Diferenças entre edições de "Coisa julgada"

91 bytes removidos ,  15h33min de 13 de setembro de 2009
 
Por exemplo: “A” cobra indenização de “B”, mas o advogado de “A” não apresenta ao juiz procuração para representá-lo no processo. O juiz profere sentença extinguindo o processo “sem julgamento de mérito”. “A” não recorre no prazo previsto pela lei e a sentença transita em julgado. A coisa julgada formal impede que o juiz modifique a sentença naquele mesmo processo, se descobrir que a procuração havia sido apresentada ou se o advogado vier a apresentá-la posteriormente. No entanto, providenciada a procuração, “A” pode iniciar um novo processo para cobrar indenização de “B”.
 
Aqui o Juiz NÃO JULGA o MÉRITO. Esta linha tem a colaboração de arilago@gmail.com.
 
 
=== Coisa julgada material ===
Utilizador anónimo