Diferenças entre edições de "Turismo sexual"

25 bytes adicionados ,  20h24min de 8 de agosto de 2010
m
Recategorização + Ajustes (2.2.0) utilizando AWB
m (Recategorização + Ajustes (2.2.0) utilizando AWB)
[[FileFicheiro:9.000919 Pattaya streetscene5.jpg|rightdireita|400px|thumb|Prostitutas falam aos potentiais aliciadores estrangeiros na rua de [[Pattaya]], [[Tailândia]]. (Kay Chernush/U.S. State Department).]]
 
A [[Organização Mundial do Turismo]] (OMT) (1995) define o '''turismo sexual''' como “viagens organizadas dentro do seio do sector turístico ou fora dele, utilizando no entanto as suas estruturas e redes, com a intenção primária de estabelecer contactos sexuais com os residentes do destino”. Ryan (2001) por sua vez, entende que se trata de um tipo de [[turismo]] onde “o motivo principal de pelo menos uma parte da viagem é o de se envolver em relações sexuais. Este envolvimento sexual é normalmente de natureza comercial“.
 
== História e Evolução ==
Historicamente, as viagens e a [[prostituição]] têm sido muitas vezes associadas. De fato, quando olhamos para a história do turismo, podemos verificar através das ruínas de antigas grandes cidades, que era frequente receber "viajantes" por motivos essencialmente religiosos ou comerciais, e já há cerca de dois milênios, existiam bairros de prostitutas. Exemplos deste fato são as ruínas das cidades de [[Éfeso]] ([[Turquia]]), [[Babilônia]] ([[Iraque]]) e [[Pompeia]] ([[Itália]]) (Staebler, 1996).
 
O '''turismo sexual''' no geral tem sido reconhecido como uma das atrações turísticas de vários países do [[sudeste asiático]] (Ryan e Hall, 2001: 136) e da [[América Latina]], inclusive no Brasil. <ref> Folha Online, 26 de dezembro de 2005 [http://www1.folha.uol.com.br/folha/turismo/noticias/ult338u5441.shtml Italiano e português lideram turismo sexual no Nordeste]</ref> <ref>[http://www.dhnet.org.br/ots/index.html Osservatorio del Turismo Sessuale Italiano con Minori in Brasile]</ref>
 
Geralmente, a [[prostituição]] doméstica antecede o turismo sexual, ou seja, há primeiro uma procura interna à prostituição e só depois se verifica a chegada de turistas sexuais (Ryan & Hall, 2001: 139).
 
Segundo Ryan e Hall (2001: 136), a institucionalização do turismo sexual no [[sudeste asiático]] ocorreu nos [[anos 1960]], quando a prostituição associada à existência de [[Base militar|bases militares]] [[EUA|norte-americanas]] e [[Japão|japonesas]], à época da [[Segunda Guerra Mundial]]. Ainda segundo Ryan e Hall (2001: 141), os militares foram posteriormente substituídos pelos turistas estrangeiros, e o turismo sexual transformou-se em fonte de recursos em moeda estrangeira, para a população local.
 
Embora a [[prostituição]] seja proibida na maior parte dos países onde o turismo sexual acontece, a legislação existente a este respeito normalmente não é cumprida ou se revela insuficiente. Assim, o turismo sexual “democratizou-se“ ao longo das últimas décadas do [[século XX]], constituindo atualmente um fenômeno de massa em alguns países, notadamente na [[Europa Ocidental]], e a exploração sexual utiliza-se da infraestrutura turística convencional. O mesmo também ocorre em algumas regiões do Brasil, notadamente aquelas menos [[IDH|financeiramente desenvolvidas]].
 
{{refsectionReferências}}
 
== Bibliografia ==
== {{Ligações externas}} ==
* [http://www.acmp-ce.org.br/docs/TurismoSexualnoCeara.doc Relatório sobre o Turismo Sexual no Ceará (Arquivo no formato .doc)]
* [http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/outubro2004/ju269pag12.html "Asas do desejo". Artigo sobre pesquisa da antropóloga Adriana Piscitelli, do Núcleo de Estudos de Gênero (Pagu) da [[Unicamp]],acerca do universo do turismo sexual.]
 
{{Sexo fundo}}
{{esboço}}
 
{{DEFAULTSORT:Turismo Sexual}}
[[Categoria:Prostituição]]
[[Categoria:ModelosSegmentações dedo turismo|Sexual]]
 
[[cs:Sexuální turistika]]
5 065

edições