Diferenças entre edições de "Banda Negra (Revolução Francesa)"

8 bytes removidos ,  20h23min de 12 de maio de 2010
A fábrica era protegida por [[Stanislas-Marie Maillard|Stanislas Maillard]], assalariado do banqueiro [[Jean-Frédéric Perrégaux]]<ref>Arquivos Nacionais, Minutier central des notaires parisiens, Étude...</ref> e entrou em funcionamento muitos meses antes da [[Jornada de 10 de Agosto de 1792]], que marcou a queda do Rei [[Luís XVI de França|Luís XVI]] do poder.
 
Denunciados pelos [[Gironda|girondinos]], notadamente por [[Étienne Clavière]], que era ministro girondino das Contribuições Públicas, os falsários de Surennes foram presos em [[13 de Agosto]] de [[1793]]. Alguns deles foram encarcerados, entre eles o Conde de Preissac, o Conde de Kératry, Étienne de Mallet, Jean-Suzanne de Sentuary e Hilarion de Louesnich, todos clientes das casas de jogo do Palais-Royal e com ótimo relacionamento com os [[Hebertistas|Exagerados]] da [[Comuna de Paris (1792)|Comuna de Paris]].
 
[[Stanislas-Marie Maillard|Stanislas Maillard]] encarregou-se de sua prisão mas favoreceu sua fuga das prisões de Paris antes dos "[[Massacres de Setembro de 1792|Massacres de Setembro]]". Os prisioneiros haviam sido reunidos na [[Châtelet (Paris)|Prisão do Châtelet]] que foi uma das últimas prisões a ser visitada pelos assassinos.
2 050

edições