Diferenças entre edições de "Regimento"

49 bytes adicionados ,  11h55min de 28 de julho de 2010
Alguns regimentos recrutam o seu pessoal exclusivamente numa determinada área geográfica, incorporando normalmente o nome do local ou região de recrutamento na designação regimental. Em outros casos, o regimento apenas irá recrutar pessoal de um determinado [[etnia|grupo étnico]] (ex.: regimentos de [[Gurkha]]s do Exército Britânico) ou pessoal estrangeiro (ex.: [[Legião Estrangeira]] do Exército Francês). Em certos casos, são levantados novos regimentos para desempenhar novas funções especializadas no exército (ex.: [[Rangers|75º Regimento de ''Rangers'']] do Exército dos EUA).
 
Neste sistema, a unidade básica de manobra é o batalhão. O regimento cumpre uma função administrativa e de organização, mas não se apresenta no campo de batalha como uma unidade completa. O seu comando e estado-maior não fazemfaz parte da cadeia de comando operacional, assumindo apenas funções administrativas. Em termos operacionais, os comandantes dos batalhões regimentais respondem diretamente perante os comandantes da brigada ou divisão onde estão integrados. Para todos os efeitos operacionais, os batalhões regimentais sãoconstituem unidades táticas independentes.
 
Normalmente, existem dois coronéis em cada regimento: o coronel efetivo e o [[coronel#coronel honorário|coronel honorário]]. O coronel efetivo é um militar de carreira que assegura a gestão administrativa do regimento, mas que não tem funções de comando tático sobre os batalhões regimentais. O coronel honorário ou coronel-chefe é uma figura cerimonial, sendo tradicionalmente escolhidos para desempenharem esta função [[oficial general|oficiais generais]] ou membros de famílias reais em países monárquicos.
 
No Sistema Regimental, cada regimento é responsável pela gestão do pessoal e dos recursos dos seus batalhões, incluindo o recrutamento, a instrução básica, a colocação e a gestão dos recursos humanos. Cada regimento pode ocupar-se da formação do seu próprio pessoal em vez de o mandarenviar para um centro de instrução comum a todas as unidades do exército. O pessoal militar que se alista num regimento raramente muda para outro ao longo da sua carreira, pelo menos até atingir as patentes de oficial general. Inclusive, quando um militar é destacado para exercer funções em academias militares, quartéis-generais ou outrooutros destinodestinos "extrarregimentalextrarregimentais", continua a fazer parte - do ponto de vista administrativo - do seu regimento de origem, frequentemente mantendo o uso do uniforme e insígnias daquele. Mesmo os oficiais generais, frequentemente, apresentam-se indicando o seu regimento de proveniência, ainda que, pela sua patente, já não façam parte do mesmo.
 
O regimento converte-se num vínculo de união tanto profissional como social. Esta união inclui não só o pessoal militar que presta serviço no regimento, mas até os seus familiares e os antigos membros já reformados. Existem diversas organizações de defesa das tradições regimentais, como associações de veteranos, bandas de música, corpos de cadetes[[cadete]]s e museus[[museu]]s.
 
===Sistema Continental===
Utilizador anónimo