Abrir menu principal

Erradicação de doenças infecciosas

Erradicação é a redução a zero da prevalência de doenças infecciosas na população global de hospedeiros.[1] Pode ser confundida com "eliminação", que também descreve a redução a zero da prevalência de uma doença infecciosa, mas em uma população regional, ou a redução da prevalência global a um valor irrisório.

Oito tentativas de erradicar doenças infecciosas já foram empreendidas no mundo: dois programas obtiveram sucesso (varíola e peste bovina), três programas estão em aplicação (poliomielite, bouba e dracunculíase) e três outros foram abortados (ancilostomíase, malária e febre amarela). Cinco outras doenças infecciosas foram identificadas pela Força Tarefa Internacional para a Erradicação de Doenças do Carter Center, em abril de 2008, como potencialmente erradicáveis com as tecnologias disponíveis na atualidade: o sarampo, a parotidite infecciosa (caxumba), a rubéola, a filariose linfática e a cisticercose.[2]

Referências

  1. Dowdle, Walter R (1998). «The Principles of Disease Elimination and Eradication» (PDF). Bulletin of the World Health Organization. 76 (S2): 22–25. PMID 10063669. Consultado em 23 de setembro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 27 de setembro de 2013 
  2. «Diseases considered as candidates for global eradication by the International Task Force for Disease Eradication» (PDF). Cartercenter.org. Consultado em 16 de março de 2011