Abrir menu principal

Wikipédia β

Emmanuele Del Vecchio

Emmanuele Del Vecchio (São Vicente, 24 de setembro de 1934Santos, 7 de outubro de 1995), conhecido como Del Vecchio, foi um grande futebolista Ítalo-brasileiro.

Del Vecchio
Informações pessoais
Nome completo Emanuelle Del Vecchio
Data de nasc. 24 de setembro de 1934
Local de nasc. São Vicente,(SP),  Brasil
Nacionalidade Brasil Itália Ítalo-brasileiro
Falecido em 07 de outubro de 1995 (61 anos)
Informações profissionais
Posição ex-Atacante e ex-Treinador
Clubes de juventude
1950-1954 Brasil Santos
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1953-1957
1957-1958
1958-1961
1961-1962
1962-1963
1963-1964
1964-1967
1967-1968
1968-1970
Brasil Santos
Itália Verona
Itália Napoli
Itália Calcio Padova
Itália Milan
Argentina Boca Juniors
Brasil São Paulo
Brasil Bangu
Brasil Atlético-PR
00180 00(105)
0027 00(13)
0068 00(27)
0021 00(08)
0009 00(03)
0006 00(03)
0069 00(34)
0008 00(02)
00?? 00(??)
Seleção nacional
1956-1957 Brasil Seleção Brasileira 0008 000(1)
Times/Equipas que treinou
1984-1985
1986
Brasil Santos
Brasil Inter de Limeira

Índice

BiografiaEditar

Descendente de italianos, Emmanuele Del Vecchio (conhecido no Brasil como Del Vecchio) foi um grande futebolista. Rápido, raçudo, técnico, com visão de jogo privilegiada e goleador implacável. Um jogador completo. Atuou por grandes clubes do Brasil e do Mundo.

Atuou nas categorias de base entre 1951 e 1953 e começou sua carreira profissional no Santos F.C. no mesmo ano. A partida de estreia no Peixe aconteceu no dia 03 de outubro de 1953, no Estádio Parque Antarctica - casa da Sociedade Esportiva Palmeiras[1] -, na vitória diante do Comercial F.C., pelo placar de 2 a 0, com um gol dele e outro de Orlando, que tinha o apelido de “Orlando Pingo de Ouro”.

Foi bi-campeão do Campeonato Paulista de Futebol dos anos de 1955 (nessa ocasião, foi artilheiro do campeonato, com 23 gols) e 1956, tirando o clube de uma fila de 20 anos sem título (1935-1955), onde era um dos principais jogadores do time ao lado de Pepe e Pagão. Poucos anos mais tarde, esse mesmo Santos viria a ser prestigiado no mundo inteiro e considerado por muitos como o maior escrete da história do futebol. Com a camisa do Alvinegro Praiano, entre 1953 e 1957 (e, posteriormente, em 1965-66), marcou 105 gols, sendo o 18º artilheiro da história do clube. Através do Santos, chegou à Seleção Brasileira[2], onde atuou pela mesma em 8 jogos, entre 1956 e 1957, marcando 1 gol, contra a Seleção de Portugal. Também esteve entre os selecionados para a disputa da Copa América, na edição do ano de 1956, que teve como anfitrião o Uruguai.

Ainda pela Canarinho, venceu a Copa Roca (atual Superclássico das Américas) no ano de 1957 - nessa ocasião, um entrevero entre Del Vecchio e um defensor argentino resultou numa forte entrada do atacante brasileiro, e acabou culminando em uma confusão generalizada entre os jogadores de Brasil e Argentina.

De temperamento forte, Del Vecchio foi negociado pela diretoria do Santos após confusão em uma das cabines de rádio da Vila Belmiro, em um amistoso contra o Benfica, no dia 23 de julho de 1957. O centroavante tentou agredir o radialista Ernani Franco, após fortes críticas do mesmo durante a transmissão. Na janela de transferência, foi negociado com o Verona, onde atuou durante a temporada de 1957-1958. Nesse período, num Verona 5x3 Sampdoria, o atacante brasileiro marcou 5 gols numa mesma partida. Recorde de gols numa mesma partida do Campeonato Italiano de Futebol - e que permanece até os dias atuais.

No meio do ano de 1958, transferiu-se para o Napoli, onde teve excelente passagem nas três temporadas em que atuou pelo clube, exceto nas vezes em que era punido pela diretoria por brigas com companheiros de clube e quando agrediu com um soco o treinador Amedeo Amadei, e por brigas - pelos motivos mais banais - com o dirigente Achille Lauro[3]. Vestiu a 10 no clube napolitano, número que viria a ser aposentado por Diego Armando Maradona[4] décadas mais tarde. Sua carreira nos 'partenopei' viria a acabar quando o clube não vinha bem na temporada 1961-1962, e nas rodadas finais do Campeonato Italiano daquela temporada, os 'tifosi azzurri' lançaram pedras e garrafas contra o gramado do Stadio San Paolo. Del Vecchio não exitou em devolvê-las ao público, o que deixou a torcida muito furiosa. Ali acabara sua história no futebol do sul da Bota.

Entre 1961 e 1962, atuou pelo Padova. Em novembro do mesmo ano, foi contratado pelo Milan (melhor time italiano à época), onde se sagrou campeão da Copa dos Campeões da Europa[5] da temporada de 1962-1963.

Na temporada seguinte, jogou pelo Boca Juniors. E também atuou durante uma temporada pela equipe portenha.

De volta ao Brasil em 1964, assinou contrato com o São Paulo Futebol Clube. Permaneceu no clube durante três temporadas, e no período de 1964 e 1967, colecionou número como 69 jogos, 35 vitórias, 17 empates, 17 derrotas, com um total de 34 gols.

Já veterano, teve breve passagem pelo Bangu. Encerrou a carreira no Atlético Paranaense, em 1970, onde atuou ao lado de outros craques consagrados como Djalma Santos e Bellini.

Não teve tanto êxito na carreira de treinador. Em 1984, treinou o Santos. Em 1986, treinou a Inter de Limeira.

Veio a falecer anos depois, em 1995, após se envolver em uma briga com um ex-namorado de sua filha. Del Vecchio foi baleado, mas sobreviveu. Resistiu por um tempo, mas acabou falecendo no dia 07 de outubro de 1995, quando a infecção decorrente dos disparos se alastrou. Veio a óbito após um tempo internado na Santa Casa de Santos. No entanto, o velório ocorreu no mesmo local de seu nascimento, em São Vicente.

Del Vecchio deixou três filhos; Victor, Cesar e Maria.

TítulosEditar

Santos
Milan

Prêmios IndividuaisEditar

Referências

  1. «Sociedade Esportiva Palmeiras». Wikipédia, a enciclopédia livre. 20 de outubro de 2016 
  2. «Seleção Brasileira de Futebol». Wikipédia, a enciclopédia livre. 21 de outubro de 2016 
  3. «Profili azzurri: Emanuele Del Vecchio». Consultado em 21 de março de 2017 
  4. «Diego Maradona». Wikipédia, a enciclopédia livre. 21 de outubro de 2016 
  5. «Liga dos Campeões da UEFA». Wikipédia, a enciclopédia livre. 20 de setembro de 2016 
   Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.