Diferenças entre edições de "Rolando"

242 bytes adicionados ,  22h29min de 24 de setembro de 2009
sem resumo de edição
[[Imagem:Bremen Roland.jpg|thumb|[[Câmara Municipal e estátua de Rolando no Mercado de Bremen|Estátua de Rolando em Bremen]] (Património Mundial)]]
 
'''Rolando''', também referido como '''Roldão''' (''Roland'' em [[língua francesa|francês]] e [[língua alemã|alemão]], ''Rolando'' ou ''Roldán'' em [[língua castelhana|castelhano]], ''Orlando'' em [[língua italiana|italiano]], ''Rotllà'' ou ''Rottlant'' em [[língua catalã|catalão]]) é um personagem da [[literatura medieval]] e [[literatura do renascimento|renascentista]] europeia inspirado num obscuro conde que viveu no século VIII, na época da [[dinastia carolíngia]]. Segundo a lenda, Rolando foi sobrinho do imperador [[Francos|franco]] [[Carlos Magno]] e morreu heroicamente lutando contra os [[mouros]] da [[Península Ibérica]]. As histórias sobre Rolando e outros personagens da corte de Carlos Magno são coletivamente referidos como ''[[Matéria de França]]'' e foram objeto de inúmeras obras literárias. A obra mais antiga sobre Rolando é o poema épico ''[[A Canção de Rolando]]'' (''La chanson de Roland''), datado do século XII. A tradição chega até os épicos renascentistas italianos ''Orlando apaixonado'' (''[[Orlando innamorato]]'') de [[Matteo Maria Boiardo]] e ''[[Orlando furioso]]'' de [[Ludovico Ariosto]].
 
As histórias sobre Rolando e outros personagens da corte de Carlos Magno são coletivamente referidos como ''[[Matéria de França]]'' e foram objeto de inúmeras obras literárias. A obra mais antiga sobre Rolando é o poema épico ''[[A Canção de Rolando]]'' (''La chanson de Roland''), datado do século XII. A tradição chega até os épicos renascentistas italianos ''Orlando apaixonado'' (''[[Orlando innamorato]]'') de [[Matteo Maria Boiardo]] e ''[[Orlando furioso]]'' de [[Ludovico Ariosto]].
As lendas que se desenvolveram ao redor de Rolando estão relacionadas com um personagem real, um tal conde Hruodland, vassalo de Carlos Magno e prefeito da marca da [[Bretanha]]. Este conde participou da campanha militar que o rei levou a cabo na península ibérica em 778, à época dominada em sua maior parte por [[muçulmanos]]. No curso da campanha, Carlos aliou-se a certos líderes muçulmanos contra outros, saqueou [[Pamplona]] e sitiou [[Saragoça]]. Um levantamento dos [[saxões]] obrigou o rei a retirar-se para assegurar a fronteira oriental do reino. No dia 15 de agosto de 778, a retaguarda do exército franco foi atacada por [[bascos]] [[cristão]]s ao transitar pelos [[Pireneus]] - possivelmente na passagem de [[Roncesvales]] (na atual [[Navarra]], [[Espanha]]). Essa batalha ou escaramuça é citada por [[Eginhardo]], biógrafo de Carlos Magno, que em sua ''[[Vita Caroli Magni]]'' (c. 830) relata que os soldados francos da retaguarda, incluído "Hruodland, prefeito das marcas da Bretanha" (''Hruodlandus Brittannici limitis praefectus''), foram todos mortos.
 
==Rolando histórico==
As lendas que se desenvolveram ao redor de Rolando estão relacionadas com um personagem real, um tal conde Hruodland, [[vassalo]] de Carlos Magno e prefeito da marca da [[Bretanha]]. Este conde participou da campanha militar que o rei levou a cabo na península ibérica em 778, à época dominada em sua maior parte por [[muçulmanos]]. No curso da campanha, Carlos aliou-se a certos líderes muçulmanos contra outros, saqueou [[Pamplona]] e sitiou [[Saragoça]]. Um levantamento dos [[saxões]] obrigou o rei a retirar-se para assegurar a fronteira oriental do reino. No dia 15 de agosto de 778, a retaguarda do exército franco foi atacada por [[bascos]] [[cristão]]s ao transitar pelos [[Pireneus]] - possivelmente na passagem de [[Roncesvales]] (na atual [[Navarra]], [[Espanha]]). Essa batalha ou escaramuça é citada por [[Eginhardo]], biógrafo de Carlos Magno, que em sua ''[[Vita Caroli Magni]]'' (c. 830) relata que os soldados francos da retaguarda, incluído "Hruodland, prefeito das marcas da Bretanha" (''Hruodlandus Brittannici limitis praefectus''), foram todos mortos. Essa menção na obra de Eginhardo é a única referência histórica a Rolando que data da época carolíngia.
 
A destruição da retaguarda e a morte de Rolando passaram a ser material para os poemas cantados pelos jograis medievais, num contexto em que Carlos Magno era lembrado como o imperador que livrou várias campanhas contra os povos [[pagão]]s da Europa, como os saxões e os muçulmanos ibéricos. Nos séculos seguintes, essas campanhas passaram a inspirar e serem inspiradas pela [[Reconquista]] e as [[Cruzadas]], que também tratavam da luta entre cristãos e povos de outras crenças.
11 533

edições