Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para o bairro, veja Ernani Satyro (João Pessoa).
Ernani Aires Satyro e Sousa
Ministro do Superior Tribunal Militar do Brasil
Período 9 de maio de 1969 até
15 de março de 1971
34° Governador da Paraíba
Período 15 de março de 1971 até
15 de março de 1975
Antecessor João Agripino Filho
Sucessor Ivan Bichara Sobreira
Deputado Federal pela Paraíba
Período 1946 até 9 de maio de 1969
1979 até 1986
18º Prefeito de João Pessoa
Período Julho de 1940 até
Julho de 1940
Deputado Estadual da Paraíba
Período 1934 até 1937
Dados pessoais
Nascimento 11 de setembro de 1911
Patos, Paraíba
Morte 8 de maio de 1986 (74 anos)
Brasília,  Distrito Federal
Progenitores Mãe: Capitulina Ayres Sátiro e Sousa
Pai: Miguel Sátiro e Sousa
Alma mater Universidade Federal de Pernambuco
Prêmio(s) Cadeira 32 da Academia Paraibana de Letras
Cônjuge Antonieta Agra Sátiro
Partido PRL, UDN, ARENA, PDS
Profissão Advogado, escritor e político

Ernani Aires Satyro e Sousa (Patos, 11 de setembro de 1911Brasília, 8 de maio de 1986) foi um fazendeiro , poeta, cronista, romancista, ensaísta e político brasileiro, que exerceu oito mandatos de deputado federal pela Paraíba. Foi ainda prefeito de João Pessoa e governador da Paraíba.

Pertenceu à Academia Paraibana de Letras, à Academia Brasiliense de Letras e à Academia Campinense de Letras.

HistóricoEditar

Filho de Miguel Satyro e Sousa e Capitulina Ayres Satyro e Sousa. Formou-se em 1933 pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco. Em 1934 elege-se deputado estadual pelo Partido Republicano Libertador (PRL) e exemplo do que fizera antes o pai. Durante a vigência do Estado Novo getulista, dedicou-se à advocacia, fase interrompida apenas em 1940 quando foi nomeado prefeito de João Pessoa, cargo que exerceu por apenas dezoito dias.

Prócer da UDN foi eleito deputado federal para a Assembléia Nacional Constituinte em 1945 sendo reeleito em 1950, 1954, 1958 e 1962. Partidário do Golpe Militar de 1964 é eleito presidente da UDN, o último antes da instituição do bipartidarismo pelo Ato Institucional Número Dois em 27 de outubro de 1965. Ernani Satyro ingressou na ARENA e foi reeleito em 1966. Líder do governo Costa e Silva na Câmara dos Deputados entre 1967 e 1968, renunciou ao mandato em 9 de maio de 1969 após ser escolhido ministro do Superior Tribunal Militar. Em 1970, é escolhido governador da Paraíba pelo presidente Emílio Garrastazu Médici,[1] fato que o levou a abdicar da toga ministerial.

De volta à política Ernani Satyro foi reeleito deputado federal em 1978 e 1982 quando já estava no PDS. Em seu último mandato ausentou-se da votação da emenda Dante de Oliveira em 1984 e votou em Paulo Maluf no Colégio Eleitoral em 1985. Ficou conhecido por tratar a todos que encontrava pela expressão "amigo velho",[2] falecendo vítima de derrame cerebral.

O legado de Ernani Satyro vive com seus familiares. Bertholdo Satyro e Sousa, filho, é casado com Simone Mesquita Satyro e tiveram dois filhos. Marilza Satyro de Medeiros, casada com João Eugênio Gonçalves de Medeiros Júnior e Ernani Satyro Neto casado com Rebeca Godói de Medeiros Satyro. Os netos Alexandre Satyro de Medeiros e Maria Clara Satyro de Medeiros são filhos de Marilza e João Eugênio Júnior e Raquel Medeiros Satyro é filha de Rebeca e Ernani Satyro Neto.

A filha, Silêde Satyro de Sá Ribeiro, é casada com Anselmo de Sá Ribeiro Filho e tem três filhos. Paulo Ernani Satyro de Sá Ribeiro, Andréa Satyro de Sá Ribeiro Fritzsche e Renata de Sá Ribeiro Garcia. A outra filha, Gleide Satyro Sales é casada com Francisco Alberto Sales e tem também três filhos. Ernani Satyro Sales, Guilherme Satyro Sales e Mônica Satyro Sales.

Obras:

  • O Canto do Retardatário (poesias)
  • O Quadro-Negro (romance), 1954
  • Mariana (romance), 1957

Academia Paraibana de LetrasEditar

Assumiu a cadeira número 32 da Academia Paraibana de Letras, que tem como patrono Carlos Dias Fernandes, em 3 de agosto de 1963, com saudação do acadêmico Ivan Bichara. Atualmente a cadeira é ocupada por Wills Leal.

Referências

  1. Governou entre 15 de março de 1971 e 15 de março de 1975.
  2. Veja, 14/05/1986.

Ligações externasEditar

Precedido por
Fernando Carneiro da Cunha Nóbrega
Prefeito de João Pessoa
1940
Sucedido por
Francisco Cícero de Melo Filho
Precedido por
Carlos Dias Fernandes
Cadeira 32
da Academia Paraibana de Letras

1963 — 1986
Sucedido por
Wills Leal
Precedido por
João Agripino
Governador da Paraíba
1971 — 1975
Sucedido por
Ivan Bichara
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.