Diferenças entre edições de "Seminário Episcopal de Angra"

3 234 bytes adicionados ,  00h32min de 26 de abril de 2006
m
sem resumo de edição
m
m
O '''Seminário Diocesano de Angra''', sito na cidade de [[Angra do Heroísmo]], fundado em [[1862]], é a única instituição de ensino eclesiáticoeclesiástico da [[Igreja Católica Romana]] nos [[Açores]]. Durante anos foi a única instituição de formação pós-secundária aberta nos Açores, tendo, dadas as dificuldades de acesso à rede liceal, assumido até à década de 1970 um papel central na formação da intelectualidade e da classe dirigente açoriana, tendo atingido o seu apogeu nas décadas de 1950 e 1960.
==Origem==
Apesar do [[Concílio de Trento]] ([[1545]]-[[1563]]), na sua Sessão XXV, ter determinado que, a bem da qualidade e da ortodoxia, a formação dos sacerdotes se faria em ''seminários'', durante os primeiros 3 séculos de história da diocese angrense, os clérigos açorianos preparavam-se maioritariamente nos conventos de religiosos existentes nas ilhas e nos colégios dos [[Jesuítas]] de [[Angra do Heroísmo|Angra]], [[Ponta Delgada]] e [[Horta]] (até à sua expulsão). Alguns frequentavam seminário portugueses, com um pequeno número a frequentarem a [[Universidade de Coimbra]], a [[Universidade de Salamanca]] e seminários e colégios em Roma.
 
Com o andar do tempo, a função de formar o clero foi sendo progressivamente assumida pelos colégios dos Jesuítas, cuja qualidade de teológica e pastoral era considerada melhor. Mesmo assim surgem amiúde referências que prova que a formação do clero era deveras deficientes.
 
Face à importância que tinham assumido, a ideia de criar um seminário nos Açores ganhou novo impulso quando a expulsão dos Jesuítas fechou os três colégios existentes, deixando a formação essencialmente nas mãos dos conventos [[Franciscano]]s, manifestamente impreparados para tal.
 
Foi neste contexto que logo em [[1788]], o bispo D. Frei [[José da Avé-Maria Leite da Costa e Silva]], à semelhança de outros prelados em dioceses que enfrentavam o mesmo problema, propôs criar um seminário no Colégio de Angra dos expulsos Jesuítas, mas nada se fez porque tal proposta foi rejeitada pelo governo.
 
A ideia de criar um seminário nos Açores manteve-se uma preocupação central dos prelados, de tal forma que o bispo D. [[José Pegado de Azevedo]] (1802-1812), pois deixou em testamento a sua livraria ao seu sucessor, até que ''houvesse em Angra um seminário''.
 
Nas Bulas de Confirmação de D. Frei [[Estêvão de Jesus Maria]] para [[Diocese de Angra|bispo de Angra]], o [[papa Leão XII]] manifestava o desejo de que ele fundasse um seminário, conforme prescrevera o [[Concílio de Trento|Concílio Tridentino]].
 
Foi assim que aproveitando este mandato explícito e as condições favoráveis criadas pela [[Regneração]] que em 1862, passados 328 anos da fundação da Diocese, e quase 300 após aquele Concílio, começou a funcionar um seminário nos [[Açores]].
 
Foi aproveitado para tal fim o extinto [[convento de São Francisco de Angra]], cujas obras de adaptação levaram 2 anos a realizar. A sua inauguração solene realizou-se a [[9 de Novembro]] de [[1862]]. Nesse dia teve lugar uma grande festa em honra de Nossa Senhora da Guia, titular do antigo convento, à qual assistiu o bispo diocesano e muito clero da Ilha.
 
Apesar dessa abertura solene as avultadas obras que se realizaram, só em 1864 é que o Seminário Episcopal de Angra recebeu os seus primeros alunos internos.
==A coexistência com o Liceu==
 
{{mínimo}}
 
==Referências==
 
[[Categoria:Região Autónoma dos Açores]]
 
{{esboço}}