel de grande rival do PMDB continuou às mãos de Átila Lira, economista e administrador de empresas nascido em Piripiri. Formado pela Universidade Federal de Minas Gerais com pós-graduação em Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas,[4] teve uma passagem pelo MDB antes de ingressar na ARENA. Egresso do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP) e depois inspetor da Superintendência Nacional de Abastecimento (SUNAB), foi secretário de Trabalho e Ação Social nos governos de Dirceu Arcoverde e Djalma Veloso e presidiu o Instituto de Assistência Médica e Hospitalar e a Fundação Estadual do Trabalho no governo Lucídio Portela. Secretário de Educação e presidente da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Educação do Estado do Piauí (FADEP), atual Universidade Estadual do Piauí, no governo Hugo Napoleão, trocou o PDS pelo PFL e embora tenha perdido a eleição para prefeito de Teresina em 1985, conquistou um mandato de deputado federal em 1986.

Em 1982 os assentos na Câmara Municipal de Teresina eram dezenove e aumentaram para vinte e um, contagem que vigorou até 2008.

Resultados da eleição para prefeitoEditar

Na relação a seguir os percentuais refletem o número de votos válidos, sendo que houve ainda 20.486 votos em branco (10,62%) e 9.762 votos nulos (5,06%) calculados sobre o comparecimento de 192.859 eleitores com 162.611 votos nominais assim distribuídos:

Candidato a prefeito(a) de Teresina
Candidato a vice-prefeito(a) Número Coligação Votação Percentual
Heráclito Fortes
PMDB
Pedro Augusto
PMDB
15
PMDB, PSB, PS
66.880
41,13%
Átila Lira
PFL
Fernando Monteiro
PFL
25
PFL, PSC, PL
50.717
31,19%
Myriam Portela
PDS
Manoel Domingos
PCdoB
11
PDS, PCdoB, PCB, PSDB, PDC
17.576
10,81%
Antônio Neto
PT
Roberto John
PT
13
PT (sem coligação)
14.003
8,61%
Deoclécio Dantas
PDT
Joel Silva
PDT
12
PDT (sem coligação)
13.435
8,26%
  Eleito(a)

Vereadores eleitosEditar

Dentre os dezenove vereadores eleitos em 1982 apenas cinco renovaram o mandato, embora o número de vagas tenha subido para vinte e uma. O PMDB (com oito) e o PFL (com seis) conquistaram as maiores bancadas, embora o primeiro tenha perdido metade dos lugares conquistados há seis anos.[5][6]

No quatriênio 1989-1993 presidiram a Câmara Municipal os vereadores Renato Berger (1989-1991) e Barros Júnior (1991-1993).

Candidato eleito Partido Votação Cidade onde nasceu Unidade federativa
Antônio José Medeiros PT 2.784 União   Piauí
Olésio Coutinho PMDB 2.736 Campo Maior   Piauí
Alcenor Almeida PMDB 2.564 Palmeirais   Piauí
Sena Brasil PMDB 2.522   Piauí
Assis Machado PMDB 2.147 Teresina   Piauí
Irmani Veloso PFL 1.630   Piauí
Augusto Basílio PMDB 1.572 Teresina   Piauí
Luís Carlos da Silva PMDB 1.539 Regeneração   Piauí
Castro Aguiar PMDB 1.446   Piauí
Edson Melo PMDB 1.409 Teresina   Piauí
Pedro Alcântara PFL 1.365   Piauí
Vieira Toranga PFL 1.330   Piauí
Renato Berger PFL 1.305 São Paulo   São Paulo
Antônio Mariano PFL 1.303 Teresina   Piauí
Miranda Dantas PDC 1.300 Bertolínia   Piauí
Nilson Cavalcante PFL 1.266 Mirador   Maranhão
Ursulino Neto PDS 1.191 Teresina   Piauí
Barros Júnior PDC 1.140   Piauí
Noé Mendes PDS 1.080 Simplício Mendes   Piauí
Geraldinho Oliveira PDC
963
  Maranhão
Valdinar Pereira PDT
946
Teresina   Piauí

Referências

  1. Não houve eleições municipais no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Heráclito Fortes». Consultado em 29 de setembro de 2013 
  3. Conservadores dominam mesas no Congresso (online). Folha de S. Paulo, 04/02/1987. Página visitada em 29 de setembro de 2013.
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Átila Lira». Consultado em 29 de setembro de 2013 
  5. «Banco de dados do TRE Piauí». Consultado em 27 de abril de 2012. Arquivado do original em 29 de setembro de 2008 
  6. «Banco de dados do TSE sobre as eleições de 2004». Consultado em 27 de abril de 2012 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.