Diferenças entre edições de "Daniel de La Touche"

12 bytes adicionados ,  12h55min de 29 de agosto de 2009
m
Bot: Modificando: fr:Daniel de La Touche; mudanças triviais
m (Bot: Modificando: fr:Daniel de La Touche; mudanças triviais)
'''Daniel de La Touche''', sob o título de Senhor de La Ravardière, foi um experiente capitão da Marinha Francesa do século XVII. Nobre, de religião protestante, liderou a expedição francesa que, em 1612, deu início as pretensões de colonização no Norte do Brasil. Denominada de [[França Equinocial]], teve seu marco na fundação do "Fort Saint Louis" (Forte de São Luís), que atualmente chama-se "Palácio dos Leões" e abriga a sede do governo estadual em [[São Luís]], atual capital do [[Maranhão]]. La Touche oriundo de Poitou, na região do Loire, viveu grande parte de sua vida em [[Cancale]] com sua esposa, cidade portuária próxima de Saint-Mailo, no Norte da [[França]], na região da [[Bretanha]].
 
== A expedição ==
Na época o rei da França era [[Henrique IV de França|Henrique IV]], a quem La Touche teria convencido sobre a importância de tomar posse das regiões não ocupadas pelos portugueses. La Touche conhecia bem a região pois em 1604 havia explorado as costas da Guiana com o navegador Jean Mocquet. Porém Henrique faleceu, deixando como sucessor seu filho [[Luis XIII]], ainda criança. A viúva de Henrique, Maria de Médici, assumiu a regência, de religião católica, impediu a expedição pelas diferenças religiosas com La Touche. Depois de algumas barganhas na corte, tendo angariado fundos com o almirante François de Rossilly, Senhor Almers (líder católico), e o senhor de Sancy, Nicolau de Herley, La Touche partiu de Cancale, em Março de 1612, com uma caravela e duas naus: "Saint-Anne", "Régente" e "Charlote", tripuladas por 500 homens, entre eles frades capucinhos, viajando por cinco meses completos, enfrentando os dissabores do mal tempo, talvez por não ter conseguido a benção do bispo, já que era protestante. Chegou em Setembro do mesmo ano, à "Montanha dos Canibais", um ponto elevado na Ilha Grande, domínio dos Tupinanbás.
 
== Papagaios Amarelos ==
A saga é contada em detalhes no livro de Maurice Pianzola, "Les Perroquets Jaunes" (Os Papagaios Amarelos, traduzido em português), subtítulo de "Franceses à Conquista do Brasil / XVII Século", que foi adaptado ao cinema, em 2002 e assim produzido filme e documentário, sob a direção da suiça Emmanuelle de Riedmatten. Os índios tupinambás chamavam os franceses de papagaios amarelos, por serem loiros/ruivos e tagarelas diferentemente dos portugueses.
 
Os franceses se coligaram aos tupinambás, o que os ajudaram a erguer a fortificação e uma pequena aglomeração de residências, já na expedição de La Touche, porém não foi o bastante para fazer frente a ofensiva portuguesa, liderada por [[Jerônimo de Albuquerque Maranhão]] e [[Alexandre Moura]], que expulsou os franceses da região no final do ano de 1615.
 
== Carta Patente ==
Pode-se observar um trecho de documento oficial da corte francesa delegando a La Touche poderes de colonização ao sul da Guiana: ''"de La Ravardière de La Touche, seu lugar-tenente-geral na terra da América, desde o rio das Amazonas até a ilha da Trindade, que teria feito duas viagens diversas às Índias para descobrir portos e rios próprios para abordar e estabelecer colônias, o que teria tão felizmente sucedido que, tendo chegado naquelas bandas, tinha facilmente disposto os habitantes das ilhas do Maranhão e da terra
firme adjacente vista por ele tupinambás, tabajaras e outros a buscar nossa proteção"''
 
== Marcas deixadas no Maranhão ==
O sonho de uma colônia francesa no Brasil, deixou algumas marcas na sociedade maranhense, em São Luís existem logradouros e estabelecimentos comerciais com o nome dos conquistadores, bustos, um Colégio Batista com o nome de La Touche e ainda uma marca de café, bastante conhecida. Existe atualmente, uma pretensão de fortalecer os laços entre a região e a França, incentivando inclusive o intercâmbio cultural.
 
== Referências ==
Sarney, José e Costa, Pedro. Amapá: terra onde o Brasil começa.
 
== Ligações Externas ==
*[http://www.jornalcazumba.com.br/index.php?Itemid=2&id=51&option=com_content&task=view] Editorial do Jornal Cazumbá do Maranhão sobre a veracidade e o potencial turístico da influência francesa na região.
*[http://www.portugalweb.net/portugalnomundo/america/maranhao/slouis.asp O que a história se esqueceu sobre o Maranhão] (visitado em 20Jan09)
[[Categoria:Pessoas do Brasil Colonial]]
[[Categoria:História do Maranhão]]
 
[[fr:Daniel de la Touche]]
 
{{seminterwiki}}
 
[[fr:Daniel de laLa Touche]]
403 683

edições