Diferenças entre edições de "Lennie Briscoe"

4 912 bytes adicionados ,  14h13min de 16 de dezembro de 2009
 
Briscoe foi criado como [[Catolicismo|católico]], porém é [[Judaísmo|judeu]] por parte de pai, e ocasionalmente frequenta serviços religiosos judaicos como uma cortesia à sua primeira esposa.<ref>''Law & Order'', ep. "Blood Libel", exibido originalmente em 3 de janeiro de 1996.</ref> Seu pai sofreu do [[Mal de Alzheimer]].<ref>''Law & Order'', ep. "Golden Years", exibido originalmente em 5 de janeiro de 1994.</ref> Embora não seja judeu de acordo com a definição tradicional, Briscoe foi por vezes alvo do [[antissemitismo]] de criminosos e até mesmo de alguns de seus colegas de profissão. Desenvolveu uma amizade com um dos poucos policiais judeus durante sua temporada na série, [[John Munch|John Munch]] ([[Richard Belzer]]), apesar do ressentimento inicial de Munch ao descobrir que Briscoe teve um caso com uma de suas ex-mulheres.
 
==Características do personagem==
Briscoe é um dos diversos personagens do programa a ter servido nas [[forças armadas]]; a um certo ponto chegou a ser [[cabo]] no [[Exército dos Estados Unidos]], e por diversas vezes mencionou seu serviço militar durante a [[Guerra do Vietnã]]. Após deixar o exército, Briscoe entrou para a NYPD, no 29º Distrito Policial, onde trabalhou como guarda na ronda diária; após transferências para os 31º, 110º e 116º distritos, eventualmente atingiu o cargo de detetive. O número de seu escudo é '8220'.
 
Briscoe tipicamente faz um comentário sarcástico ou uma piada sobre a vítima ou as circunstâncias de sua morte no fim das cenas de abertura de boa parte dos episódios em que aparece. Gosta de música, embora apenas de estilos que foram populares em sua juventude; na nona temporada, Curtis comenta que seu gosto musical teria terminado em [[Bobby Darin]]. Briscoe costumava ler [[Langston Hughes]] quando, segundo ele próprio, costumava ser um ''[[beatnik]]'', o que "costumava funcionar muito bem com as garotas judias".<ref>''Law & Order'', ep. "Slave", exibido originalmente em 21 de abril de 1996.</ref>.
 
Diversos dos antigos parceiros de Briscoe anteriores à série (antes de Briscoe fazer parte do 27º distrito) foram ou acabaram se tornando [[Corrupção|corruptos]]. No episódio "Jurisdiction", de 1993, o tenente Brian Torelli ([[Dan Hedaya]]) extrai à força uma confissão de um homem com [[problemas mentais]]; no fim do episódio Briscoe está presente quando a [[corregedoria]] prende Torelli por [[perjúrio]] e [[obstrução de justiça]],
 
Outros dos ex-parceiros de Briscoe, o detetive John Flynn ([[Kevin Conway]]), o acusa falsamente, no episódio "Corruption", de 1996, de ter pego drogas apreendidas da sala de evidências do 116º distrito durante a temporada em que ambos serviram no mesmo. Flynn faz a alegação em parte para tentar confundir a Comissão Hellman, criada para investigar as denúncias de corrupção policial, incluindo a morte a tiros de um suspeito, em circunstâncias questionáveis, pelo próprio Flynn, e em parte como uma forma de se vingar de Curtis, que se recusa a defender Flynn através de um falso testemunho. Briscoe, no entanto, tem um [[álibi]] - na época ele estava tendo um envolvimento amoroso com a oficial de polícia Betty Abrams, uma mulher casada. Contra a vontade de Briscoe, Abrams testemunha diante da comissão para exonerá-lo; devido ao caso, no entanto, os membros da comissão questionam a sua credibilidade.<ref name="Corruption" /> Embora Briscoe eventualmente seja inocentado, os advogados de defesa de suspeitos presos por ele subsequentemente frequentemente exploram estas alegações ao longo do resto de sua carreira.<ref name="ReferenceA"/><ref>''Law & Order'', ep. "Sideshow", exibido originalmente em 17 de fevereiro de 1999.</ref><ref>''Law & Order'', ep. "Monster", exibido originalmente em 20 de maio de 1998.</ref><ref>''Law & Order'', ep. "Under the Influence", exibido originalmente em 7 de janeiro de 1998.</ref>
 
Em alguns momentos de sua carreira Briscoe tomou decisões controversas; no episódio "Stalker", um ''[[stalker]]'' acusado de ter assassinado uma mulher acaba sendo solto porque a vítima confessou ter mentido à polícia sobre um de seus ataques anteriores. No entanto, depois que a vítima é encontrada assassinada, Briscoe interpela o promotor [[Jack McCoy]] ([[Sam Waterston]]), afirmando acreditar agora que a vítima não estava mentindo à polícia a respeito do ataque anterior do criminoso, e se oferecendo para testemunhar em juízo que acreditava que o relatório policial original estava incorreto. Seu parceiro, Curtis, também é convocado a depor, e afirma acreditar na correção do relatório. No fim do episódio, o ''stalker'' é considerado culpado, e, fora do tribunal, Curtis e Briscoe se reconciliam.
 
Pouco tempo depois serem designados como novos parceiros, Briscoe e Green quase se agridem fisicamente durante uma investigação particularmente difícil de um assalto/homicídio. O principal suspeito confessa enquanto está sendo preso, porém como Briscoe é o único policial a ouvir a confissão, Green, Van Buren e McCoy ficam numa posição difícil ao se verem obrigados a corroborar o que está sendo alegado. Novamente, Briscoe acaba por se sentir justiçado, e eventualmente reconstrói sua relação profissional com Green, que se acaba por se transformar numa grande amizade.<ref>''Law & Order'', ep. "Marathon", exibido originalmente em 17 de novembro de 1999.</ref>
 
Briscoe se [[Aposentadoria|aposenta]] da NYPD em 2004.<ref>''Law & Order'', ep. "C.O.D.", exibido originalmente em 19 de maio de 2004.</ref> Seu sucessor no 27º Esquadrão de Detetives é o detetive [[Joe Fontana (Law & Order)|Joe Fontana]] ([[Dennis Farina]]), cuja permanência ali acabaria por ser muito menor que a de Lennie.
 
==Histórico de trabalho==