Diferenças entre edições de "Mario Alinei"

3 bytes removidos ,  23h27min de 8 de janeiro de 2010
Alterações ao abrigo de WP:ORT/TC2009
(Checkwiki: limpeza de formatação utilizando AWB)
(Alterações ao abrigo de WP:ORT/TC2009)
'''Mario Alinei''' ([[Turim]], [[1926]]), é um [[lingüísticalinguística|lingüistalinguista]] [[Itália|italiano]], professor emérito da Universidade de [[Utrecht]], antigo presidente do ''[[Atlas Linguarum Europae]]'' e fundador dos ''[[Quaderni di semantica]]''.
 
Alinei é, junto com [[Colin Renfrew]], um dos principais detratores do modelo "invasionista" do [[Indo-europeu]], frente do qual propôs uma alternativa: a [[teoria da continuidade paleolítica]]). É, aliás, um especialista na [[língua etrusca]] e defende a existência duma relação entre esta língua e a [[língua húngara]].
Mario Alinei tem apontado uma série de debilidades do modelo invasionista, nomeadamente a ausência de provas arqueológicas determinantes<ref>ALINEI, M. 1997, « Toward an Invasionless Model of Indoeuropean Origins : The Continuity Theory », ''Papers from the EEA Third Annual Meeting at Ravenna 1997'' - Vol. I Pre-and Protohistory – Editado por M. Pearce e M. Tósi, BAR International Series 717, pp. 31-33.RENFREW, C. 1987, ''Archaeology and Language: The Puzzle of Indo-European Origins'', London: Pimlico.</ref>, la compromission idéologique<ref>DEMOULE, J-P. 1999, « Destin et usages des Indo-Européens », ''in'' ''Mauvais temps'', n° 5, juillet 1999, Syllepse.</ref> e o fato de este modelo ser único no mundo. A partir dessas debilidades postulou, como fez também Renfrew<ref>RENFREW, C. 1987, ''Archaeology and Language: The Puzzle of Indo-European Origins'', London: Pimlico.</ref>, a sua invalidez e a necessidade de dar uma explicação alternativa.
 
Controvertida em meios universitários, a [[teoria da continuidade paleolítica]], da qual é autor, sugestiona uma diferenciação lingüísticalinguística entre as línguas da Europa, não posterior mas anterior ao Neolítico. Chega, inclusive, a pôr em dúvida a importância da família de línguas indo-européias, declarando: « Mais importante é o fato de Renfrew ter mostrado que os termos neolíticos comuns de numerosas línguas indo-européias podem ser considerados como vocábulos emprestados<ref>ALINEI, M. 1997, « Toward an Invasionless Model of Indoeuropean Origins : The Continuity Theory », ''Papers from the EEA Third Annual Meeting at Ravenna 1997'' - Vol. I Pre-and Protohistory – Editado por M. Pearce e M. Tosi, BAR International Séries 717, pp. 31-33.</ref>. »
 
Sugere também que a diferenciação entre as línguas de Europa ocorreu no [[Mesolítico]].