Abrir menu principal
Ernani Fornari
Nascimento 15 de dezembro de 1899
Rio Grande
Morte 8 de junho de 1964 (64 anos)
Rio de Janeiro
Serviço militar
País Brasil

Ernani Fornari (Rio Grande, 15 de dezembro de 1899Rio de Janeiro, 8 de junho de 1964) foi um escritor, poeta, teatrólogo e historiador brasileiro, cuja obra literária transita entre o Simbolismo e o Modernismo.

Filho de um imigrante italiano de hábitos boêmios, teve uma infância pobre.[1] Iniciou sua carreira de escritor com a poesia, publicando sua primeira obra em 1925, Missal da ternura e da humildade.,[1] aderindo a uma estética modernista posteriormente, escrevendo, também, poemas em prosa. Também publicou livros de contos, como o Guerra das fechaduras, em 1931; romances, O homem que era dois, em 1935; e peças de teatro.[1]

Escreveu uma biografia do padre Landell de Moura, logo após o falecimento do sacerdote.[1]

ObrasEditar

PoesiaEditar

  • Missal da ternura e da humildade (1925)
  • Trem da Serra (1928)
  • Praia dos Milagres (1932)
  • Quatro poemas brasileiros (inédito)

ProsaEditar

  • Guerra das fechaduras (1931)
  • O homem que era dois (1935)

Referências

  1. a b c d SPALDING, Walter. Construtores do Rio Grande. Porto Alegre: Livraria Sulina, 1969.

Ligações externasEditar