El muerto: diferenças entre revisões

7 bytes adicionados ,  8 de março de 2006
sem resumo de edição
m (+cat, -semcat, +wikificar)
{{revisão}}
{{wikificar}}
'''O Morto''' é um conto de [[Jorge Luís Borges]].
 
==Sinopse==
Este conto narra o percurso de um homem, pobre e nascido nos subúrbios de Buenos Aires, e de como conseguiu chegar a ser chefe de contrabandistas. Ao ver as oportunidades que o destino cada vez mais lhe oferecia, é tomado pela ambição e propõe-se a chegar cada vez mais alto; delineia planos, faz amizades, e por fim, inevitavelmente, consegue o que deseja. O destino parece estar do lado dele. Mas este conto gira principalmente em volta da expressão “o destino dá, o destino tira”. Numa noite, Bandeira percebe que o deixaram gozar, com ironia, crueldade e quase condescendência, de tudo o que conseguiu alcançar, antes de o atraiçoar e matarem. Percebe que foi um joguete nas mãos do destino, e que na verdade, não estava em controlo de coisa alguma
{{spoiler}}
 
EsteO conto narra o percurso de um homem, pobre e nascido nos subúrbios de [[Buenos Aires]], e de como conseguiu chegar a ser chefe de contrabandistas. Ao ver as oportunidades que o destino cada vez mais lhe oferecia, é tomado pela [[ambição]] e propõe-se a chegar cada vez mais alto; delineia planos, faz amizades, e por fim, inevitavelmente, consegue o que deseja. O destino parece estar do lado dele. Mas este conto gira principalmente em volta da expressão “o destino dá, o destino tira”. Numa noite, Bandeira percebe que o deixaram gozar, com ironia, crueldade e quase condescendência, de tudo o que conseguiu alcançar, antes de o atraiçoar e matarem. Percebe que foi um joguete nas mãos do destino, e que na verdade, não estava em controlo de coisa alguma
 
Este conto gira principalmente em volta da expressão “o destino dá, o destino tira”. Numa noite, Bandeira percebe que o deixaram gozar, com ironia, crueldade e quase condescendência, de tudo o que conseguiu alcançar, antes de o atraiçoar e matarem. Percebe que foi um joguete nas mãos do [[destino]], e que na verdade, não estava no controle de coisa alguma.
 
[[Categoria:Livros de Jorge Luis Borges]]
3 254

edições