Diferenças entre edições de "Lewis (metralhadora)"

Sem alteração do tamanho ,  15h56min de 5 de abril de 2009
m
Revertida por mudança da grafia (Huggle)
m (Revertida por mudança da grafia (Huggle))
O Coronel Lewis ficou frustrado ao tentar persuadir o Exército dos EUA a adoptar o seu projecto. Decidiu então reformar-se a dirigiu-se para a Bélgica. Os belgas depressa adoptaram a arma em 1913, adoptando a munição [[.303 Britânica]]. Pouco depois, a Birmingham Small Arms Company (BSA) adquiriu a licença para fabricá-la no Reino Unido. Os alemães defrontaram-se, pela primeira vez, com a Lewis, ao invadirem a Bélgica em 1914, dando-lhe o apelido de "'''a Cascavel Belga'''".
 
Os Exército Britânico adaptouadoptou a Lewis, pouco depois dos belgas, em 1914. Cada arma necessitava de uma guarnição de dois elementos, um apontador para a disparar e um municiador, para transportar as munições e recarregá-la. Todos os militares da secção estavam treinados para a disparar caso a sua guarnição ficasse incapacitada. Os primeiros [[tanque]]s britânicos, os [[Mark I (tanque)|Mark I]] estavam armados com metralhadoras Lewis. Foi usada nas aeronaves britânicas, tanto operada pelos segundos tripulantes (observadores ou apontadores) como arma primária, em complemento das metralhadoras Vickers.
 
Em 1917, o Exército dos Estados Unidos, adoptou finalmente a Lewis no calibre .30-06 Springfield. A arma foi, no entanto rapidamente substituída, logo em 1918, pela [[BAR]].
129 347

edições