Diferenças entre edições de "Lennie Briscoe"

17 bytes removidos ,  14h17min de 16 de dezembro de 2009
Outros dos ex-parceiros de Briscoe, o detetive John Flynn ([[Kevin Conway]]), o acusa falsamente, no episódio "Corruption", de 1996, de ter pego drogas apreendidas da sala de evidências do 116º distrito durante a temporada em que ambos serviram no mesmo. Flynn faz a alegação em parte para tentar confundir a Comissão Hellman, criada para investigar as denúncias de corrupção policial, incluindo a morte a tiros de um suspeito, em circunstâncias questionáveis, pelo próprio Flynn, e em parte como uma forma de se vingar de Curtis, que se recusa a defender Flynn através de um falso testemunho. Briscoe, no entanto, tem um [[álibi]] - na época ele estava tendo um envolvimento amoroso com a oficial de polícia Betty Abrams, uma mulher casada. Contra a vontade de Briscoe, Abrams testemunha diante da comissão para exonerá-lo; devido ao caso, no entanto, os membros da comissão questionam a sua credibilidade.<ref name="Corruption" /> Embora Briscoe eventualmente seja inocentado, os advogados de defesa de suspeitos presos por ele subsequentemente frequentemente exploram estas alegações ao longo do resto de sua carreira.<ref name="ReferenceA"/><ref>''Law & Order'', ep. "Sideshow", exibido originalmente em 17 de fevereiro de 1999.</ref><ref>''Law & Order'', ep. "Monster", exibido originalmente em 20 de maio de 1998.</ref><ref>''Law & Order'', ep. "Under the Influence", exibido originalmente em 7 de janeiro de 1998.</ref>
 
Em alguns momentos de sua carreira Briscoe tomou decisões controversas; no episódio "Stalker", um ''[[Stalking|stalker]]'' acusado de ter assassinado uma mulher acaba sendo solto porque a vítima confessou ter mentido à polícia sobre um de seus ataques anteriores. No entanto, depois que a vítima é encontrada assassinada, Briscoe interpela o promotor [[Jack McCoy]] ([[Sam Waterston]]), afirmando acreditar agora que a vítima não estava mentindo à polícia a respeito do ataque anterior do criminoso, e se oferecendo para testemunhar em juízo que acreditava que o relatório policial original estava incorreto. Seu parceiro, Curtis, também é convocado a depor, e afirma acreditar na correção do relatório. No fim do episódio, o ''stalker'' é considerado culpado, e, fora do tribunal, Curtis e Briscoe se reconciliam.
 
Pouco tempo depois serem designados como novos parceiros, Briscoe e Green quase se agridem fisicamente durante uma investigação particularmente difícil de um assalto/homicídio. O principal suspeito confessa enquanto está sendo preso, porém como Briscoe é o único policial a ouvir a confissão, Green, Van Buren e McCoy ficam numa posição difícil ao se verem obrigados a corroborar o que está sendo alegado. Novamente, Briscoe acaba por se sentir justiçado, e eventualmente reconstrói sua relação profissional com Green, que se acaba por se transformar numa grande amizade.<ref>''Law & Order'', ep. "Marathon", exibido originalmente em 17 de novembro de 1999.</ref>
 
Briscoe se [[Aposentadoria|aposenta]] da NYPD em 2004.<ref>''Law & Order'', ep. "C.O.D.", exibido originalmente em 19 de maio de 2004.</ref> Seu sucessor no 27º Esquadrão de Detetives é o detetive [[Joe Fontana (Law & Order)|Joe Fontana]] ([[Dennis Farina]]), cuja permanência ali acabaria por ser muito menor que a de Lennie.
 
==Histórico de trabalho==