Diferenças entre edições de "Concílio de Jerusalém"

66 bytes removidos ,  17h12min de 10 de agosto de 2010
sem resumo de edição
}}
 
Provavelmente o '''Concílio de Jerusalém''' foi convocado pelo apóstolo [[Pedro]], conferir (At 15, 7), ''“Ao fim de uma grande discussão, Pedro levantou“Tornando-se e lhes disse: Irmãos, vós sabeis que já há muito tempo Deus me escolheu dentre vós, para que da minha boca os pagãos ouvissem a palavra do Evangelho e cressem”''; (At 15, 2), ''“Surgindo daí uma agitação e tornando-se veementeacesa a discussão de [[Paulo]] e [[Barnabé]] com eles, decidiulevantou-se que Paulo e Barnabé e alguns outros dos seus subiriam a ''Jerusalém'', aos [[apóstolosPedro]] e anciãos, para tratar da questão”disse:...”'' .
 
Pois havia surgido antes, ''“...uma agitação e tornando-se veemente a discussão de [[Paulo]] e [[Barnabé]] com eles, decidiu-se que Paulo e Barnabé e alguns outros dos seus subiriam a ''Jerusalém'', aos [[apóstolos]] e anciãos, para tratar da questão”'', (At 15, 2).
 
Devido a grande discussão, por causa da ''obrigatoriedade de submeter os novos cristãos as praticas da lei mosaica'', como a ''[[circuncisão]]'', se deveria comparecer em Jerusalém a presença dos [[apóstolos]].
 
A verdade da Igreja mese mantém por causa dos apóstolos e demais discípulos, como Paulo diz: ''“... Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade”'', conferir (Tm 3, 15). Aonde Paulo afirma que as ''três colunas'' que afirmam a Igreja são os apóstolos Pedro, Tiago e João: ''“Pelo contrário, vendo que a ''mim'' fora confiado o evangelho dos ''incircuncisos'' como a Pedro o dos ''circuncisos'' – pois Aquele que operava em ''Pedro'' para a missão dos ''circuncisos'' operou também em ''mim'' em favor dos ''gentios'' – e conhecendo a graça em ''mim'' concedida, Cefas (aramaico rocha), Tiago e João, os notáveis tidos como ''colunas'', estenderam-nos a mão, a ''mim'' e a ''Barnabé'', em sinal de comunhão”'' (Gl 2, 7:9).
 
Quanto a "presidência do Concílio", com a saída do apóstolo Pedro como primeiro bispo de Jerusalém, coube a São Tiago ocupar o seu lugar na igreja de Jerusalém, tornando-se segundo Bispo de [[Jerusalém]].
[[São Paulo]] ao levar o cristianismo a outros povos ''não'' exigia a [[circuncisão]] desses novos [[cristãos]]. Diante disso os [[presbíteros]] de Jerusalém se reuniram em torno de Tiago para fazer valer a "obrigatoriedade da circuncisão".
 
Interessante observar, que no episódio do Concílio de Jerusalém, mostra a unidade da Igreja: a igreja de Antioquia, de Corinto, de Éfeso não são independentes, por mais que as igrejas cristãs estejam separadas geograficamente são uma só Igreja, uma só organização eclesiástica.
 
São Paulo ao ser convocado a comparecer a Jerusalém não respondeu que nas igrejas fundadas por ele: ''“Aqui se faz de outro modo e pronto!”'', mas a questão foi resolvida num [[Concílio]].
 
''“Reuniram-se, pois, os [[apóstolos]] e os anciãos para examinarem o problema”'' (At 15, 6), outro ponto importante de se observar é a reunião de uma '''Igreja hierárquica'''.
 
Tendo-se os ânimos esquentados, ''“Tornando-se acesa a discussão, levantou-se [[Pedro]] e disse: Irmãos, vós sabeis que, desde os primeiros dias, aprouve a [[Deus]], entre vós, que por ''minha boca'' ouvissem os [[gentios]] a palavra da Boa Nova e abraçassem a fé.”'' (At 15, 7).
Por fim Tiago concordou com Pedro e concluiu dizendo: ''“Eis porque, pessoalmente, julgo que não se devam molestar aqueles que, dentre os [[gentios]], se convertem a [[Deus]]. Mas se lhes escreva que se abstenham do que está contaminado pelos [[ídolos]], das uniões ilegítimas, das carnes sufocadas e do sangue. Com efeito, desde antigas gerações tem [[Moisés]] em cada cidade seus pregadores, que o leem nas sinagogas todos os sábados”''. (At 15, 19:21)
 
A [[Carta Apostólica]], que será seguida por toda a Igreja, é redigida segundo o parecer de Pedro, que Paulo e Tiago também concordaram. A Carta seguirá basicamente o discurso de Tiago, mostrando como estava a frente da igreja em [[Jerusalém]] após Pedro.
 
== A Carta Apostólica ==
Utilizador anónimo