Ernst Chain

professor académico alemão
(Redirecionado de Ernst Boris Chain)

Ernst Boris Chain (Berlim, 19 de junho de 1906Castlebar, 12 de agosto de 1979) foi um bioquímico alemão de origem judaica. Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1945, por pesquisas sobre a penicilina.

Ernst Chain
Foto oficial de Ernst Boris Chain para o Prêmio Nobel.
Conhecido(a) por Penicilina
Nascimento 19 de junho de 1906
Berlim
Morte 12 de agosto de 1979 (73 anos)
Castlebar
Nacionalidade Alemão
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1945)
Campo(s) Bioquímica

BiografiaEditar

Chain nasceu em Berlim, filho de Margarete (nascida Eisner) e Michael Chain, que era químico e industrial de produtos químicos. Seu pai emigrou da Rússia para estudar química no exterior e sua mãe era de Berlim. Em 1930, ele recebeu seu diploma em química pela Universidade Friedrich Wilhelm. Seu pai descende de Shealtiel Ḥen, que era uma figura proeminente entre os judeus da Catalunha.[1][2][3][4]

Depois que os nazistas chegaram ao poder, Chain entendeu que, sendo judeu, não estaria mais seguro na Alemanha. Ele deixou a Alemanha e se mudou para a Inglaterra, chegando em 2 de abril de 1933 com £ 10 no bolso. O geneticista e fisiologista JBS Haldane o ajudou a obter um cargo no University College Hospital, em Londres.

Depois de alguns meses, ele foi aceito como estudante de doutorado na Fitzwilliam House, Universidade de Cambridge, onde começou a trabalhar com fosfolipídios sob a direção de Sir Frederick Gowland Hopkins. Em 1935, ele aceitou um emprego na Universidade de Oxford como professor de patologia. Durante esse tempo, ele trabalhou em uma variedade de tópicos de pesquisa, incluindo venenos de cobra, metabolismo de tumor, lisozimas e técnicas de bioquímica. Chain foi naturalizado britânico em 1939.[5]

Em 1939, ele se juntou a Howard Florey para investigar agentes antibacterianos naturais produzidos por microorganismos. Isso levou ele e Florey a revisitar a obra de Alexander Fleming, que havia descrito a penicilina nove anos antes. Chain e Florey passaram a descobrir a ação terapêutica da penicilina e sua composição química. Chain e Florey descobriram como isolar e concentrar o agente destruidor de germes na penicilina. Por esta pesquisa, Chain, Florey e Fleming receberam o Prêmio Nobel em 1945.

Junto com Edward Abraham, ele também estava envolvido na teorização da estrutura beta-lactâmica da penicilina em 1942,[6] que foi confirmada por cristalografia de raios-X feita por Dorothy Hodgkin em 1945. Perto do final da Segunda Guerra Mundial, Chain soube de sua mãe e a irmã foi morta pelos nazistas. Após a Segunda Guerra Mundial, Chain mudou-se para Roma, para trabalhar no Istituto Superiore di Sanità (Instituto Superior de Saúde). Ele retornou à Grã-Bretanha em 1964 como fundador e chefe do departamento de bioquímica do Imperial College London, onde permaneceu até sua aposentadoria, se especializando em tecnologias de fermentação.[7]

 
Placa em memória de Chain em Berlim.

Em 17 de março de 1948, Chain foi nomeado bolsista pela Royal Society. Em 8 de julho de 1969, Chain foi nomeado Knight Bachelor.[8]

Ele foi amigo de longa data do professor Albert Neuberger, que conheceu em Berlim na década de 1930.

Em 1948, ele se casou com Anne Beloff-Chain, irmã de Renee Soskin, Max Beloff, John Beloff e Nora Beloff, e uma bioquímica de posição significativa. Mais tarde, sua identidade judaica tornou-se cada vez mais importante para ele. Chain era um sionista fervoroso e tornou-se membro do conselho de governadores do Instituto Weizmann de Ciência em Rehovot em 1954, e mais tarde membro do conselho executivo. Ele criou seus filhos com segurança dentro da fé judaica, arranjando muitas aulas extracurriculares para eles. Suas opiniões foram expressas com mais clareza em seu discurso "Por que sou judeu", proferido na Conferência Mundial de Intelectuais do Congresso Judaico em 1965.

Chain morreu no Mayo General Hospital em 1979. O prédio de bioquímica do Imperial College London recebeu o nome dele.[7]

Referências

  1. «Who was Sir Ernst Chain?». Connaught Telegraph. 6 de outubro de 2017. Consultado em 18 de maio de 2019 
  2. «Ernst B. Chain». Nobel Foundation. 2013. Consultado em 17 de julho de 2013 
  3. Forder, Arderne A. (1984). The more ye mow us down the more we grow: antibiotics in perspective. [S.l.]: University of Cape Town. ISBN 9780799209501 
  4. Eliezer Laine and Zalman Berger, Avnei Chein - Toldot Mishpachat Chein, Brooklyn, New-York, 2004. Amazon link to book info
  5. «No. 34622». The London Gazette (Supplement). 5 de maio de 1939. p. 2989 
  6. Jones, David S.; Jones, John H. (1 de dezembro de 2014). «Sir Edward Penley Abraham CBE. 10 June 1913 – 9 May 1999». Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society. 60: 5–22. ISSN 0080-4606. doi:10.1098/rsbm.2014.0002 
  7. a b Martineau, Natasha (5 de novembro de 2012). «Sir Ernst Chain is honoured in building naming ceremony». Imperial College London. Consultado em 17 de julho de 2013 
  8. «No. 44894». The London Gazette. 11 de julho de 1969. p. 7213 

Ligações externasEditar


Precedido por
Joseph Erlanger e Herbert Gasser
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1945
com Alexander Fleming e Howard Florey
Sucedido por
Hermann Muller


  Este artigo sobre medicina é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.