Abrir menu principal

Escândia (em grego: Σκανδία; em latim: Scandia) foi o nome utilizado pelos primeiros geógrafos gregos e romanos para descrever diversas ilhas inexploradas do Norte da Europa. O nome se originou nas fontes gregas, onde havia sido usado por muito tempo para se referir a diferentes ilhas da região do Mediterrâneo.[1] Na Ilíada, de Homero, o nome denota uma antiga cidade em Citera, ilha do litoral da Grécia.[2]

Mapa das ilhas de Scandiae, de Nicolaus Germanus, para uma publicação de 1467 da Cosmographia Claudii Ptolomaei Alexandrini.
Carta Marina de Olaus Magnus (1539)

A primeira fonte escrita conhecida a utilizar o nome referindo-se a uma ilha do norte europeu é a obra História Natural, do autor romano Plínio, o Velho, escrita por volta de 77.[3] Plínio descreveu "Scandia" como uma ilha localizada ao norte da Britânia.[4] A ilha não parece ser a mesma que ele chama de "Scatinavia", localizada próxima aos cimbros. Na Geografia de Ptolemeu, escrita no século II, a Escândia é descrita como a mais oriental das ilhas Scandiae, um arquipélago localizado a leste da península címbrica; nesta região Plínio localizou a sua "Scatinavia". O nome Escândia passou a ser associado, depois de Ptolemeu, com a parte sul da península escandinava pelos geógrafos romanos, que imaginavam toda a Escandinávia como uma ilha.

Quando os acadêmicos escandinavos se familiarizaram com os registros dos romanos, no final da Idade Média, Escândia (Scandiae) passou a ser usado como um nome alternativo, em latim, à Terra da Escânia (Terra Scania). A paráfrase em latim, do início do século XIII, da Lei Escândia, é Lex Scandiae provincialis.[5]

No século XVI Olavo Magno, um cartógrafo sueco que conhecia as obras de Plínio criou um mapa onde "Escândia" aparecia no meio da atual Suécia. No mapa de Magno o nome denota uma área que inclui as regiões que ele chama de "Suécia" (Sueônia), "Gótia" (Gótia) e "Noruégia" (Noruega), onde ele identifica várias tribos descritas pelos geógrafos anciões.

Embora seja basicamente uma denominação histórica, o termo Scandiae também é utilizado ocasionalmente hoje em dia como um nome latino para a Escandinávia. A Conferência dos Bispos Escandinavos, uma conferência episcopal organizada pela Igreja Católica desde 1923, chama-se Conferentia Episcopalis Scandiae.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Rubekeil, Ludwig (2002). "Scandinavia in the light of ancient tradition". In The Nordic Languages: an international handbook of the history of the North Germanic languages. Eds. Oskar Bandle et al., Vol I. Berlin and New York: de Gruyter, 2002. ISBN 3110148765, p. 601.
  2. Blackie, John Stuart (1866). Homer and the Iliad. Notes, Philological and Archaeological. Edmonston and Douglas, 1866. Digitized 30 August 2006.
  3. Helle, Knut (2003). "Introduction". The Cambridge History of Scandinavia. Ed. E. I. Kouri et al. Cambridge University Press, 2003. ISBN 0-521-47299-7.
  4. Chapter 30. (16.)- BRITANNIA.. The Natural History. Pliny the Elder. John Bostock. Taylor and Francis, 1855.
  5. Herzog, Johann Jakob et al. (1896). Realencyklopädie für protestantische Theologie und Kirche. J. C. Hinrichs Theology, published 1896. Digitized 15 November 2006.
  Este artigo sobre Escandinávia (geral) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.