Erdemunda Sofia da Saxónia

a Nobre Pioneira no Iluminismo

Erdemunda Sofia da Saxónia (25 de Fevereiro de 1644 - 22 de Junho de 1670) foi uma marquesa de Brandemburgo-Bayreuth, um pequeno estado alemão governado por um ramo cadete da família Hohenzollern.

Erdemunda Sofia da Saxónia
Marquesa de Brandemburgo-Bayreuth
Reinado 29 de outubro de 1662
a 22 de junho de 1670
Antecessor(a) Maria da Prússia, Marquesa de Brandemburgo-Bayreuth
Sucessor(a) Sofia Luísa de Württemberg-Winnental
 
Nascimento 25 de fevereiro de 1644
  Dresden, Alemanha
Morte 22 de junho de 1670 (26 anos)
  Bayreuth, Alemanha
Esposo Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth
Casa Hohenzollern
Wettin
Pai João Jorge II da Saxônia
Mãe Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth
Religião Luteranismo

Família e origensEditar

Erdemunda era a segunda filha do príncipe-eleitor João Jorge II da Saxónia e da sua esposa, a princesa Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth, filha do marquês Cristiano de Brandemburgo-Bayreuth e da princesa Maria da Prússia. Teve uma irmã mais velha, Sibila, que morreu com apenas alguns meses de idade antes de ela nascer, e um irmão mais novo, o príncipe-eleitor João Jorge III da Saxónia, pai do futuro rei Augusto II da Polónia.

Ao contrário de outras princesas e mulheres da época, Erdemunda recebeu uma atenção cuidadosa e completa e, aos dez anos de idade, já compunha hinos e escrevia obras sobre história constitucional e eclesiástica.[1]

Casamento e vida em BayreuthEditar

A 29 de Outubro de 1662, Erdemunda Sofia casou-se em Dresden com o seu primo direito, o marquês Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth, numa cerimónia sumptuosa. Para a ocasião foram escritas a comédia musical "Sophia" de Siegmund von Birken e a ópera "Il Paride", de Giovanni Angelini Andrea Bontempi.

Em Bayreuth, Erdemunda dedicou-se amplamente a estudos científicos e promoveu o estabelecimento de um "grupo de história". O seu romance de estréia, "Handlung von der Welt Alter, des Heiligen römischen Reichs Standen, und derselben Beschaffenheit", é considerada uma das primeiras obras do Iluminismo.[2]

Morte e legadoEditar

Erdemunda morreu com apenas 26 anos de idade de uma doença metabólica e foi sepultada na igreja paroquial da Santíssima Trindade em Bayreuth.[1] Não teve filhos do seu casamento de seis anos com Cristiano Ernesto. O seu marido viria a casar-se mais duas vezes, primeiro com a princesa Sofia Luísa de Württemberg-Winnental em 1671, apenas oito meses depois da sua morte, e, após a morte dela em 1702, com a princesa Isabel Sofia de Brandemburgo, filha do príncipe-eleitor Frederico Guilherme de Brandemburgo.

O castelo Sophienberg, que foi construído entre 1663 e 1668 para ser a sua residência oficial, recebeu o nome em sua honra.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Erdemunda Sofia da Saxónia em três gerações[3]
Erdemunda Sofia da Saxónia Pai:
João Jorge II da Saxônia
Avô paterno:
João Jorge I da Saxônia
Bisavô paterno:
Cristiano I da Saxônia
Bisavó paterna:
Sofia de Brandemburgo
Avó paterna:
Madalena Sibila da Prússia
Bisavô paterno:
Alberto Frederico, Duque da Prússia
Bisavó paterna:
Maria Leonor de Cleves
Mãe:
Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth
Avô materno:
Cristiano de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô materno:
João Jorge de Brandemburgo
Bisavó materna:
Isabel de Anhalt-Zerbst
Avó materna:
Maria da Prússia, Marquesa de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô materno:
Alberto Frederico, Duque da Prússia
Bisavó materna:
Maria Leonor de Cleves

Referências

  1. a b Uta, Deppe (2006). Die Festkultur am Dresdner Hofe Johann Georgs II. von Sachsen (1660-1679). [S.l.: s.n.] ISBN 978-3-933598-94-3 
  2. Johann Wilhelm, Holle (1845). Die Fürstengrüfte der Hohenzollern zu Kulmbach, Bayreuth und Himmelkron. [S.l.: s.n.] p. 27 
  3. The Peerage, consultado a 26 de Junho de 2015