Abrir menu principal

Alterações

539 bytes adicionados ,  00h46min de 17 de maio de 2008
sem resumo de edição
É considerado um dos pioneiros na introdução do [[design moderno]] no Brasil, tendo ajudado a fundar a primeira escola superior de design neste país, a [[Escola Superior de Desenho Industrial do Rio de Janeiro]] (ESDI). É normalmente considerado pela crítica um dos mais importantes [[design gráfico|designers gráficos]] brasileiros do [[século XX]].
 
Além de designer, foi [[artista plástico]] e secretário geral do [[Ministério da Educação e da Cultura]] (MEC). Foi diretor do [[Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional]] (IPHAN) e esteve sempre ligado a questões próprias da [[cultura brasileira]]. ProjetouFundou em [[1960]] o escritório M+N+P em conjunto com Luiz Fernando Noronha e Artur Lício Pontual, posteriormente se transformando na atual PVDI - Programação Visual Desenho Industrial. Ao lado dos novos sócios Joaquim Redig e Rafael Rodrigues, projetou a [[identidade visual]] da [[Petrobrás]], do [[IV Centenário do Rio de Janeiro]] e foi responsável pelo projeto gráfico das notas do [[cruzeiro novo]] (moeda adotada no país a partir de [[1966]]). Foi também membro fundador d'[[O Gráfico Amador]], uma [[private press]] que, através de suas experiências [[tipografia|tipográficas]], teve influência significativa sobre o moderno [[design gráfico]] brasileiro.
 
Aloisio faleceu em [[Pádua]], [[Itália]] em [[1982]], quando tomava posse como presidente da Reunião de Ministros da Cultura dos Países Latinos. Após sua morte foi editado o livro ''E triunfo?'', registrando seu pensamento e sua ação à frente dos organismos federais de cultura.
 
==Bibliográficas==
Utilizador anónimo