Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Ernesto da Baviera (desambiguação).


Ernesto I da Baviera
Duque da Baviera-Munique
Jaumann Ernst Rat.jpg
O Duque Ernesto com os seus conselheiros (gravura de R. A. Jaumann)
Reinado 1397–1438
Consorte Isabel Visconti
Dinastia Wittelsbach
Nascimento 1373
  Munique, Baviera
Morte 2 de julho de 1438 (65 anos)
  Munique, Baviera
Pai João II da Baviera
Mãe Catarina de Gorizia

Ernesto da Baviera (em alemão: Ernst von Bayern ), (Munique, 1373 – Munique, 2 de julho de 1438), foi um membro da Casa de Wittelsbach que foi duque de Baviera-Munique de 1397 até à sua morte.

Índice

BiografiaEditar

Ernesto era filho de João II da Baviera e governou o ducado da Baviera-Munique juntamente com seu irmão Guilherme III.

Ele reprimiu as revoltas dos cidadãos de Munique em 1396 e 1410 e, em 1402, e forçou o seu tio, Estêvão III, a confinar o seu governo ao ducado da Baviera-Ingolstadt.

Posteriormente, e por diversas vezes, Ernesto lutou com sucesso, contra os duques da Baviera-Ingolstadt, Estêvão III e o filho, Luís VII, o Barbudo, como aliado de Henrique XVI, duque da Baviera-Landshut. Ernesto era membro da Sociedade do Periquito[1], formada na sequência do Concílio de Constança.

Após a extinção do ramo de Straubing dos Wittelsbach[2], Ernesto teve que lutar contra os outros ramos bávaros da sua dinastia. Assim, a Baviera-Straubing acabou por ser repartida entre os dois ramos existentes: a Baviera-Munique (governada por Ernesto e pelo irmão, Guilherme II) recebeu metade do território, incluindo a capital (a cidade de Straubing); e a Baviera-Ingolstadt (governada por Henrique XVI e Luís VII) recebeu a outra metade.

Como aliado da Casa de Luxemburgo, Ernesto apoiou o seu cunhado, Venceslau IV da Boêmia contra o novo rei Ruperto, que pertencia ramo principal dos Wittelsbach (a sua própria dinastia), mantendo o apoio ao irmão de Venceslau, o imperador Sigismundo, nas suas guerras contra os apoiantes de Jan Hus, o que levou a devastações ocorridas por toda a Baviera setentrional até 1434.

Quando o seu filho Alberto III casou secretamente com a criada Agnes Bernauer em 1432, ela foi acusada de bruxaria, mandada executar e o seu corpo atirado ao rio Danúbio. A guerra civil com o seu filho teve finalmente um fim, permitindo a reconciliação entre os dois.

Ernesto está sepultado na Frauenkirche, em Munique.

Casamento e descendênciaEditar

Em 26 de janeiro de 1395, Ernesto casou em Pfaffenhofen an der Ilm com Isabel Visconti, filha de Barnabé Visconti tendo tido quatro filhos:

  1. Alberto III (Albrecht III.), (1401-1460), que sucedeu ao pai;
  2. Beatriz (Beatrix) (c. 1403-1447), que casou primeiro, em 1424, com o conde Hermann III de Cilli; e, em segundas núpcias, em 1428, com João, Conde Palatino de Neumarkt;
  3. Isabel (Elisabeth) (c. 1406-1468), que casou primeiro, em 1430, com Adolfo, Duque de Jülich-Berg; e em segundas núpcias, em 1440, comk o conde Hesso de Leiningen;
  4. Amalia (Amalie) (1408-1432), freira.

Ele também teve três filhos ilegítimos.

AscendênciaEditar

ReferênciasEditar

  1. uma sociedade que unia os inimigos de Luís VII, o Barbudo, duque da Baviera-Ingolstadt.
  2. que também eram condes da Holanda e condes do Hainaut

Ligações externasEditar

BibliografiaEditar


Precedido por
João II
 
Duque da Baviera-Munique

1397–1438
Sucedido por
Alberto III