Diferenças entre edições de "Barroco"

52 bytes adicionados ,  13h47min de 26 de abril de 2010
 
O termo "barroco" advém da palavra portuguesa homónima que significa "pérola imperfeita". Foi usado desde a [[Idade Média]] pelos [[escolástica|escolásticos]] como um termo mnemônico do [[silogismo]], indicando um [[raciocínio]] estranho, tortuoso, que confundia o falso com o verdadeiro. A palavra foi rapidamente introduzida nas línguas francesa e italiana, mas nas artes plásticas foi usada somente no fim do período em questão pelo críticos que queriam com ela condenar os excessos e irregularidades de um estilo que já estava em vias de findar e era visto como uma simples degeneração dos princípios clássicos. A carga pejorativa que se ligou ao conceito de Barroco só começou a ser dissolvida em meados do século XIX a partir dos estudos de [[Jacob Burckhardt]], mas em especial com o trabalho de [[Heinrich Wölfflin]].<ref name="Harris"/><ref>Coutinho, Afrânio. ''Literatura barroca''. IN Benton, William (ed). ''Enciclopédia Barsa''. Rio de Janeiro, São Paulo: Encyclopaedia Britannica Editores Ltda., 1969. p. 54</ref>
Isso quer dizer que os barrocos gostavam de vaginas
 
== Antecedentes ==
Utilizador anónimo