Diferenças entre edições de "Alpedriz"

2 882 bytes removidos ,  08h19min de 26 de junho de 2010
Desfeita a edição 15680441 de 85.246.66.162 (discussão | contribs) VDA de http://www.cm-alcobaca.pt/index.php?ID=1914
(Desfeita a edição 6604479 de 217.129.177.120 (discussão | contribs))
(Desfeita a edição 15680441 de 85.246.66.162 (discussão | contribs) VDA de http://www.cm-alcobaca.pt/index.php?ID=1914)
 
Foi vila e sede de concelho até ao início do [[século XIX]]. Era constituído por uma freguesia e tinha, em [[1801]], 804 habitantes.
 
==História==
 
Antiga vila fundada pelos árabes em meados do séc. IX, conquistada por D. Afonso Henriques em 1147, que lhe deu foral em 1150.
 
Pertenceu à Ordem Militar de Avis, como sede de uma Comenda dessa Ordem, por doação de D. Sancho I.
D. Manuel I, em 1515, deu-lhe foral novo.
 
D. Carlos, em 1891, deu o título de Visconde de Alpedriz a José Eugénio da Silva, natural do Distrito de Leiria que no Rio de Janeiro realizou grande obra de benemerência e protecção aos colonos Portugueses.
Como um dos restos de passado de prestígio, existe um velhíssimo Pelourinho que estava localizado no meio de um largo em frente da chamada capela do santíssimo, é no lugar dessa capela que hoje está instalado o referido Pelourinho.
 
Da Capela existe ainda um relógio de sol e a sineta que se encontra na Capela de Santo António.
No lado norte do Pelourinho existia uma cadeia.
 
Nas dependências da referida Capela, ao nível do 1º andar, funcionou a escola primária, onde o Prof. António Moniz Barreto de Figueiredo, iniciou as suas funções em 1890.
 
Dizia ele que esta Escola era de fundação Pombalina e o mesmo professor fez dela um famoso Centro Cultural, atraindo aqui muitos alunos das freguesias circundantes que iam fazer exame a Leiria.
 
Chegaram a estar hospedados em Alpedriz, alunos de Maiorga e Martingança.
 
Na mesma capela e suas dependências esteve aquartelada uma guarnição Militar francesa, das tropas de Junot.
 
A sala das aulas passou a ser sede da Junta de Freguesia, depois da sala, por excesso de frequência, ter mudado para uma sala da casa Vieira da Rosa, sita nesta rua.
 
Conjuntamente com a Junta de Freguesia funcionou, na mesma sala, o Tribunal de Juízado de Paz e de que foi o seu último juiz o professor atrás citado.
 
Outrora, esta antiga vila possuía uma Companhia de Ordenanças, e tinha por orago Nossa Senhora da Esperança. Tinha: Misericórdia, Hospital de Antigos e Pobres (governado pelo juiz Ordinário da Vila). O Prior era de apresentação por concurso pelo tribunal da Mesa de Consciência e não do cabido de Leiria.
 
O Juiz eleito pelo povo e confirmado por aquele Tribunal era Juiz dos Órfãos e dos Direitos Reais.
 
Gozava a vila dos privilégios dos Caseiros da ordem, e ainda de outros concedidos por bulas Pontificais, entre as quais o direito de asilo. Tinha 2 Vereadores, 1 Procurador Escrivão da Câmara, 1 Notário do judicial e notas, o último dos quais foi José Moniz Barreto.
 
Havia aqui a tradição de que alguns dos privilégios pontifícios foram concedidos pelo Papa João XXI, daqui natural a pedido de sua mãe.
 
Refira-se ainda que esses privilégios originaram tais divergências entre os senhores e os Caseiros, e, a tal ponto que o Rei D. João V teve de lhes dar um regulamento ou estatuto para integralmente cumprirem.
O Concelho de Alpedriz foi extinto em Novembro de 1836
 
 
==Património==
 
*[[Pelourinho de Alpedriz]]
 
 
{{esboço-freguesiaspt}}
4 886

edições