Diferenças entre edições de "Calabar: o Elogio da Traição"

8 bytes adicionados ,  19h45min de 10 de janeiro de 2010
Checkwiki: limpeza de sintaxe utilizando Project:AWB
(Checkwiki: limpeza de sintaxe utilizando Project:AWB)
'''Calabar: o elogio da traição''' é o título da peça de [[teatro]] musicada, escrita em [[1973]] por [[Chico Buarque]] e [[Ruy Guerra]], e editada em livro pela editora Civilização Brasileira.
 
== Sinopse ==
A peça relativiza a posição de [[Domingos Fernandes Calabar]] no episódio histórico em que ele preferiu tomar partido ao lado dos holandeses contra a coroa portuguesa.
 
A intenção dos autores, porém, era denunciar um erro histórico, nem tinha a pretensão de promover uma revisão: o alvo era, justamente, o próprio regime militar, sua censura, os veículos de comunicação que, engessados pelas versões dos fatos sempre acordes com o sistema, passavam ao povo imagens que precisavam ser questionadas em sua veracidade.
 
=== Músicas ===
''Artigo principal: [[Chico Canta]]''
 
Dentre as músicas que compõem o repertório da obra, algumas foram sucesso, como "''Não existe pecado ao sul do Equador''" (cantada por [[Ney Matogrosso]]); "''Cala a boca, Bárbara''", e outras.
 
== Iniciativa ousada ==
''Calabar: o elogio da traição'', foi escrita no final de 1973, em parceria com o cineasta [[Ruy Guerra]] e dirigida por Fernando Peixoto.
Era uma das mais caras produções teatrais da época, custou cerca de trinta mil [[dólar]]es e empregava mais de oitenta pessoas.
 
== A peça e a ditadura ==
A [[censura]] do [[Ditadura militar no Brasil|regime militar]] deveria aprovar e liberar a obra em um ensaio especialmente dedicado a isso. Depois de toda a montagem pronta e da primeira liberação do texto, veio a espera pela aprovação final. Foram três meses de expectativa e, em [[20 de outubro]] de [[1974]], o general Antônio Bandeira, da [[Polícia Federal]], sem motivo aparente, proibiu a peça, proibiu o nome '''Calabar''' do título e proibiu que a proibição fosse divulgada.
 
Seis anos mais tarde, uma nova montagem estrearia, desta vez, liberada pela censura.
 
== O livro ==
Publicado em livro no ano de [[1994]], pela editora Civilização Brasileira, '''Calabar''' já teve 23 edições. (ISBN: 8520001368).
 
A peça teatral ( musical) "Calabar- O elogio da traição ", foi representada em Belo Horizonte, em 2009 com a produção de Athenas Produçoes, no teatro Cesciatti ( Palacio das Artes ) Um belíssimo espetáculo com o ator Menotti Orlandi representando Mauricio de Nassau !
 
== {{Ligações externas}} ==
* [http://www.teatrocaleidoscopio.com.br/calabar.htm Sinopse] - reapresentação em 1998.
 
{{esboço-teatro}}
 
Desde a 2ª estreia, houveramhouve outras adaptações para os palcos, sendo as mais recentes em Niterói (2007) e Belo Horizonte (2008).
 
[[Categoria:Peças de teatro do Brasil]]
[[Categoria:Livros de 1994]]
[[Categoria:Chico Buarque]]
 
Desde a 2ª estreia, houveram outras adaptações para os palcos, sendo as mais recentes em Niterói (2007) e Belo Horizonte (2008).