Diferenças entre edições de "As Tentações de Santo Antão (Bosch, São Paulo)"

 
Uma pesquisa científica mais recente do retábulo paulista, realizada com métodos laboratoriais pela [[Universidade Estadual de Campinas]] ([[radiação ultravioleta]], [[fotografia]] em [[infravermelho]], [[estratigrafia]] da camada pictórica, entre outros estudos) resultou em um parecer similar. De acordo com o laudo da [[universidade]], “''há detalhes inéditos na composição a óleo do MASP que fazem dele uma autêntica versão de pesquisa por parte do artista. Estes detalhes foram minuciosamente catalogados, pois pode tratar-se de uma obra em etapa de evolução até atingir a perfeição demonstrada no painel de Lisboa''”.<ref name="HITNER">{{citar web | autor=Hitner, Sandra | titulo=Perícia na pintura de Jheronimus Bosch - As Tentações de Santo Antão | publicado = Instituto de Artes da Unicamp | url=http://www.restaurabr.org/arc/arc06pdf/13_SandraHitner.pdf| formato=PDF | acessodata=[[9 de abril]] de [[2008]] }}</ref>
 
==Proveniência==
 
Desconhece-se a ubicação do painel no período anterior ao [[século XIX]]. Acredita-se que obra tenha integrado o patrimônio artístico do [[convento]] de Santa Sofia, nas proximidades de [[Sevilha]]. A obra esteve na exposta na Galérie D'Atri, em [[Paris]]. Em seguida, passou ao acervo da Galeria Knoedler de [[Nova York]], onde foi adquirida pelo [[Museu de Arte de São Paulo]] em [[1954]], com recursos doados pelo fundador do [[museu]], [[Assis Chateaubriand]].<ref name="MIGLIACCIO" />
 
== {{Veja também}} ==