Abrir menu principal

Escapismo, ou desejo de evasão, é o alívio ou a distração mental de obrigações ou realidades desagradáveis, recorrendo a devaneios e imaginações. A desconsideração da realidade.[1]

Manifesta-se na busca da natureza, como na fuga para o passado próximo (a infância, por exemplo) ou distante (a Idade Média, por exemplo), o sonho ou a fantasia e a morte.

É também uma das características do Romantismo: movimento cultural do século XIX. Para os românticos, o mundo real é sempre uma frustração de seus idealismos e sonhos. Daí a rebeldia dos poetas do mal-do-século no Romantismo, onde eles procuravam se refugiar de seus problemas, e um desses modos era a morte.


Referências

  1. Stenseng, Frode; Rise, Jostein; Kraft, Pål (2012). «Activity Engagement as Escape from Self: The Role of Self-Suppression and Self-Expansion». Leisure Sciences: An Interdisciplinary Journal. 34 (1): 19–38. doi:10.1080/01490400.2012.633849 
  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.