Abrir menu principal

Alterações

7 bytes adicionados, 02h27min de 1 de outubro de 2009
sem resumo de edição
 
Havia uma evidente diferença [[linguística]] entre a Tribo de Efraim e os outros israelitas, já que quando os israelitas de [[Gileade]], sob a liderança de [[Jefté]], lutaram contra a Tribo de Efraim, a pronúncia da palavra ''[[Xibolete|shibboleth]]'' como ''sibboleth'' era considerada uma prova suficiente para identificar indivíduos pertencentes à tribo, para que fossem condenados instantaneamente à morte.
 
A tribo de Efraim é simbolizada pelo Unicório.Sua imagem está associada à pureza e à força, porém não o Unicórnio do paganismo, mas sim um animal, da família do rinoceronte moderno, da pré-história e que está extinto a muitos anos.
Acredita-se que o Elasmotherium deu origem ao mito moderno do Unicórnio, como descrito por testemunhas na China e Pérsia.
A caveira estava intacta e com um chifre único no meio, preso com firmeza. Cerca de 100 anos depois, uma ossada semelhante foi encontrada perto da mesma caverna. Os dois esqueletos foram analisados por Gottfried Leibniz, sábio da época, que declarou que (a partir das evidências encontradas) passara a acreditar na existência de unicórnios.
 
'''Referências Escriturísticas:'''
 
Números 24:8 “Deus o tirou do Egito; as suas forças são como as do UNICÓRNIO {*}; consumirá as nações, seus inimigos, e quebrará seus ossos, e com as suas setas os atravessará.”
Utilizador anónimo