Diferenças entre edições de "Seminário Episcopal de Angra"

188 bytes adicionados ,  00h00min de 29 de abril de 2006
m
==A coexistência com o Liceu==
Na sua fase inicial o Seminário e o Liceu de Angra partilharam instalações no antigo convento franciscano, sendo que a biblioteca que o Liceu tinha, na sala do convento para esse fim destinada, era quase exclusivamente constituída por livros que lá haviam deixado os frades [[franciscano]]s.
 
No tempo do bispo D. [[Francisco José Vieira e Brito]] (1892-1901), foi criada a Estudantina Santa Cecília, o elemento orquestral de todas as festas do Seminário no século seguinte.
 
No ano lectivo de 1901-1902 foi entregue ao Seminário todo o edifício. A decisão de entregar o edifício ao Seminário parece estar ligada à epidemia de [[febre tifóide]] que em fins de Novembro do ano de 1900, causou a morte a 5 jovens que frequentavam o Seminário. Dada a gravidade da situação, os alunos foram autorizados a ir para junto das suas famílias, até finais de Janeiro seguinte e o Liceu mudou de instalações. Tal acontecimento parece ter influído na decisão do governo de entregar ao Seminário aquele velho edifício.
 
A situação de utilização exclusiva das instalações durou pouco, já que em [[1910]] ambas as instituições partilhavam novamente o edifício.
 
==A implantação da República==
Na sequência da implantação da República em Portugal e da separação entre Igreja e Estado, no princípio de Outubro de 1911, invocando ''ordens superiores'', o administrador do concelho de [[Angra do Heroísmo]] tomou conta das chaves do edifício, ficando todo o mobiliário escolar, biblioteca, o pequeno museu, instalações eléctricas, louças, e demais equipamentos na posse do Estado.