Abrir menu principal

Alterações

537 bytes adicionados ,  01h09min de 21 de agosto de 2010
sem resumo de edição
{{Ver artigo principal|[[Ocupação soviética da Bessarábia e Bucovina do Norte]]}}
A União Soviética, que não reconhece a soberania da Roménia sobre a [[Bessarábia]] pois a [[União da Bessarábia com a Romênia|união de 1918]], emitiu um ultimato de [[28 de junho]] de [[1940]] exigindo a retirada dos militares romenos e administração do território contestado, bem como a parte norte da província romena de [[Bucovina]] <ref name="ultimatum">{{cite web |url=http://www.unibuc.ro/eBooks/istorie/istorie1918-1940/13-4.htm |title=, ''Istoria Românilor între anii 1918-1940'' Soviet Ultimata and Replies of the Romanian Government in Ioan Scurtu |author= Theodora Stănescu-Stanciu |coauthor=Georgiana Margareta Scurtu |language=Romanian |publisher= University of Bucharest |date=2002}}</ref> com uma ameaça implícita de invasão em caso de não-cumprimento. <ref name="ultimatum">{{ro icon}} [http://www.unibuc.ro/eBooks/istorie/istorie1918-1940/13-4.htm "Soviet Ultimata and Replies of the Romanian Government"], in Ioan Scurtu, Theodora Stănescu-Stanciu, Georgiana Margareta Scurtu, ''Istoria Românilor între anii 1918-1940'', [[University of Bucharest]], 2002</ref> Sob a pressão de [[Moscou]] e [[Berlim]], o governo romeno e as forças armadas recuaram para evitar a guerra. [[Adolf Hitler]] usou a ocupação soviética da Bessarábia para justificar a ocupação alemã da Iugoslávia e da [[Grécia]] e do [[Operação Barbarossa|ataque alemão à União Soviética]].
{{-}}
 
=== Estados Bálticos ===
{{Ver artigo principal|[[Ocupação das Repúblicas Bálticas]]}}
[[Image:Ribbentrop-Molotov.svg|thumb|250px350px|right|Divisões planejadas e reais de acordo com o Pacto Molotov-Ribbentrop]]
Quando a II Guerra Mundial começou em setembro de 1939, o destino dos países do Báltico já tinham sido decididos no [[Pacto Molotov-Ribbentrop|Pacto de Não Agressão Alemão-Soviético]] e seu Protocolo Secreto Adicional de Agosto de 1939 <ref>Anu Mai Koll, [http://www.amazon.com/dp/9122020497 "Baltic Countries Under Occupation: Soviet & Nazi Rule 1939-1991"], ISBN 9122020497</ref> .<ref>[http://www.britannica.com/eb/article-37317/Latvia The Soviet occupation and incorporation] at [[Encyclopædia Britannica]]</ref>
 
 
Após o [[colapso da União Soviética]], a luta pela independência dos Estados bálticos chegou a uma conclusão, as soberanias dos países foram restauradas em [[1991]]. As últimas tropas soviéticas se retiraram dos Estados Bálticos em Agosto de [[1994]].<ref>[http://www.globalsecurity.org/military/world/russia/vo-baltic.htm Baltic Military District] globalsecurity.org</ref>
[[Image:Terijokipakten.jpg|thumb|right|250px200px|Molotov assina um acordo entre a União Soviética e o [[Estado fantoche]] de curta duração a [[República Democrática da Finlândia]], que existiu em todos os territórios ocupados durante a [[Guerra de Inverno]]. ]]
 
Embora a União Soviética, condenasse o [[Pacto Molotov-Ribbentrop]] de [[1939]] - o precursor imediato da ocupação -, a partir de [[2007]] a política da [[Rússia]] passou a negar que os eventos envolvidos constituiram ocupação e que são ilegais nos termos aplicáveis das leis (internacionais).<ref name="BBCBaltic">[http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/4517683.stm Russia denies Baltic 'occupation'], BBC News, Thursday, 5 May 2005</ref>
 
=== Território finlandês ===
[[Image:Terijokipakten.jpg|thumb|right|250px|Molotov assina um acordo entre a União Soviética e o [[Estado fantoche]] de curta duração a [[República Democrática da Finlândia]], que existiu em todos os territórios ocupados durante a [[Guerra de Inverno]]. ]]
{{Ver artigo principal|[[República Democrática da Finlândia]] e [[Guerra de Inverno]]}}
 
[[Image:Finnish areas ceded in 1944.png|thumb|200px|left|Áreas cedidas pela Finlândia à União Soviética. [[Porkkala]] voltou para a Finlândia em 1956.]]
A União Soviética exigiu um acordo em que a [[Finlândia]] move-se a fronteira mais longe de [[Leningrado]]. Também exigia que da Finlândia a anexação da [[Península Hanko]] (ou território similar na entrada do [[Golfo da Finlândia]]) para a URSS para a criação de uma base naval ali. <ref>D. W. Spring. 'The Soviet Decision for War against Finland, 30 November 1939'. ''Soviet Studies'', Vol. 38, No. 2 (Apr., 1986), pp. 207-226</ref> Todavia, a Finlândia recusou, e a União Soviética invadiu a Finlândia, iniciando a [[Guerra de Inverno]]. Nos territórios ocupados pela União Soviética na [[Carélia finlandesa]], que criaram a [[República Democrática da Finlândia]] (em finlandês: Suomen tasavalta kansanvaltainen), um regime fantoche soviético de curta duração. Os soviéticos também ocuparam [[Petsamo]] no Norte durante a guerra. Mais tarde, a Finlândia foi forçada a ceder parte da Carélia finlandesa no [[Tratado de Paz de Moscou]] de [[12 de Março]] de [[1940]]. O território incluia a cidade de [[Vyborg]] (segunda maior cidade do país), muitos dos territórios industrializados da Finlândia, e partes importantes ainda detidss pelo exército da Finlândia: quase 10% da Finlândia pré-guerra. Cerca de 422 mil carelianos - 12% da população da Finlândia - perderam suas casas; tropas militares e civis remanescentes foram evacuadas às pressas. A Finlândia também teve de ceder uma parte da área de [[Salla]], [[península Kalastajansaarento]] no [[Mar de Barents]] e quatro ilhas do Golfo da Finlândia. As áreas cedidas, foram integradas na [[República Autônoma Socialista Soviética da Carélia]] para formar o [[RSS Carelo-Finlandesa]].
 
=== Polônia ===
{{Ver artigo principal|[[invasão soviética da Polônia]], [[Territórios polacos anexados pela União Soviética]], [[Ocupação da Polônia (1939-1945)]]}}
[[Ficheiro:Wrzesien.gif|thumb|200px|right|Fronteiras temporárias criadas pelos exércitos alemães e soviéticos durante a [[invasão da Polônia]]. A fronteira foi posteriormente ajustada pela diplomacia entre os governos invasores.]]
[[Ficheiro:Map of Poland (1945).png|thumb|200px|A [[Linha Curzon]] e as alterações territoriais da Polônia entre 1939 e 1945.]]
 
A [[Polônia]] foi o primeiro país a ser ocupado pela União Soviética durante a época da II Guerra Mundial.
 
 
As tropas soviéticas (o [[Grupo das Forças do Norte]]) ficaram estacionados na Polônia a partir de 1945 até [[1993]]. Foi somente em [[1956]], que os acordos oficiais entre o regime comunista na Polônia criados pelos próprios soviéticos e a União Soviética reconheceram a presença dessas tropas, daí muitos estudiosos poloneses aceitaram o uso do termo "ocupação" para o período de 1945 a 1956. <ref name="Golon">{{pl icon}} [[Mirosław Golon]], [http://historicus.umk.pl/modules/wfsection/article.php?articleid=12 Północna Grupa Wojsk Armii Radzieckiej w Polsce w latach 1945-1956. Okupant w roli sojusznika] (Northern Group of Soviet Army Forces in Poland in the years 1945-1956. Occupant as an ally), 2004, Historicus - Portal Historyczny (Historical Portal). An online initiative of [[Nicolaus Copernicus University in Toruń]] and [[Polskie Towarzystwo Historyczne]]. Last accessed on 30 May 2007.</ref>. Outros estudiosos datam a ocupação soviética até [[1989]] <ref>[http://www.muzhp.pl/index.php?art_id=393]</ref><ref>[http://www.ruf.rice.edu/~sarmatia/906/srindex.html]</ref>. O [[Governo polonês no exílio]] existiu até [[1990]].
{{-}}
 
 
=== Romênia===