Abrir menu principal

Na História da Arte o termo Escola assume uma característica diferente da palavra escola no sentido tradicional. Ele surge depois que um artista, ou um grupo, desenvolve um conjunto de ideias ou técnicas, que passam a influenciar as linguagens, alterando o modo de expressão das gerações futuras. Tem-se como exemplos notáveis:

  • A Escola de Mannheim: referência às técnicas orquestrais introduzidas pela orquestra de Mannheim, na segunda metade do século XVIII, bem como ao grupo de compositores que escreveram música para esta orquestra e adotaram a forma sonata. O nome se deve ao fato de os seus músicos e sua orquestra estarem a serviço da corte do príncipe Karl Theodor, soberano do Palatinado, cuja capital era Mannheim.[1]

NotasEditar

[nota 1] ^ A escola de Bauhaus pode ser entendida nas duas acepções do termo, pois houve um espaço físico até 1933 e depois disso a influência cultural e estilística permaneceu.

Referências

  1. Carlos Eduardo Schaffer. «Mozart, gênio universal da música». Catolicismo.com.br. Consultado em 14 de setembro de 2012 
  2. Pitoresco. «Os mestres da arte flamenga». Consultado em 14 de setembro de 2012. Arquivado do original em 10 de dezembro de 2011 
  3. Gropius, Walter - Bauhaus - novarquitetura; São Paulo: Editora Perspectiva.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.