Diferenças entre edições de "Laudo de Camargo"

1 086 bytes adicionados ,  18h22min de 10 de novembro de 2008
sem resumo de edição
(bot : reversão de 201.81.206.164 (vandalismo : -9), revertendo para a versão 10959137 de Kaktus Kid)
'''Laudo Ferreira de Camargo''' ([[Amparo (SP)|Amparo]], [[17 de abril]] de [[1881]] — [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[21 de julho]] de [[1963]]) foi um [[advogado]] e [[política|político]] [[brasil]]eiro.
 
Laudo Ferreira de Camargo nasceu em 17 de abril de 1881 em Amparo, província de São Paulo. Era filho do Coronel João Belarmino Ferreira e de D. Francisca Viegas de Arruda Camargo.
Foi interventor federal no governo de [[São Paulo]], de [[26 de julho]] a [[13 de novembro]] de [[1931]].
 
Formou-se na Faculdade de Direito de São Paulo aos 4 de maio de 1902, recebendo o grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais.
Foi nomeado ministro do [[Supremo Tribunal Federal]] por [[Getúlio Vargas]], por decreto de [[30 de maio]] de [[1932]], na vaga resultante do falecimento de [[Francisco Cardoso Ribeiro]], assumindo o cargo em [[9 de junho]]. Foi eleito presidente, de 31 de janeiro de 1949 a 17 de abril de 1951.
 
Voltou a viver em sua terra natal, Amparo, onde exerceu a advocacia, até se tornar Promotor Público da Comarca da cidade vizinha de Serra Negra. Sua nomeação para esse cargo ocorreu por decreto estadual em 28 de abril de 1905. Ficou nesse cargo por alguns anos, até sua remoção (a seu pedido) para Promotoria Pública de São José do Rio Pardo no dia 28 de janeiro de 1908.
=={{Ligações externas}}==
*{{Link|pt|2=http://vela.stf.gov.br/institucional/presidentes/Presidentes.asp?cod_min=78|3=Biografia de Laudo Ferreira de Camargo na galeria dos ministros do Supremo Tribunal Federal}}
 
Obteve o título de habilitação para o cargo de Juiz de Direito, uma formalidade outrora exigida por lei para exercício da função. Aos 19 de novembro de 1910 foi nomeado Juiz de Itaporanga, por decreto. Mais tarde conseguiu a remoção para a comarca de Cajuru em 24 de agosto de 1911.
 
Mais uma vez requereu e obteve remoção de Comarca, indo, dessa vez, para São Simão (8 de outubro de 1912) e, mais tarde, aos 18 de janeiro de 1915, foi removido para a 1ª Vara da Comarca de Ribeirão Preto.
{{Começa caixa}}
{{Caixa de sucessão
|título=[[Anexo:Lista de governadores de São Paulo|Governador de São Paulo]]
|anos=[[1931]]
|antes=[[João Alberto Lins de Barros]]
|depois=[[Manuel Rabelo]]
}}
{{Caixa de sucessão
|título=[[Anexo:Lista de presidentes do Supremo Tribunal Federal|Presidente do Supremo Tribunal Federal]]
|anos=[[1949]] — [[1951]]
|antes=[[José Linhares]]
|depois=[[José Linhares]]
}}
{{Termina caixa}}
 
Ficou em Ribeirão Preto por sete anos, tendo sido eleito Presidente do Centro Nacionalista.
 
Depois, foi promovido para a 1ª Vara da Comarca de Santos, na época a 4ª Entrância, por decreto de 3 de março de 1922.
{{Governadores de São Paulo}}
{{Presidentes do Supremo Tribunal Federal}}
 
Trabalhou na Comarca de Santos até o dia 20 de setembro de 1927, quando, por conta de nova promoção, foi removido para a 1ª Vara Cível e Comercial da capital de São Paulo, a chamada Entrância Especial.
{{DEFAULTSORT:Laudo Ferreira Camargo}}
[[Categoria:Governadores de São Paulo]]
[[Categoria:Ministros do Supremo Tribunal Federal]]
[[Categoria:Paulistas de Amparo]]
 
{{esboço-biografia}}
Assumiu o Governo de São Paulo, como interventor federal, aos 24 de julho de 1931. Deixando a interventoria, voltou às suas funções de Ministro do Tribunal local.
Foi convidado pelo Presidente Getúlio Vargas para o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Aceitou o convite e foi nomeado, por decreto de 30 de maio de 1932 para o cargo vago com a morte de Francisco Cardoso Ribeiro. Tomou posse como Ministro do STF aos 9 de agosto de 1931.
 
Foi eleito Presidente do Augusto Sodalício, cargo que ocupou desde 31 de janeiro de 1949 até 25 de abril de 1951, quando se aposentou.
{{semiw}}
 
Faleceu dia 20 de julho de 1963, no Rio de Janeiro.
Utilizador anónimo