Abrir menu principal

Wikipédia β

Escarlatina
Bochechas rosadas são um sintoma típico da escarlatina.
Especialidade Infectologia
Classificação e recursos externos
CID-10 A38.a
CID-9 034.1
DiseasesDB 29032
MedlinePlus 000974
MeSH D012541
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 
A língua inicialmente fica amarelada devido à inflamação, mas depois descama e fica vermelha, como uma cereja.
O Streptococcus pyogenes é um estreptococo beta hemolítico do grupo A.[1]

A escarlatina é uma doença infecciosa e contagiosa aguda causada pela bactéria Streptococcus pyogenes. Atinge principalmente as crianças, sendo facilmente tratável com antibióticos. A escarlatina é quase sempre uma complicação da amigdalite/faringite estreptocócica, surgindo geralmente nos primeiros 2 dias após os primeiros sintomas.[1]

Índice

CausaEditar

O Streptococcus pyogenes é um estreptococo beta hemolítico do grupo A. Estreptococos são grupos de bactérias esféricas comuns em todo o mundo que podem causar infecções da garganta (amigdalites e faringites) e da pele (como impetigo e erisipela).

Sinais e sintomasEditar

As pessoas infectadas pelo agente podem desenvolver:

  • Palidez seguida de descamação e vermelhidão na pele e da língua;
  • Pequenos pontos vermelhos no fundo do céu da boca (Manchas de Forschheimer);
  • Febre baixa (38°C);
  • Dores de garganta;
  • Dificuldade em deglutir alimentos (disfagia);

Caracteriza-se por eritema (vermelhidão cutânea) — que se espalha a partir de um ponto no corpo, sem atingimento palmar das mãos e pés, e da região peri-bucal (em torno da boca). Em alguns casos a língua fica com pequenas vesiculas.

TransmissãoEditar

A sua transmissão acontece por gotículas de saliva ou outras secreções infectadas que são expelidos por via nasal, tosse, espirros e pela respiração ou ainda através do contacto com vestuário e objectos contaminados.[1]

EpidemiologiaEditar

É mais comum em crianças em idade escolar, de 2 a 10 anos, durante o Outono e a Primavera.

TratamentoEditar

 
O exantema vermelho surge entre as 12 e as 72 horas após o primeiro pico febril e desaparece com a descamação cutânea.

O tratamento recorre à administração de antibióticos, sendo a penicilina o fármaco de primeira linha. Os sintomas costumam diminuir com um a dois dias de terapeutica antibiotica. Além da penicilina outras opções incluem eritromicina, azitromicina e amoxicilina.[2]

Antes da descoberta dos antibióticos era uma causa frequente de morte em crianças, pois quando não é tratada adequadamente, pode causar hemorragias gástricas, esplénicas e intestinais. Também existe possibilidade de ocorrerem convulsões, nefrite, otite, poliartralgias e problemas cardiovasculares.

PrevençãoEditar

Pessoas infectadas devem permanecer em casa, com talheres e objectos de higiene não partilhados, por pelo menos 24h depois de medicados com antibióticos e após o desaparecimento dos sintomas.[2]

A vacina específica foi pouco eficiente e cara. A eficiência do tratamento antibiótico garantiu uma mortalidade próxima a zero.[3]

Referências

  1. a b c ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/RESP/ESCARLA_pubger07.pdf
  2. a b http://www.patologias.net/2010/05/escarlatina/
  3. "Initiative for Vaccine Research (IVR) - Group A Streptococcus". World Health Organization. Retrieved 15 June 2012.