Diferenças entre edições de "Lewis Henry Morgan"

5 bytes removidos ,  15h17min de 6 de maio de 2008
sem resumo de edição
Na selvageria média e superior e na barbárie domina o critério do parentesco na constituição de gens, [[fratrias]], tribos e confederação de tribos - a Societas; na civilização triunfa o critério da classe e da propriedade - a [[Civitas]].
 
O trabalho efectuadoefetuado por Morgan ultrapassa assim os limites dos dois grandes domínios onde se centram as preocupações da sua época (o da família e o da religião), abrangendo outros aspectos da organização humana. Na sua recolha de informações, junto do povo [[Iroquês]], Morgan irá constatar que no seu sistema terminológico é aplicada uma forma diferente de tratamento entre os primos paralelos e os primos cruzados cruzados (G=PX). No seguimento do seu trabalho, descobre que a mesma forma de tratamento sucede com outros povos ameríndios, e desta constatação irá alargar o seu estudo a outros pontos do globo (onde, para além da ajuda de outros “informantes”, recorre aos trabalhos de Max Muller e de [[MacLennan]]). Através da realização de investigações com a ajuda de missionários, a recolha de uma grande massa de informação irá, mais tarde, e num plano mais interpretativo, considerar que existem essencialmente dois grandes sistemas de parentesco: sistemas classificatórios (o mesmo termo é aplicado a uma mesma classe de parentes) e sistemas descritivos (a nomenclatura do parentesco segue o parentesco biológico, utilizando um termo para cada membro da família nuclear, que não é utilizado fora desta).
Assim, após o estudo efectuadoefetuado através da observação directadireta dos Iroqueses e de outras tribos ameríndias, o autor irá construir uma teoria sobre os sistemas de consanguinidadeconsangüinidade e de afinidade (Sistems of Consanguinity an Afinity of the Human Family, 1871), cujo seguimento posterior dará lugar à obra de síntese do seu pensamento (The Primitive Society, 1877), que influenciou marcadamente o pensamento antropológico posterior. O autor classifica as “quatro categorias de factosfatos que acompanham, em linhas paralelas, os caminhos do progresso humano do estado selvagem à civilização” (Morgan, 1973:9). Estas categorias compreendem essencialmente os pontos seguintes:
 
1. A estreita associação entre a organização dos meios de subsistência e as tecnologias resultantes da relação do Homem com o meio ambiente, no âmbito da qual terá igualmente havido uma correspondência directadireta entre o grau de desenvolvimento técnico e o grau de desenvolvimento social. O autor refere como ponto de transição entre os diversos estádios evolutivos, as inovações e as descobertas tecnológicas. Estas “estão em directadireta relação com o progresso da humanidade, assinalando a sua marcha por uma série de etapas sucessivas” (Morgan, 1973:8).
 
2. A organização das instituições sociais e civis, que se foram desenvolvendo “a partir de certos germes elementares do pensamento”(Morgan, 1973:14), primeiro em torno das relações de parentesco, passando pela gradual instituição da transmissão hereditária de cargos e de bens - através do reconhecimento e da consolidação dos laços de sangue -, para chegar à afirmação da individualidade, com o aumento de bens e da propriedade privada. À transição de uma fase para a outra, o autor vai fazer corresponder duas diferentes formas de organização política (a democracia primitiva, sem Estado, que designa por Societas, e a organização Civitas, onde a democracia cede lugar ao Estado).
Utilizador anónimo