Abrir menu principal

Alterações

62 bytes adicionados, 21h48min de 9 de agosto de 2010
Desfeita a edição 21371613 de Rpmrn (discussão | contribs)
{{minidesambig|pelo mangá/anime|Gigantomaquia (Saint Seiya)}}
 
A '''Gigantomaquia''' (em [[Língua grega|grego]] γιγαντo-μαχια) é, na [[mitologia grega]], a guerra dos [[Gigantes (mitologia grega)|Gigantes]] contra os [[Deuses olímpicos]] que sucede a [[Titanomaquia]], por vezes a Gigantomaquia e a Titanomaquia são identificadas como a mesma guerra.
 
*[[Gigantes (mitologia grega)]]
*[[Gigantomaquia (Saint Seiya)]]
 
A Gigantomaquia e a Titanomaquia são a mesma guerra, que se originou graças a atitude de Cronos de engolir seus filhos, os deuses do Olimpo, para que não fosse destronado, porém, Réia, sua mulher, o engana e Cronos engole uma pedra, Réia esconde Zeus bebê em uma caverna, e Gaia cuida dele.
Quando Zeus cresce ele quer a vingança contra o pai e a libertação de seus outros irmãos, Zeus, coloca na bebida de Cronos um veneno que o faz vomitar a pedra e os deuses.
Zeus liberta do Tártaro os Hecatonquiros e os Ciclopes que como recompensa vão ajudar os deuses e dão a Zeus, o Raio, a arma mais forte do mundo. Os deuses, os Hecatonquiros e os Ciclopes vão para a guerra que resulta na castração de Cronos e na libertação do Tífon, um terrível monstro que é derrotado pelo Raio de Zeus. Com isso, os Titãs saem do poder e são aprisionados no Tártaro.
 
{{Mitologia Grega}}
55

edições