Ernst Neizvestny

Ernst Iosifovich Neizvestny (em russo: Эрнст Ио́сифович Неизве́стный; Ecaterimburgo, 9 de abril de 1925Nova Iorque, 9 de agosto de 2016) foi um escultor, pintor, artista gráfico, e filósofo de arte russo-americano. Ele emigrou para os EUA em 1976 e viveu e trabalhou em Nova Iorque. Seu último nome em russo significa, literalmente, "desconhecido".

Ernst Neizvestny
Nascimento Эрнст Ио́сифович Неизве́стный
9 de abril de 1925
Ecaterimburgo
Morte 9 de agosto de 2016 (91 anos)
Nova Iorque
Cidadania União Soviética, Rússia
Alma mater
  • Moscow University's Department of Philosophy
  • State Academic Institute of Fine Arts Surikov
Ocupação escultor, desenhista, artista gráfico
Prêmios
  • Ordem de Honra
  • Terceiro grau da Ordem ao Mérito pela Pátria
  • Ordem da Estrela Vermelha
  • Medal "For Courage"
  • Medalha do Jubileu "50 anos de vitória na Grande Guerra Patriótica 1941-1945"
  • Medalha do Jubileu "65 Anos da Vitória na Grande Guerra Patriótica 1941-1945"
  • Medal "For the Capture of Budapest"
  • Medalha "Pela vitória sobre a Alemanha na Grande Guerra Patriótica 1941-1945"
  • Medalha do Jubileu "Vinte Anos de Vitória na Grande Guerra Patriótica 1941–1945"
  • Medalha Comemorativa do 30.º Aniversário da Vitória na Grande Guerra Patriótica de 1941-1945
  • Jubilee Medal "50 Years of the Armed Forces of the USSR"
Empregador Universidade Columbia
Movimento estético expressionismo

Dramaturgo estadunidense Arthur Miller certa vez descreveu Neizvestny como um "artista do oriente", que é considerado pelos russos como uma "expressão do país, da sua alma, a linguagem, e do espírito" e como um "profeta do futuro", que representa a "consciência filosófica de seu país."[1]

Alexander Calder, o grande artista estadunidense, disse uma vez a Neizvestny, "Toda minha vida eu criar o mundo das crianças, e você criar o mundo do homem". [conforme relatado pelo New York Tribune, 29 de março de 1988.]

Carreira artísticaEditar

Em 1996, Neizvestny completou sua [Máscara do Remorso]], um monumento de 15 metros de altura, situado em Magadã, para as vítimas das purgas stalinistas da década de 1930.[2] No mesmo ano, recebeu o Prêmio Estadual da Federação Russa. Embora ele tenha morado na cidade de Nova York e trabalhou na Universidade de Columbia, Neizvestny freqüentemente visitou Moscou e comemorou seu aniversário de 80 anos. Um museu dedicado a suas esculturas foi estabelecido em Utersberga, Suécia. Algumas de suas estátuas de crucificação foram adquiridas por João Paulo II para os Museus do Vaticano. Em 2004, Neizvestny tornou-se membro honorário da Academia Russa de Artes.[3][4]

Referências

  Este artigo sobre um escultor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.