Abrir menu principal

Friedrich Engels

Cientista social alemão , autor, teórico político e filósofo
(Redirecionado de Engels)
Friedrich Engels
Nome completo Friedrich Engels
Nascimento 28 de novembro de 1820
Barmen, Renânia, Reino da Prússia (hoje Wuppertal, Renânia do Norte-Vestfália,  Alemanha)
Morte 5 de agosto de 1895 (74 anos)
Londres, Inglaterra, Reino Unido
Nacionalidade prussiano
Progenitores Mãe: Elisabeth Franziska Mauritia von Haar (1797-1873)
Pai: Friedrich Sr. (1796-1860)
Cônjuge Mary Burns (1821-1863)
Lizzie Burns (1827-1878)
Ocupação Filósofo
Escola/tradição Marxismo (cofundador, junto com Marx)
Principais interesses Filosofia política, Política, Economia, Luta de Classes, Evolucionismo
Ideias notáveis Dialética da natureza, materialismo histórico, mais-valia, ideologia, alienação, luta de classes
Assinatura
Friedrich Engels Signature.svg

Friedrich Engels (pronúncia em alemão: [ˈfʁiːdʁɪç ˈʔɛŋl̩s])[1][2] (Barmen, 28 de novembro de 1820Londres, 5 de agosto de 1895) foi um empresário industrial[3][4] e teórico revolucionário prussiano, nascido na atual Alemanha, que junto com Karl Marx fundou o chamado socialismo científico ou marxismo. Seu pai era dono de uma grande indústria têxtil em Salford, Inglaterra.

Ele foi coautor de diversas obras com Marx, sendo que a mais conhecida é o Manifesto Comunista.[5] Também ajudou a publicar, após a morte de Marx, os dois últimos volumes de O Capital, principal obra de seu amigo e colaborador.[6] Engels também organizou as notas de Marx em Teorias sobre a Mais-Valia, que ele depois publicou como o "quarto volume" de O Capital.[7]

Grande companheiro de Karl Marx, escreveu livros de profunda análise social. Entre dezembro de 1847 a janeiro de 1848, junto com Marx, escreve o Manifesto do Partido Comunista, onde faz uma breve apresentação de uma nova concepção de história, afirmando que:

Engels morreu em Londres, em 5 de agosto de 1895, aos 74 anos de idade e após a cremação suas cinzas foram jogadas em Beachy Head, Eastbourne.

BiografiaEditar

Nasceu em 28 de novembro de 1820 e morreu em 5 de agosto de 1895. Era mais velho de nove filhos de um rico industrial de Barmen (Alemanha)[5]. Principal colaborador de Karl Marx, Engels desempenhou papel de destaque na elaboração da teoria comunista, a partir do materialismo histórico e dialético.

Em 1842, Engels de 22 anos de idade foi enviado por seus pais para Manchester, Inglaterra, para trabalhar para o Ermen e Engels Victoria Mill em Weaste que fazia linhas de costura.[8][9][10] Assume por alguns anos a direção de uma das fábricas e então, fica impressionado com a miséria em que vivem os trabalhadores das fábricas de sua família. Fruto dessa indignação, Engels desenvolve um detalhado estudo sobre a situação da classe operária na Inglaterra, que se torna a base de uma de suas obras principais: A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra, publicada em 1845.[11]

Depois de uma estadia produtiva na Grã-Bretanha, Engels decidiu voltar para a Alemanha em 1844. No caminho, ele parou em Paris para atender Karl Marx, com quem teve uma correspondência anterior.[6] Marx estava morando em Paris desde o final de outubro 1843 na sequência da proibição da Gazeta Renana pelas autoridades prussianas governamentais em março de 1843.[12]

Muitos de seus trabalhos posteriores são produzidos em colaboração com Marx, o mais famoso deles é o Manifesto Comunista (1848). Escreveu sozinho, porém, algumas das obras mais importantes para o desenvolvimento do marxismo, como Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã, Do Socialismo Utópico ao Socialismo Científico e A origem da família, da propriedade privada e do Estado.[6]

Engels acreditava que o cristianismo seria a religião dos pobres e oprimidos e chegou a estabelecer um paralelo entre o cristianismo primitivo e o socialismo de sua época. No seu estudo sobre a guerra dos camponeses na Alemanha, identifica Thomas Munzer, teólogo e líder dos camponeses revolucionários heréticos do século XVI, como alguém que lutou pelo estabelecimento imediato e concreto do "Reino de Deus", o reino milenarista dos profetas. Segundo Engels, o "Reino de Deus" seria para Munzer uma sociedade sem diferenças de classe e sem propriedade privada. Desse modo, Engels revelou o potencial contestatário da religião e abriu o caminho para uma nova abordagem das relações entre religião e sociedade[13].

Engels morreu de câncer na garganta em Londres, 1895[14]. Após a cremação no Crematório Woking, suas cinzas foram espalhadas em Beachy Head, perto de Eastbourne como ele tinha pedido.[14][15][16]

Obras principaisEditar

A Sagrada Família (1844)Editar

 
Capa da primeira edição de A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado de Engels, publicada pela primeira vez em 1884.

A Sagrada Família é um livro escrito por Marx e Engels em novembro de 1844. O livro é uma crítica sobre os jovens hegelianos e sua tendência de pensamento que era muito popular nos círculos acadêmicos da época. O título foi uma sugestão do editor e a intenção era ser uma referência sarcástica aos irmãos Bauer e seus apoiadores. [17]

O livro criou uma controvérsia com grande parte da imprensa e levou Bruno Bauer a tentar refutar o livro em um artigo publicado na revista Vierteljahrsschrift em 1845. Bauer afirmou que Marx e Engels entenderam mal o que eleem tradução livre) em janeiro de 1846. Marx também discutiu o argumento no capítulo 2 de A Ideologia Alemã. [17]

A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra (1845)Editar

A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra é uma descrição detalhada e uma análise das péssimas condições da classe trabalhadora na Grã-Bretanha durante a estada de Engels em Manchester e Salford. O trabalho também contém pensamentos importantes sobre a situação do socialismo e seu desenvolvimento. Foi considerado um clássico em sua época. O trabalho inicialmente causou pouco impacto na Inglaterra, pois não foi traduzido até o final do século XIX. No entanto, foi muito influente com os historiadores da industrialização britânica ao longo do século XX. [18] O livro foi publicado em inglês em 1887.

Revolução de Herr Eugen Dühring na Ciência (1878)Editar

É uma crítica detalhada das posições filosóficas de Eugen Dühring, um filósofo alemão e crítico do marxismo. Enquanto respondia a Dühring, Engels analisa os recentes avanços na ciência e na matemática, buscando demonstrar a maneira pela qual os conceitos de dialética se aplicam aos fenômenos naturais. Muitas dessas idéias foram desenvolvidas posteriormente no trabalho inacabado, Dialética da Natureza. Três capítulos do Anti-Dühring foram posteriormente editados e publicados sob o título separado de Socialismo: Utópico e Científico.

Socialismo: utópico e científico (1880)Editar

Foi um trabalho apresentado como uma peça extremamente popular. [19] Engels critica os socialistas utópicos, como Fourier e Owen, e fornece uma explicação do quadro socialista para compreender o capitalismo, e um esboço da progressão do desenvolvimento social e econômico da perspectiva do materialismo histórico.

Dialética da natureza (1883)Editar

Dialética da Natureza (em alemão: "Dialektik der Natur") é uma obra inacabada de Engels de 1883 que aplica as idéias marxistas - particularmente as do materialismo dialético - à ciência. Foi publicado pela primeira vez na URSS em 1925. [20]

A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado (1884)Editar

A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado é uma obra que conecta o capitalismo com o que Engels afirma ser uma instituição em constante mudança - a família. Foi escrita quando Engels tinha 64 anos de idade. Ela contém uma visão histórica da família em relação a questões de classe, subjugação feminina e propriedade privada.


Todas as obrasEditar

 
Friedrich Engels em selo da União Soviética, 1970

Ver tambémEditar

Referências

  1. "Engels". Random House Webster's Unabridged Dictionary.
  2. Merriam-Webster, Engels. 
  3. «Friedrich Engels - Biografia». Consultado em 16 de agosto de 2018 
  4. Theodore M. Brown. «Friedrich Engels: Businessman and Revolutionary» (em inglês). Consultado em 16 de agosto de 2018 
  5. a b c UOL Educação. «Friedrich Engels - Biografia». Consultado em 3 de setembro de 2012 
  6. a b c Eduardo de Freitas. «Friedrich Engels». R7. Brasil Escola. Consultado em 3 de setembro de 2012 
  7. Theories of Surplus Value, in Collected Works of Marx and Englels: Volumes 30, 31 and 32 (International Publishers: New York, 1988).
  8. Marxists.org. «Biography on Engels» (em inglês). Consultado em 3 de setembro de 2012 
  9. BBC Legacies. «Engels in Manchester - Article Page 1» (em inglês). Consultado em 3 de setembro de 2012 
  10. Salford Star issue 6 Winter 2007. «International people's superstar and woman of mystery» (em inglês). Consultado em 3 de setembro de 2012 
  11. GODOY, Paulo - UNESP (2008). «A SITUAÇÃO DA CLASSE TRABALHADORA NA INGLATERRA» (PDF). Consultado em 3 de setembro de 2012. Arquivado do original (PDF) em 24 de fevereiro de 2014 
  12. P. N. Fedoseyev, Karl Marx: A Biography (Progress Publishers: Moscow, 1973) pp. 41-42 & 49.
  13. Marxismo e religião: ópio do povo? Arquivado em 5 de maio de 2016, no Wayback Machine., acesso em 07 de abril de 2016
  14. a b Marxists.org. «Letters: Marx-Engels Correspondence 1895» (em inglês). Consultado em 3 de setembro de 2012 
  15. Who Lies Where - A guide to famous graves (em inglês). Londres: Fourth Estate Limited. 1998. 156 páginas. ISBN 1-85702-258-0 
  16. Friedrich Engels (em inglês) no Find a Grave
  17. a b «The Holy Family by Marx and Engels» 
  18. «The 'industrial revolution': interpretations from 1830 to the present» 
  19. Engels, Friedrich. «Introduction». Socialism: Utopian and Scientific. Col: Marx/Engels Selected Works. 3. [S.l.: s.n.]  Cited in Carver, Terrell. Engels: A Very Short Introduction. [S.l.: s.n.]  and Thomas, Paul (1991), «Critical Reception: Marx then and now», in: Carver, Terrell, The Cambridge Companion to Marx, Cambridge University Press 
  20. «1883-Dialectics of Nature-Index». marxists.anu.edu.au 
  21. O Papel do Trabalho na Transformação do Macaco em Homem
  22. Mundo do Socialismo. «A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado - 4a. Edição Revisada» (em inglês). Consultado em 3 de setembro de 2012. Arquivado do original em 10 de junho de 2012 

BibliografiaEditar

  • Engels, Friedrich (1888). Ludwig Feuerbach and the End of Classical German Philosophy (em inglês). Londres: [s.n.] 
  • Carlton, Grace (1965), Friedrich Engels: The Shadow Prophet. London: Pall Mall Press
  • Carver, Terrell. (1989). Friedrich Engels: His Life and Thought. London: Macmillan
  • Green, John (2008), Engels: A Revolutionary Life, London: Artery Publications. ISBN 0-9558228-0-7
  • Henderson, W. O. (1976), The life of Friedrich Engels, London : Cass, 1976. ISBN 0-7146-4002-6
  • Hunt, Tristram (2009), The Frock-Coated Communist: The Revolutionary Life of Friedrich Engels, London: Allen Lane. ISBN 978-0-7139-9852-8
  • Mayer, Gustav (1936), Friedrich Engels: A Biography (1934; trans. 1936)

Leitura complementarEditar