Abrir menu principal

Escola Superior de Ciências da Saúde

faculdade pública estadual em Brasilia, Distrito Federal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde outubro de 2013). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Escola Superior de Ciências da Saúde
ESCS
Fundação 2001
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs)
Localização Brasília, DF
Diretor(a) Maria Dilma Alves Teodoro
Total de estudantes 800
Campus Brasília, Samambaia
Cores da escola Laranja e Branco
Página oficial www.escs.edu.br

A Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) é uma instituição de ensino superior pública brasileira, com sede em Brasília, no Distrito Federal. Possui dois campus, um situado em Brasília, na Asa Norte, onde oferece o curso de Medicina, e outro em Samambaia, no Setor Sul, onde oferece o curso de Enfermagem. A ESCS foi fundada no ano de 2001, dentro da estrutura da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), juntamente com sua mantenedora, a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde - FEPECS. Em 2007, a ESCS foi uma das 8 Instituições de Medicina do Brasil que obteve nota máxima no ENADE, sendo a mais bem colocada escola de medicina do Distrito Federal.

Índice

EstruturaEditar

 
Biblioteca Central no Campus Asa Norte.

Metodologia de EnsinoEditar

O Curso de Graduação em Medicina da ESCS foi delineado de acordo com as Diretrizes Nacionais Curriculares, mediante a adoção de um modelo pedagógico inovador, caracterizado por três princípios: aprendizagem centrada no estudante, ensino baseado em problemas e orientação à comunidade, permitindo que o estudante saia do papel de receptor passivo de informações para o de agente, principal responsável por seu aprendizado, nos moldes da didática construtivista. Essa metodologia é conhecida como metodologia ativa, onde existe duas abordagens problematizadoras: A pedagogia da problematização e a aprendizagem baseada em problema (ABP).

O método é utilizado, além de Brasília e Samambaia (DF), em São Carlos (UFSCar-SP), em Londrina (UEL-PR), Marília (FAMEMA-SP), MacMaster (Canadá), Harvard (EUA), Illinois (EUA), Ohio (EUA) e em Maastrich (Holanda), dentre mais de 300 cidades do mundo, Avaliado e consagrado nesses locais, o método está em expansão em todo o mundo. O novo conceito curricular do curso de graduação em medicina está assentado em três grandes eixos:

- Módulos Temáticos;

- Habilidades e Atitudes;

- Interação Ensino-Serviços-Comunidade.


Os Módulos Temáticos, no qual os conteúdos são aprendidos sob a forma de problemas. Um pequeno grupo de estudantes, orientado por um tutor deve apresentar soluções para os casos específicos. Os alunos vão em busca de informações nas diversas fontes de pesquisa existentes (livros, Internet, consultores, e etc) para construir seu conhecimento. O das Habilidades e Atitudes, em que os alunos aprendem procedimentos clínicos e cirúrgicos mais frequentes e também treinam a abordagem que deve ser feita ao doente e sua família. Da Interação Ensino-Serviços-Comunidade, em cuja programação o estudante aprende a trabalhar com sua comunidade e a valorizar a rede básica de saúde onde está inserido. Estão definidos como campos de práticas de ensino-aprendizagem do curso, as Regionais de Saúde e Unidades Hospitalares da SES-DF.

Durante os quatro anos iniciais do curso, os alunos, sob supervisão, são inseridos precocemente em atividades práticas tanto em laboratórios como em serviços de saúde e na comunidade, estabelecendo contato com pacientes e comunidade. São ofertadas oportunidades de aprimoramento por meio do Laboratório Central, do Hemocentro de Brasília, de laboratórios de simulação, ambulatórios e centros de saúde, experiências e estágios hospitalares, Programa Saúde da Família e bibliotecas, inclusive virtuais, por meio de acesso a meios eletrônicos como a Internet.

VestibularEditar

O ingresso se dava mediante vestibular anual, até o ano de 2015, inicialmente realizado pelo Núcleo de Computação Eletrônica da UFRJ (NCE/UFRJ) até o ano de 2012, quando passou então a ser realizado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da UnB (CESPE/UnB). A partir de 2016, o ingresso passou a ser realizado pelo ENEM.

São Oferecidas 80 vagas para Medicina e 80 vagas para Enfermagem. Dessas, 32 vagas de cada curso são destinadas às cotas para escolas públicas do Distrito Federal.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.