Diferenças entre edições de "Teatro Garrett"

662 bytes adicionados ,  17h56min de 16 de setembro de 2009
sem resumo de edição
===A decadência===
[[imagem:Teatro Garrett degradação.jpg|thumb|230px|Parte da fachada degradada do Teatro Garrett antes do início das obras de recuperação com cartaz político de protesto, com "Basta de esperar pelo Garrett."]]
Com o passar dos anos, no final do século XX, o espaço encontrava-se em avançado estado de degradação. Para o recuperar devidamente, foram propostos vários projectos e tentado apoio financeiro com recurso ao programa nacional denominado ''Adaptação e Instalação de Recintos Culturais'' em 1997, que no entanto é rejeitado, transitando para o ano seguinte, mas que uma alteração legislativa impede nova candidatura augurando o desaparecimento do teatro. Assim, para proteger o teatro de ser usado para outros fins, que não o seu propósito secular, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim decide comprar o imóvel por 170 mil contos (o equivalente a quase 848 mil euros).<ref>[http://www.cm-pvarzim.pt/municipio/empresas-municipais/cine-teatro-garret Cine-Teatro Garrett] - CMPV</ref><ref name="CMPV">[http://www.cm-pvarzim.pt/municipio/obras-municipais/cine-teatro-garrett-de-volta-a-vida-cultural-da-povoa Cine-Teatro Garrett de volta à vida cultural da Póvoa] - CMPV</ref> O edifício continuou a funcionar, mas demonstrou degradação estrutural.
 
===A recuperação===
Em Setembro de 2005, a Câmara da Póvoa vedou o teatro com taipas de obra por perigo de ruína. Em Março de 2006, o vereador da Cultura da Câmara, Luís Diamantino, garantia que o projecto de recuperação do Garrett estava praticamente concluído e chegou mesmo a afirmar que acreditava ser possível ter o teatro recuperado e operacional ainda em 2007.<ref>[http://jn.sapo.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=581488 Obras do Cine-teatro Garrett estão paradas há um ano] - Jornal de Notícias</ref>
A 15 de Setembro de 2008, aproveitando um momento menos bom na construção civil nacional, mas positiva financeiramente na cidade, foi finalmente adjudicada a recuperação e valorização do Garrett, por apenas quatro milhões e 300 mil euros, um valor mais baixo do que o valor base do concurso, na ordem dos cinco milhões e 400 mil euros. A obra arrancaria nos próximos 30 dias.<ref name="CMPV"/> No entanto, com a crise financeira mundial, com as dificuldades financeiras da construtora e o atraso na chegada das verbas do Fundo de Turismo (dos impostos da concessão de jogo do [[Casino da Póvoa]]), que financiarão 50% da empreitada, levam a que a requalificação pare durante longos meses.<ref>[http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?distrito=porto&concelho=p%25f3voa+de+varzim&option=interior&content_id=1157040 Recuperação do Cine-Teatro Garrett parada] - Jornal de Notícias</ref>
 
A 15 de Setembro de 2008, aproveitando um momento menos bom na construção civil nacional, mas positiva financeiramente na cidade, foi finalmente adjudicada a recuperação e valorização do Garrett, por apenas quatro milhões e 300 mil euros, um valor mais baixo do que o valor base do concurso, na ordem dos cinco milhões e 400 mil euros. A obra arrancaria nos próximos 30 dias.<ref name="CMPV"/> No entanto, com a crise financeira mundial, com as dificuldades financeiras da construtora e o atraso na chegada das verbas do Fundo de Turismo (dos impostos da concessão de jogo do [[Casino da Póvoa]]), que financiarão 50% da empreitada, levam a que a requalificação pareesteja durantebloqueada longosaté mesesdia 14 de Setembro de 2009, um ano depois.<ref>[http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?distrito=porto&concelho=p%25f3voa+de+varzim&option=interior&content_id=1157040 Recuperação do Cine-Teatro Garrett parada] - Jornal de Notícias</ref>
 
==Projecto de recuperação==
A intervenção pretende-se recuperar a imagem de sala de espectáculos, vocacionada para a apresentação de teatro e dança, espectáculos de música ou até para a projecção de filmes de carácter não comercial, mantendo as características essenciais do edifício, com a recuperação da fachada, mas adequada às exigências contemporâneas do público.<ref name="CMPV"/>
 
A reestruturação do edifício, passou pelo redimensionamento da própria sala de espectáculos, cuja capacidade total passa a 485 lugares sentados, incluindo 32 lugares nos camarotes, a criação de uma sala de apoio para recepções ou eventos de menor escala e de uma zona de bar e esplanada ao nível da cobertura do edifício, a criação de novos camarins, a reestruturação geral do palco e das áreas técnicas.<ref name="CMPV"/>
 
{{refsection}}
10 860

edições