Diferenças entre edições de "Lâmina basal"

902 bytes adicionados ,  20h00min de 25 de abril de 2010
sem resumo de edição
m (Revertidas edições por 189.17.34.210, para a última versão por Rjbot)
Etiqueta: Ligações internas removidas
[[Ficheiro:Basal lamina.jpg|right|thumb|300px]]
 
Na superfície de contato entre as células epiteliais e o tecido conjuntivo subjacente há uma estrutura chamada lâmina basal. Esta estrutura só é visível com o micróscopio eletrônico. Os componentes principais das lâminas basais são colágeno tipo IV, as gliciproteínas laminina e entactina e proteoglicanos. A lâmina basal se prende ao tecido conjuntivo por meio de fibrilas de ancoragem constituídas por colágeno tipo VII.
A '''lâmina basal''' é uma treliça de [[macromolécula]]s, funcionalmente importante para a [[célula]]. Essa estrutura delimita o [[tecido epitelial]] do [[tecido conjuntivo]] subjacente. Trata-se de uma matriz rica em [[proteína]]s e [[polissacarídeo]]s. Apresenta 5 componentes principais: [[colágeno]] tipo IV, [[laminina]], [[fibronectina]], [[entactina]] e [[heparansulfato]].
Lâminas basais existem não só em tecidos epiteliais, mas também onde outros tipos de células entram em contato com tecido conjuntivo. Ao redor de células musculares, células adiposas e células de Schwann a lâmina basal forma uma barreira que limita ou controla a troca de macromoléculas entre essas células e o tecido conjuntivo. Lâminas basais existem também entre camadas epitelias adjacentes ou muito próximas, como nos alvéolos pulmonares e nos glomérulos renais. Nesses casos, a lâmina basal é mais espessa, pois resulta da fusão das lâminas basais de cada uma das camadas de células epiteliais.
 
Os componentes das lâminas basais são secretados pelas células epiteliais, musculares, adiposas e de Schwann. Em alguns casos, fibras reticulares estão intimamente associadas à lâmina basal, constituindo a lâmina reticular.
'''Funções:'''
Papel estrutural e na filtração de moléculas.
Utilizador anónimo