Diferenças entre edições de "Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais"

Ajustes/novos dados/ref
(Ampliando)
(Ajustes/novos dados/ref)
Nas décadas de 60 e 70, a programação do festival se extendia por um mês.<ref name="ufmg3"/>
 
O [[Grupo Corpo]], fundado em [[1975]], surgiu após [[Rodrigo Pederneiras]] ter adquirido inspiração em uma oficina realizada com o bailarino argentino Oscar Araiz.<ref name="diversa"/>. O primeiro espetáculo do grupo, ''Maria Maria'', foi coreografado por argentino Oscar Araiz, percorreu 14 países e permaneceu em atividade no Brasil de [[1976]] até [[1982]].<ref name="diversa"/>
 
Em [[1978]], uma oficina gerou a aproximação de integrantes que formaram o [[Uakti]].<ref name="seminais"></ref>O flautista, professor da Escola de Música da UFMG e membro fundador do Uakti-Oficina Instrumental, Artur Andrés, começou a participar do festival aos 16 anos e identifica Berenice Menegale, uma das suas fundadoras, como uma das responsáveis pelo sucesso do evento pelo dom de aglutinar pessoas.<ref name="diversa">Revista Diversa. (março de 2005). ''[http://www.ufmg.br/diversa/6/artecultura.htm Quatro festivas décadas]''. Revista da [[Universidade Federal de Minas Gerais]],
Em [[1980]] e [[1984]], o festival não foi realizado.<ref name="arteessencial"/>.
 
Em [[1982]], uma oficina realizada em [[Diamantina]] despertaria em alguns participantes a formação do [[Grupo Galpão]].<ref name="seminais">[[Estado de Minas]]. (20 de junho de 2010). ''Oficinas seminais''. Caderno ''Em Cultura''</ref>.A trupe se encontrou nas oficinas de teatro dos alemães Kurt Bildstein e George Froscher, do Teatro Livre de Munique, que trabalhavam com o teatro de rua<ref name="diversa"/>. A oficina resultou em ''A Alma Boa de Setsuan'', de [[Bertolt Brecht]], a primeira montagem do grupo.<ref name="diversa"/>
 
Entre [[1981]] e [[1983]] e em [[1985]], foi realizado em [[Diamantina]],<ref name="arteessencial"/>onde passou a ser guiado pela pesquisa e reflexão artística.<ref name="entrevista">[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (19 de julho de 2009). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/012497.shtml Em entrevista, Fabrício Fernandino fala sobre a trajetória do Festival e suas perspectivas]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
Nos dois anos seguintes, ocorreu em [[São João del-Rei]].<ref name="arteessencial"/>.
 
Em [[1988]], aconteceu a 20ª edição do festival em [[Poços de Caldas]].<ref name="arteessencial"/>
A último mudança foi em [[2000]], quando mudou-se para Diamantina.<ref name="arteessencial"/>A partir desse período, teve uma redução de seu formato em decorrência de restrições econômicas e adaptação à infraestrutura local, embora tenha promovido reflexões mais aprofundadas sobre a arte contemporânea e da relação da arte com outras áreas de conhecimento.<ref name="entrevista"/>
 
==Características==
Desde a sua fundação, adquiriu sentidos e estruturas diferentes. Fabrício Fernandino detalha os enfoques e características temporais: [[1967]]-[[1979]] (aproximação artística e política); [[1981]]-[[1985]] (investigação, [[pesquisa]] e [[poesia]]); [[1986]]-[[1993]] (itinerância); [[1993]]-[[1999]] (torna-se o grande festival de Ouro Preto) e [[2000]]-[[2011]] (aprofunda a transdisciplinariedade da questão artística, já em Diamantina).<ref name="em2">Magioli, Ailton. (20 de junho de 2010). ''Semador de cultura''. Jornal ''[[Estado de Minas]]''. Caderno ''EM Cultura''</ref>
As primeiras edições foram feitas com verbas escassas, originárias da universidade, [[Ministério da Educação (Brasil)|Ministério da Educação]] e [[Funarte]].<ref name="diversa"/>
 
Desde a sua fundação, adquiriu sentidos e estruturas diferentes. Fabrício Fernandino detalha os enfoques e características temporais: [[1967]]-[[1979]] (aproximação artística e política); [[1981]]-[[1985]] (investigação, [[pesquisa]] e [[poesia]]); [[1986]]-[[1993]] (itinerância); [[1993]]-[[1999]] (torna-se o grande festival de [[Ouro Preto]]) e [[2000]]-[[2011]] (aprofunda a transdisciplinariedade da questão artística, já em [[Diamantina]]).<ref name="em2">Magioli, Ailton. (20 de junho de 2010). ''Semador de cultura''. Jornal ''[[Estado de Minas]]''. Caderno ''EM Cultura''</ref>
Além da tese, o festival foi tema de documentários como ''Festival de 10 invernos'', que registrou a primeira década do evento, dirigido por José Tavares de Barros; e ''20 anos do Festival de Inverno da UFMG'', de Silvino José de Castro, a partir de [[dissertação]] de mestrado defendida nos [[Estados Unidos]].<ref name="em2"/>
 
Além da tese de Fabrício Fernandino, o festival foi tema de documentários como ''Festival de 10 invernos'', que registrou a primeira década do evento, dirigido por José Tavares de Barros; e ''20 anos do Festival de Inverno da UFMG'', de Silvino José de Castro, a partir de [[dissertação]] de mestrado defendida nos [[Estados Unidos]].<ref name="em2"/>
 
O público do evento é majoritariamente formado por estudantes e profissionais das áreas de artes, cinema, letras e comunicação.<ref name="ufmg2"/>
 
===Temas e desenvolvimento===
 
* 32ª edição, em [[2000]] - realizado com 44 oficinas e cursos, nos quais 993 alunos aprofundaram seus conhecimentos artísticos ou se iniciaram no mundo da arte<ref name="doismil"/>. Houve shows em lugares públicos, mostra de vídeo de animação canadense, exposição fotográfica, lançamentos de livros, sessões grátis de cinema e palestras<ref name="doismil">[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (2000). ''[http://www.ufmg.br/boletim/bol1275/pag3.html Festival transformará Diamantina
em capital cultural de Minas]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 33ª edição, em [[2001]] - realizado com o tema ''Arte, Meio Ambiente e Turismo Cultural'' e 120 oficinas e atividades culturais<ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (25 de julho de 2002). ''[http://www.ufmg.br/boletim/bol1359/quinta.shtml UFMG lança catálogo do 33º Festival de Inverno]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 34º edição, em [[2002]] - teve 56 oficinas e mais de 60 eventos, entre peças de teatro, espetáculos de dança, shows musicais, mostras, palestras e exposições<ref name="carla">Maia, Carla. (1 de agosto de 2002). ''[http://www.ufmg.br/boletim/bol1360/quinta.shtml Festival de Inverno valoriza cultura local e democratiza acesso a oficinas]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 35ª edição, em [[2003]] - ''Limites - desdobramentos e rupturas'' <ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (19 de dezembro de 2002). ''[http://www.ufmg.br/boletim/bol1379/ Festival 2003 quer aprofundar experimentação]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>, comocom cinco áreas temáticas e em uma área de projetos especiais, com três palestras diárias e a realização de 16 oficinas<ref>Silva Júnior, Maurício Guilherme. (19 de junho de 2003). ''[http://www.ufmg.br/boletim/bol1401/terceira.shtml A nova cara do Festival]''. [[Universidade Federal de Minas Gerais]], acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 36ª edição, em [[2004]] - ''Arte: fronteiras contemporâneas'', com debates acerca dos limites da arte contemporânea<ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (24 de maio de 2004). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/000366.shtml UFMG lança programação de seu 36º Festival de Inverno]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>. Foram realizados 44 cursos e oficinas de artes cênicas, artes plásticas, literatura e cultura, mídia arte e música.<ref name="folha">[[Folha Online]]. (14 de junho de 2004). ''[http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u45017.shtml Festival de Inverno da UFMG abre inscrições para oficinas]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
* 37ª edição, em [[2005]] - ''Diálogos possíveis'', com a proposição da interlocução transdisciplinar entre os diversos campos das artes e das ciências,<ref name="">[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (1 de julho de 2005). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/001806.shtml 37º Festival de Inverno divulga programação cultural]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>ealém de 49 diferentes atividades, entre oficinas, cursos, simpósios, encontros e seminários<ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (14 de junho de 2005). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/001730.shtml 37º Festival de Inverno começa a receber inscrições]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 38ª edição, em [[2006]] - com o tema e eixo conceitual ''Interatividades'' e 57 oficinas ofertadas<ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (9 de junho de 2006). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/003669.shtml Festival de Inverno da UFMG muda formato e privilegia a interatividade]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>, teve 57 oficinas<ref name="comecamasoficinas">[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (17 de julho de 2006). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/003915.shtml Em Diamantina, começam as oficinas do Festival]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
 
* 39ª edição, em [[2007]] - ''Territórios contemporâneos – Linguagens híbridas'', pretendeu reafirmar o valor da arte como elemento da integração e de transformação social e humana. Foram oferecidas 42 oficinas nas áreas artes audiovisuais, cênicas, literárias, musicais, plásticas e transdisciplinares, além do festival também ter contado com diversos projetos e apresentações culturais.<ref name="territorios">[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (24 de maio de 2007). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/005850.shtml UFMG lança programação cultural de seu Festival de Inverno 2007]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref><ref>[[Universidade Federal de Minas Gerais]]. (11 de julho de 2007). ''[http://www.ufmg.br/online/arquivos/006138.shtml Site oficial do 39º Festival de Inverno da UFMG traz notícias sobre o evento]'', acesso em 20 de junho de 2010</ref>
5 709

edições