Epistulae ex Ponto

Epistulae ex Ponto (Cartas do Mar Negro ou Cartas Pônticas) é um conjunto de cartas-elegias escritas pelo poeta latino Ovídio quando, no fim de sua vida, viveu exilado no Ponto Euxino (território às margens do Mar Negro, ao extremo leste do domínio romano) e dividido em quatro livros. Nessas cartas-elegias (um gênero que o próprio Ovídio orgulha-se de ter criado), Ovídio pede a amigos e familiares que intercedam junto à família imperial para a fim de que o imperador o perdoe ou pelo menos mude o lugar do seu exílio para um território mais próximo à Vrbs. O poeta descreve para os seus destinatários (e para o leitor) detalhes das suas condições de vida nesse "território selvagem": o frio intenso, as batalhas constantes, e a inesxistência de pessoas que conheçam a língua latina (de modo que o poeta, as escrever, sente-se como que "dança no escuro"[1]). Numa das cartas, o poeta afirma ter escrito poemas no idioma geta, mas infelizmente eles não chegaram até nosso tempo.

Traduções em língua portuguesaEditar

Em português temos recente tradução de Geraldo José Albino.

Referências

  1. OVÍDIO. Cartas Pônticas (Tradução de Geraldo José Albino). São Paulo: Martins Fontes, 2009.