Ermelo (Mondim de Basto)

localidade e antiga freguesia de Mondim de Basto
Portugal Ermelo 
  Freguesia portuguesa extinta  
Ermelo 01.JPG
Localização
Concelho primitivo Mondim de Basto
História
Extinção 28 de janeiro de 2013
Características geográficas
Área total 40,36 km²

Ermelo é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Mondim de Basto, com 40,36 km² de área e 483 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 12 hab/km².
Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013,[1] sendo o seu território integrado na União de Freguesias de Ermelo e Pardelhas.

A povoação de Ermelo teve forais dados por D. Sancho I (Guimarães, em Abril de 1196), que a elevou a vila e sede de concelho, e por D. Manuel I (Lisboa, 3 de Junho de 1514)[2]. O concelho era constituído pelas freguesias de Bilhó, Campanhó, Ermelo, Pardelhas e Lamas de Olo. Tinha, em 1801, 2 091 habitantes. Após as primeiras reformas administrativas do Liberalismo, passou a integrar também as freguesias de Campeã[3], Quintã[4] e Vila Cova[5]. Tinha, em 1849, 4 314 habitantes. Em 31 de Dezembro de 1853, o concelho foi extinto, sendo as suas freguesias divididas entre os concelhos de Mondim de Basto e Vila Real[2][3][4][5].

EtimologiaEditar

Ermelo deriva provavelmente do germânico lo, que significa floresta e de irmin do qual existem diversas explicações entre as quais a palavra "divino" ou a referência ao antigo deus germânico de nome Irmin.

Uma outra explicação  para a palavra é eremus, proveniência latina cujo significado é solitário ou desértico.

DemografiaEditar

Património naturalEditar

PatrimónioEditar

 
Pelourinho de Ermelo

Notas e Referências

  1. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  2. a b Arquivo Distrital de Vila Real, "Administração do Concelho de Ermelo"
  3. a b Ribeiro Aires (2007) — História das Freguesias do Concelho de Vila Real. Vila Real: Maronesa. pp. 181 ss.
  4. a b Idem, pp. 523 ss.
  5. a b Idem, pp. 703 ss.
  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.